quinta-feira, 28 de fevereiro de 2019

Bravura e heroísmo de Bombeiros que agiram contra incêndio em Santana são reconhecidos durante homenagens no AP

Ocorreu na manhã desta sexta-feira (28), uma sessão solene no Centro de Convenções Azevedo Picanço para a entrega de Moção de Aplausos a alguns militares do 5º Grupamento do Corpo de Bombeiros, localizado na cidade de Santana. 

O deputado Estadual Jory Oeiras foi quem indicou os militares para receberem a moção devido à atuação realizada na noite do último dia 18 de janeiro de 2019, o qual as guarnições de serviço foram atender o chamado de incêndio na comunidade denominada ‘Baixada do Ambrósio’, situado na Área Portuária em Santana. 

O local é de difícil acesso para as viaturas de combate e é um emaranhado de pontes que acessam as casas em madeira e palafitas, o receio era que o fogo se alastrasse causando uma ocorrência de proporções maiores. 

Contudo, os militares conseguiram realizar ação rápida com técnicas adequadas para a extinção do incêndio minimizando os danos da população atingida. 

“Nesse sentido, nada mais justo que reconhecer esse ato os parabenizando publicamente”, disse o deputado Oeiras. 

O 5º Grupamento se orgulha de todos os militares que contribuíram para o sucesso da atuação, parabeniza também os militares do 1º e do 4º Grupamentos que vieram para dar apoio. 

Os militares do 5º Grupamento que forma contemplados com a moção foram: 

* SUB TEN QEPBM Matos; 
* 2º SGT QPCBM Ronnie; 
* 3º SGT QPCBM FEM Márcia Silva; 
* 3º SGT QPCBM Edivan Silva; 
* CB QPCBM N. Serrão; 
* SD QPCBM FEM Fabiane; 
* SD QPCBM FEM Iza; 
* SD QPCBM Viana; 
* SD QPCBM Mangabeira; 
* SD QPCBM Lennon; 
* SD QPCBM FEM Odete; 
* SD QPCBM FEM Regina Matos; 
* SD QPCBM FEM Helone. 

O tenente QOCBM Pamphylio, do Centro de Atividades Técnicas, foi o oficial responsável pelo serviço naquele dia e também foi homenageado. 

Fotos: Soldado QPCBM Mangabeira e Gerson Barbosa, Agência Assembleia Legislativa do Amapá. 

Seção de Comunicação Social - SECOMS 5º GBM. Santana. CBM/ AP.

Prefeito pede e Câmara de Vereadores de Santana aprova 1.300 contratos administrativos válidos até 2020

Maioria dos vereadoresvotou a favor do projeto
Na última terça-feira (26), foi apresentado na sessão da Câmara de Vereadores de Santana, um Projeto de Lei (PL) de autoria do Executivo Municipal, solicitando a contratação temporária de servidos para ocuparem diversas áreas do serviço municipal.

Segundo o PL, são mais de 1.300 admissões para prestarem serviços pelo período de 24 meses nas áreas da administração, saúde e educação do município. Ou seja, tendo validade entre 2019 e 2020. 

Com exceção apenas da presidente da Casa – Professora Helena encontrava-se em Brasília (DF) – os demais 14 edis que estavam presentes procuraram debater publicamente o PL, na qual a maioria decidiu aprovar o projeto. 

Um dos vereadores que votou contra o PL, Rarison Santiago (PRP) chegou a cogitar que tais contratações deveriam seguir uma linha de seleção, mas sua proposta acabou sendo rejeitada. 

“Não vejo tanta necessidade em efetuar novas contratações, se o Executivo já deveria ter realizado o concurso público para preencher todas essas vagas”, disse Santiago, que teve o apoio dos vereadores Robson Coutinho (PR) e Socorro Nogueira (PT) que também votaram contra o PL. 

Sede da Câmara de Vereadores de Santana
Coutinho considerou que tal projeto teria pretensões eleitoreiras, pelo fato da duração dos contratos, conforme o texto enviado ao Legislativo, estabelecendo 24 meses. 

“É inquestionável achar que não tenha interesses eleitorais por prolongar esses contratos até o final do ano de 2020, ano de eleições em nosso município”, disse Coutinho. 

Variação de salários 
Outro ponto questionado durante a sessão, ainda em relação ao PL enviado pelo Executivo, está a proposição salarial de alguns cargos, onde no cargo de professor, por exemplo, deverá receber em torno de R$ 1.105, enquanto que o cargo de motorista lotado no gabinete do Executivo receberá mais de R$ 2.178,00. 

Para alguns parlamentares presentes, essa variação de salários desvaloriza a capacidade profissional dos educadores. 

“É muita injustiça colocar um profissional bem elevado e preparado como o professor, dentro duma sala de aula com esse salário, onde nós sabemos que o piso salarial nacional aponta um valor superior de R$ 2.557,74”, comentou o vereador Anderson Almeida (DEM), que votou a favor das contratações. 

Além da duração dos contratos e as variações salariais, o mesmo PL deixa claro que o contratado não terá direito à indenização no término contratual ou em caso de rompimento por decisão municipal.

Pedagogia Restaurativa: Projeto que busca aprimorar educadores é lançado em Santana

Uma parceria entre o Tribunal de Justiça do Estado do Amapá (TJAP), o Ministério Público do Estado, a Universidade Federal do Amapá (Unifap) e a Secretaria Municipal de Educação de Santana resultou no lançamento, na manhã desta quarta-feira (27), no auditório da Escola Grupo Perspectivas Construtivas (GPC), o Projeto Pedagogia Restaurativa Sistêmica. 

A iniciativa, que tem como objetivo a capacitação de professores, pedagogos e outros servidores de escolas municipais de Santana em práticas como os círculos restaurativos e constelações familiares, apresentou as metodologias que serão ministradas, primeiramente na Escola Municipal Professora Maria Ilnah de Souza. 

De acordo com a juíza Larissa Noronha, titular da Vara da Infância e da Juventude do Fórum de Santana, o trabalho é resultado desta parceria já antiga com o Núcleo de Mediação e Práticas Restaurativas do MP em Santana. 

“Inicialmente a formação será para o corpo docente da Escola Maria Ilnah, e teremos por parte da Unifap uma ajuda com um diagnóstico inicial, para preparar nossa abordagem, e outra no fim do ano, para verificar até que ponto as metodologias ensinadas puderam contribuir para melhorar a situação local, especialmente em relação às relações interpessoais entre professores e estudantes, mas também entre a instituição e as famílias destes alunos”, explicou. 

A promotora de Justiça Sílvia Canela, que coordena o Núcleo de Mediação do MP-AP em Santana, explicou que este trabalho “é derivado de uma iniciativa mais antiga, o projeto Escola Restaurativa, que ampliamos ao agregar às práticas restaurativas já aplicadas a constelação sistêmica enquanto ferramenta”. 

Segundo a promotora, “nas rotinas da constelação sistêmica queremos levar aos corpos docente e discente uma visão sistêmica, uma consciência não só de seu papel individual dentro de cada grupo de relações, como o papel de cada um dos outros componentes deste grupo, reservando um especial cuidado e respeito com o lugar de cada um”. 

A titular da Secretaria Municipal de Educação de Santana, professora Carmen Queiroz da Paz, é uma entusiasta da iniciativa e fez questão de prestigiar este momento. 

“Não só a Secretaria de Educação como a própria Prefeitura de Santana recebem muito bem a iniciativa, principalmente na perspectiva de aprimorar não somente a vivência, a presença e o rendimento do alunato na escola, mas também aproximar a participação familiar desta parte da história e da formação de seus filhos”, garantiu, acrescentando que acredita em tais ferramentas como “fortalecedoras dos valores familiares e de cidadania que às vezes pensamos estarem perdidos nos dias atuais”. 

A diretora da Escola Maria Ilnah de Souza Almeida, professora Maria José Amaral, registrou sua gratidão por ter em sua escola o primeiro alvo desta iniciativa. 

“Creio que esta capacitação vai contribuir muito não só para resultados em termos de rendimento, mas de aprimoramento profissional dos professores e pedagogos e mesmo pessoal de cada um que participar direta ou indiretamente do projeto”, assegurou, ressaltando em seguida que o público diretamente atingido pelo projeto será de cerca de 30 profissionais do ensino e mais cerca de 400 estudantes. 

O professor da Escola Piauí e coordenador do Programa Educação para a Paz (E-Paz) em Santana, Jorge Carmona, já testemunhou o impacto positivo das práticas restaurativas em ambiente escolar. 

“Na Escola Municipal Piauí, que aderiu integralmente à metodologia da Pedagogia Relacional Restaurativa, conseguimos melhorar no IDEB (Índice de Desenvolvimento do Ensino Básico) em nove décimos, o que é uma marca muito importante para quem conhece o índice”, esclareceu. 

O Ideb varia de 0 a 10 e é aferido pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

Paralisada há 5 anos, estrada de ferro sumiu entre casas e matagal em Santana

Antiga ferrovia tomada pelo mato e casas ao redor
Era tarde do dia 27 de fevereiro de 2014 (numa quinta-feira), quando a locomotiva nº 1201 ‘cortava’ o cruzamento da Rua Everaldo Vasconcellos, no bairro Fonte Nova, em Santana.

Naquele momento, o trânsito de carros e motos parava por alguns minutos, vendo a composição de vagões sendo puxada pela locomotiva sobre a precária ferrovia. 

“Quem viu a locomotiva passando naquele dia, teve a chance de testemunhar sua despedida”, declamou o amapaense Adamor Ferreira, de 39 anos, ex-soldador industrial.

Adamor reside em Santana e trabalhou por quase três anos na empresa Anglo Ferrous, a concessora da ferrovia que ligava quatros municípios amapaenses, e antiga propriedade da mineradora ICOMI. 

O amapaense conta ter sido um dos últimos a trafegar na locomotiva pela histórica ferrovia que por mais de seis décadas carregou milhares de pessoas e centenas de toneladas de minérios, que seriam despejados em um cais localizado em frente ao extenso Rio Amazonas, para assim embarcar em navios comerciais para o exterior. 

Trem circulou por ferrovia até 2014
“Não vivíamos um momento tão positivo, mas enfrentamos uma fase bem mais pesada depois que o porto desabou em 2013. Tivemos salários atrasados, além de vários benefícios cortados”, relembra. 

Além do ex-soldador, moradores que residiam em colônias que ficavam ao longo dos quase 200km de ferrovia vinham semanalmente à Santana para comercializar seus produtos hortigranjeiros. 

Casas erguidas na beira da ferrovia desativada
A aposentada Sandra Amaral, de 63 anos, é uma dessas que atravessou quase meio século em viagens litorinas entre Pedra Branca do Amaparí e a cidade portuária de Santana. 

“Cresci viajando de trem e me orgulho disso. Vínhamos pra estação da Pedra Branca às 4h da manhã e chegávamos em Santana na hora do almoço (depois do meio-dia), pra trazermos carne de caça, bananas, coco e muita verdura. Era uma viagem cansativa mas bonita”, conta Amaral. 

Atual situação 
Diante dessas duas lembranças divididas em épocas distintas – entre o ex-soldador e a aposentada – o que hoje existe são apenas relatos de uma ferrovia que atualmente vive outra realidade. 

Nos trechos que atravessam a saída de Santana, pelo bairros Paraíso e Fonte Nova, os caminhos traçados que um dia viram uma linha ferroviária – que funcionou entre 1957 até 2013 – estão agora tomados pelo matagal alto e por inúmeras moradias que foram se erguendo ao longo das últimas três décadas. 

Em um desses perímetros que o blog Santana Do Amapá conversou com a doméstica Deuzarina Santos, de 35 anos, que reside na área que considera o ‘limite’ com a ferrovia. 

A doméstica conta ter ocupado o atual espaço há mais de 14 anos, onde mora com o esposo e mais cinco filhos, com idades entre 9 e 17 anos. 

“Houve um tempo que tentaram nos tirar daqui, alegando que estávamos desrespeitando o limite dos trilhos, mas depois de várias audiências, a justiça determinou que ficássemos por não termos para onde ir”, disse a doméstica. 

Além de Deuzarina, um levantamento realizado pela Prefeitura de Santana em 2016 estima que existam em torno de 6 mil famílias que residem nos chamados ‘limites da linha ferroviaria’, distribuídos entre os bairros Paraíso, Fonte Nova e Jardim de Deus. 

Após a paralisação das atividades da última concessora da ferrovia – Zamin Ferrous – não apenas o intenso matagal e o crescimento desordenado de moradias invadiriam o espaço de um importante pedaço da nossa recente história amapaense, mas que também seria alvo de constantes registros de roubos e deteriorações físicas. 

Não é difícil de encontrar trechos da ferrovia do Amapá que sofreram vandalismos e ações de furto dos trilhos, uma atitude que deixa entristece até os mais pioneiros que participaram de sua construção. 

“Tanto trabalho de homens que queriam deixar um pedaço importante para nossa história, mas que ninguém se manifesta para manter ou preservar em funcionamento”, lamentou o aposentado Wilson Batista, de 72 anos, ex-funcionário da ICOMI, empresa que construiu a ferrovia. 

O blog entrou em contato com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) que informou está acompanhando há três anos a situação sobre o atuais concessores da ferrovia, mas que depende uma decisão da justiça de São Paulo (SP) para saber a quem vai pertencer a sua futura manutenção.

Vara da Infância de Santana intensificará fiscalizações no período de Carnaval

Para estabelecer a proteção a crianças e adolescentes contra possíveis abusos físicos e psicológicos, bem como dar segurança aos brincantes e aos realizadores dos eventos carnavalescos, a Vara da Infância e Juventude de Santana, sob a titularidade da juíza Larissa Noronha Antunes, vai intensificar as fiscalizações no período de 02 a 05 de março, nos horários de 22 às 04 horas da manhã. 

“O que mais nos preocupa é o uso, entrega e venda de álcool para crianças e adolescentes. Temos que ter em mente que o público infantojuvenil não pode consumir este produto. Que os pais que estiverem como companhia de crianças e adolescentes não consumam bebida alcoólica, pois, sabemos que ao ingerir esse produto eles também ficam mais propícios a ocorrências negativas”, ressaltou a magistrada. 

Para alertar os pais ou responsáveis pelo público infantil nesse carnaval a juíza editou comunicado sobre a participação de crianças e adolescentes em eventos carnavalescos. A equipe do Comissariado da Infância estará a postos para fazer cumprir a Portaria nº 53/2014 VIJS. 

“As crianças só poderão participar de bailes infantis com duração máxima de quatro horas e intervalo de 15 minutos. Esses eventos devem terminar até 20 horas. Os adultos responsáveis deverão manter as crianças longe de álcool e drogas”, declarou a juíza Larissa Noronha. 

A ação rigorosa é um trabalho em conjunto com todas as autoridades de segurança como a Polícia Militar e Conselho Tutelar. 

Estão disponibilizados dois números de telefone para denúncias: o Disk Denúncia Whatsapp (96) 9 8414-0423 e Central Disque-denúncia TJAP 0800 2851581.

‘Vem Louvar’ em Santana comemora 10 anos de sucesso

No próximo final de semana, a Renovação Carismática Católica do Amapá (RCC Amapá), pioneira em promover eventos de evangelização neste período carnavalesco, estará promovendo mais uma edição do esperado ‘Vem Louvar’, em Santana. 

Segundo a coordenação, o evento já é considerado um dos prestigiados do cronograma anual da Igreja Católica, recebendo milhares de pessoas que buscam se envolvem espiritualmente com a Palavra de Deus, demonstrando alegria e fraternidade. 

“Durante os dias destinados ao Carnaval, o evento oferece um encontro diferente com Cristo, onde as pessoas podem se aproximar mais ainda de Cristo, através de várias ações”, explicou Suely Soares, uma das organizadoras a frente do evento.

Segundo Suley, uma prévia do evento aconteceu no último dia 23 de fevereiro, na quadra da Igreja Imaculado Coração de Maria, no bairro Dos Remédios I, como forma de mostrar às pessoas um pouco do que se trata o evento oficial. 

“Em todos os encontros, procuramos proporcionar um tempo de reflexão, passando para as pessoas a importância do evento através da emoção, como ocorre no Carnaval, mas sem uso de bebidas e coisas desse tipo”, ressaltou. 

Realizado desde 2010, a edição desse ano do ‘Vem Louvar’ ocorrerá na quadra da Igreja São Bento, no bairro Paraíso, área norte de Santana. 

Confirmado para esse final de semana – dias 02 e 03 de março (sábado e domingo) – a programação é gratuita, onde contará com pregações, orações, missas, shows, desfile de blocos, entre outras atividades. 

“A abertura acontece no sábado à noite, com uma participação especial vinda do Estado do Pará, e continuaremos durante o dia todo de domingo, onde várias bandas de músicas de Macapá e Santana irão se apresentar”, detalhou Suley, que reforçou o convidado para o público. 

“O evento é aberto ao público gratuitamente, e com certeza as pessoas que virem levarão uma forte Palavra de Paz para suas vidas”, finalizou.

Independente consegue conversão de pena e poderá disputar o Campeonato Sub-20

Punido por dois anos por ter desistido de disputar o Amapazão em 2018, às vésperas do estadual iniciar, o Carcará da Vila Maia conseguiu converter a pena no Tribunal de Justiça Desportiva do Amapá (TJD-AP) e poderá disputar, pelo menos, o Campeonato Sub-20, que inicia no dia 02 de março. 

O Independente terá que realizar doações de sangue, além de palestas sobre a violência contra a mulher e regras disciplinares do futebol. O prazo para o time santanense quitar a conversão da pena vai até o primeiro jogo do clube no Campeonato Sub-20. 

Mesmo com a indefinição se poderia ou não competir em 2019, a diretoria do Independente montou, há mais de um mês, o elenco para disputar o sub-20. Agora, o Carcará está livre para competir neste ano. 

O Independente utilizou uma manobra semelhante a que o seu rival, Santana, fez em 2018 para diminuir a pena O Canário foi punido por dois anos por ter desistido de disputar o Amapazão em 2017, mas conseguiu a conversão de pena para voltar a competir no ano passado. 

O TJD informou que Santana, Ypiranga e Santos-AP são os únicos clubes que não têm pendências financeiras no tribunal. Além dos três times citados e o Independente, as outras eu equipes que vão disputar o Campeonato Sub-20 (Macapá, Oratório, São Paulo-AP e Trem) devem também fazer a conversão das penas antes do torneio iniciar.

Informações postadas no G-1 Amapá

Durante período de Carnaval, grupo fará pedágios para ajudar famílias em Santana

Enquanto que muitos irão tirar proveito dos quatro dias de festas reservadas nesse período do ano para o Carnaval na cidade de Santana, um grupo de jovens decidiu seguir um outro protocolo, com o intuito de ajudar pessoas que buscam por atendimento médico e amenizar suas condições alimentares. 

Denominados de ‘Unidos Somos Um’, o grupo é composto de cerca de vinte jovens que, em períodos de datas consideradas de intenso movimento comemorativo, arregaçam as mangas e vão às ruas, com o objetivo de arrecadar valores ou alimentos para que possam suprir ou muitas vezes amenizar a vida daqueles que estão oprimidos e mais desassistidos socialmente. 

Uma das mais recentes ações realizadas pelo grupo ocorreu no período natalino de 2018, onde dezenas de brinquedos e cestas básicas puderam ser distribuídas às famílias carentes, como resultado de uma grande campanha que o grupo, juntamente com outras pessoas independentes de Santana, puderam levar alegria no rosto de inúmeras e pais de família. 

“Ser voluntário não é só da comida e dinheiro á alguém. É saber que esse alguém é mãe, pai, filho e tem importância em muitas vidas. Ajudar é ser parceiro, ter um amigo que você não achava que poderia ter”, declarou a acadêmica Leandra Picanço, de 20 anos, uma das coordenadoras do grupo. 

Segundo Leandra, o reconhecimento do trabalho assistencial do grupo tem sido tão grande, que mesmo não sendo apenas em períodos de festas de final de ano, a procura por ajuda vem continuando. 

“Várias pessoas nos ligam, pedindo nosso apoio para realização de exames ou compras de remédios controlados, e nós vamos dando um jeito de ajuda-lo dentro daquilo que podemos”, disse. 

E justamente vendo essa demanda de pedidos de pessoas carentes que buscam por ajuda, que o grupo novamente às ruas nesse período de Carnaval em Santana, com intuito de arrecadarem condições para diversos pedidos. “Iremos aproveitar esses quatro dias de festas de Carnaval e fazermos pedágios nos locais nos movimentados, tudo em prol dessas famílias que nos procuram”. 

De acordo com que vem sendo articulado pela coordenadora, o grupo estará fazendo pedágios em locais como em frente da farmácia DrogaRei (na Rodovia Salvador Diniz) e no cruzamento do Supermercado Fortaleza (na Rua Ubaldo Figueira). A campanha deverá iniciar no próximo dia 28 de fevereiro até o dia 05 de março. 

Para Leandra, ajudar a quem precisa se torna um importante de ato à vida alheia. 

“O maior benéfico disso tudo é a gratidão. Não é perca de tempo, fazer alguém sorrir trás um benefício imenso para si. Aprenda a valorizar tudo que você tem, principalmente a sua saúde e seu alimento de todo dia”, finalizou. 

Os interessados que queiram ajudar o grupo, doando valores ou materiais, podem entrar em contato com a coordenadora pelo número 99119-8467 (Whatsapp).

terça-feira, 26 de fevereiro de 2019

Em trecho movimentado de Santana, faixa quase apagada é remodelada para uso de pedestres

Faixa quase apagada oferecia risco às pessoas
Para o pedestre atravessar em alguns trechos da Rua Salvador Diniz, no bairro Dos Remédios I, em Santana, era preciso paciência e contar com o bom senso de alguns condutores. 

Mesmo posicionadas numa área reservada a passagem dos transeuntes, para muitos condutores os pedestres parecem invisíveis, assim como as faixas, que estão quase desaparecendo de tanto desgaste. 

“De manhã cedo, perto do meio-dia e no fim da tarde são os piores horários para o pessoal passar aqui. Tem que esperar um bocado para atravessar porque os motoristas não param. Se arriscar passar, é perigoso um acidente”, contou o autônomo Durval Magalhães, que trafega de bicicleta no local diariamente. 

No cruzamento da Travessa Atlântida com a Rua Salvador Diniz (em frente ao antigo Comercial Monte Castelo), nem mesmo uma quase inexistente faixa de pedestre ao lado da Escola Estadual Professor José Ribamar Pestana, sensibilizava os condutores. 

O movimento de estudantes e pessoas atravessando a via é praticamente constante, assim como o risco de atropelamentos. 

A doméstica Dinalva Ferreira, de 35 anos, conta que o horário da manhã é praticamente intrafegável atravessar o trecho. 

“Aqui é uma luta para atravessar. A gente dá com a mão, espera, mas a maioria não para. O perigo maior é na entrada e saída das crianças na escola”, reclamou a doméstica. 

Porém, a situação pode ser contornada ainda na semana, quando a referida faixa foi repintada, após uma indicação legislativa impetrada pela vereadora Socorro Nogueira (PT), que teria recebido várias reivindicações de pessoas que utilizam o trecho diariamente. 

“As faixas de pedestres ajudam fluir o trânsito com segurança principalmente agora que inicia o calendário escolar, onde vários alunos usam esse mecanismo para atravessar a rua”, explicou a vereadora, que também já solicitou a pintura de faixas em frente de outras três escolas de Santana. 

“Neste mesmo requerimentos foi solicitado a pintura de faixas em frente às escolas Afonso Arinos (Área Portuária), Piauí e Igarapé da Fortaleza (ambas no distrito do Igarapé da Fortaleza)”, finalizou.

Centro Profissional de Santana oferecerá 180 vagas em cursos técnicos

O Centro de Educação Profissional de Santana Professora Maria Salomé Soares, está apenas aguardando a confirmação para publicar no próximo dia 08 de março, o Edital de Seleção o Processo Seletivo da instituição para o ano de 2019. 

Segundo informações repassadas ao blog, a instituição estará ofertando cerca de 180 vagas para o Ensino Técnico Subsequente, ou seja, para aqueles que já concluíram ou estão concluindo o Ensino Médio Regular. 

Localizado no Distrito Industrial de Santana, o Centro Profissional já existe há mais de sete anos e já se tornou referência educacional no Estado. A direção do Centro ainda não definiu o início das inscrições e nem os turnos que serão lotados os cursos. 

Abaixo, a quantidade de vagas de cada curso técnico que será oferecido pelo Centro Profissional de Santana: 

- Técnico em Edificações – 60 vagas; 

- Técnico em Eletroeletrônica – 30 vagas; 

- Técnico em Segurança do Trabalho – 30 vagas; 

- Técnico em Recursos Humanos – 60 vagas.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2019

Após reforma, Fórum de Santana passa a oferecer mais comodidade e segurança a magistrados e usuários

O presidente do Tribunal de Justiça do Amapá, desembargador Carlos Tork, reinaugurou o Fórum da Comarca de Santana na manhã desta segunda-feira (25/02). 

A obra de reforma foi concluída no prazo de 10 meses e contemplou a reestruturação completa do plenário, da guarita de segurança que recebeu um novo formato, além de pintura geral nas áreas interna e externa do prédio. 

Para o chefe do Judiciário amapaense, a obra atende a uma antiga reivindicação de magistrados e servidores que atuam no Fórum da segunda maior comarca do estado. 

“O jurisdicionado fica melhor atendido e o servidor tem um local mais confortável para trabalhar como também o magistrado”, explicou o presidente. 

A diretora do Fórum, juíza Eliana do Nascimento Pingarilho, afirmou que a revitalização significa uma conquista. 

“Este é um momento de agradecimento porque nos permite fazer uma prestação jurisdicional de maior qualidade. Com esta estrutura melhorada teremos mais condições de atender melhor as instituições parceiras da nossa comarca”, destacou a magistrada.

Justiça do Amapá e Ministério Público realizam encerramento do curso de Práticas Restaurativas em Santana

A Justiça do Amapá e o Ministério Público do Estado do Amapá realizaram na tarde da última sexta-feira (22/02), o encerramento do curso de Práticas Restaurativas que tem o propósito de promover a cultura da paz. A programação ocorreu na Escola Estadual Professor Afonso Arinos, localizada na área portuária de Santana. 

Na ocasião foram entregues certificação aos participantes. A capacitação foi realizada na Sala Unbutu (sou porque nós somos), espaço doado pelo Projeto Comunidade Restaurativa promovido pelo TJAP. A duração do curso foi de uma semana com carga horária de 20h. 

A juíza Carline Negreiros, titular do Juizado Cível e Criminal da Comarca de Santana, ressaltou a relevância da parceria realizada com o MP-AP para proporcionar a comunidade da área portuária os ensinamentos restaurativos. “Quero agradecer a equipe do Ministério Público, sem eles não seria possível efetuar a logística para a realização desse curso”. 

Ao longo da programação de encerramento foram realizadas dinâmicas com finalidade de praticar o que foi ensinado durante a semana de qualificação. Também foi abordado o tema “Constelações Sistêmicas Familiares”, o qual visa demonstrar o entendimento do contexto familiar para melhorar o relacionamento entre as pessoas. 

A mediadora e psicóloga Dionária Mota durante sua explanação explicou essas características que são herdadas pelos pais, que na maioria das vezes podem ser prejudiciais para o convívio em sociedade. Ela destacou por meio de suas vivências como deve ser quebrado esse sistema: “inconscientemente nós somos leais ao nosso sistema, são comportamentos que repetimos. Então quando vou andar para frente se eu não estiver alinhado com aquilo que estou fazendo, corro o risco de auto sabotagem”. 

A promotora de Justiça do MP-AP, Sílvia Canela, aproveitou o momento para explanar sobre a importância da realização do curso para apresentar aos participantes novos caminhos para uma vida de qualidade: 

“Nós estamos levando para a comunidade ferramentas para que as pessoas possam buscar a solução dos seus problemas. Construir na comunidade o senso de pertencimento e despertar dentro de si o empoderamento. Isso contribui para que os moradores da região tenham a consciência de que eles são protagonistas da própria história”, pontuou a promotora de Justiça.

Homem é baleado na orelha após ter a casa invadida por assaltantes em Santana

O dono de uma residência no bairro Fonte Nova, em Santana, foi baleado na orelha após dois assaltantes invadirem o local na madrugada desta segunda-feira (25). 

A Polícia Militar (PM) informou que o ferimento não foi grave e ocorreu quando a vítima entrou em luta corporal com um dos criminosos. 

O ferimento não foi grave e os assaltantes fugiram em seguida. O caso aconteceu por volta de 1h30 quando os bandidos arrombaram a porta da casa e tentaram roubar a televisão da família. 

O chefe da família tentou reagir, quando foi atingido. Não foi informado se a dupla fugiu levando algum objeto da residência, que fica na Travessa das Orquídeas. 

Os bandidos foram identificados como ‘Gordo’ e ‘Garrincha’, mas eles não foram localizados até a última atualização desta reportagem.

Informações postadas no G-1 Amapá

domingo, 24 de fevereiro de 2019

Visita do Projeto Rondon à Vila Maia completa 50 anos

Membros do Projeto falando com alunos de Santana
No final de janeiro de 1969, uma equipe do Projeto Rondon que atuava no município paraense de Afuá se deslocaria para a cidade de Macapá, no então Território Federal do Amapá, e durante o tempo que permaneceriam atendendo às pessoas daquela região, os universitários do Projeto ficaram alojado nas residências da conhecida Vila Amazonas.

Foram cerca de 50 universitários – entre homens e mulheres – que desembarcaram na capital amapaense na tarde do dia 30 de janeiro daquele distante ano de 1969. 

Criado como uma oportunidade para universitários voluntários contribuírem, durante suas férias, para o desenvolvimento de comunidades carentes de alguns Estados do Norte Brasileiro, o Projeto Rondon surgiu em meados de 1967, em Rondônia, formado por 32 voluntarios, durante quase um mês de pesquisas e serviços assistenciais naquela região.

Somente no ano seguinte (1968), o então Ministério do Interior criaria o Grupo de Trabalho Projeto Rondon, com o Decreto nº 62.927, de 28 de junho de 1968, estendendo a ação ao Mato Grosso e à Amazônia, com a adesão de 648 jovens. 

Projeto no Amapá 
O Projeto chegou às terras amapaenses através de uma articulação interministerial, garantindo o encadeamento de vários campos de conhecimento como saúde, saneamento e meio ambiente entre outros. 

Quando ainda não tinham vindo para o Amapá, tomaram conhecimento sobre a existência de uma comunidade existente nas proximidades das instalações do Projeto ICOMI, em Santana. Foi justamente esta comunidade – denominada de Vila Doutor Maia – que seria o ‘ponto alvo’ dos universitários logo que chegassem à região. 

Equipe oficial do Projeto Rondon na Amazônia
Somente na manhã do dia 1º de fevereiro que um grupo de 32 universitários saíram às ruas da pequena e modesta Vila Maia, em Santana, onde logo constaram que, como ocorria em grande parte do interior do país (na época), o povo retirava a água de poços ou então usava dos rios. 

Como já havia um posto medico na Vila, mantido pela Prefeitura de Macapá, os membros do Projeto viram que o citado prédio tinha uma sala para ginecologia, uma sala de vacinação, um ambulatório, uma sala de atendimento com seis leitos e um laboratório de análises e instalações sanitárias. 

Ainda na área da saúde, uma equipe-voltante de Macapá, coordenada pelo estudante de Medicina Renato Macedo, aproveitou a ocasião da visita dos membros do Projeto Rondon e vacinou 2.267 crianças contra poliomielite, outras 144 contra a varíola, além de atender, para exames, outras 370 pessoas. 

A malária, a verminose e a anemia foram as principais doenças encontradas pela equipe do Projeto nessa comunidade de Santana; a falta de noções de higiene foi uma das principais causas da disseminação de determinados males, principalmente os transmitidos por vermes. 

No âmbito educacional, visitaram as instalações do Grupo Escolar José Barroso Tostes, onde conversaram demoradamente com a diretora do educandário, a professora Gentila Corrêa Nobre, que falou aos membros do Projeto que o ensino primário na região passava por uma fase difícil, em decorrência do fato das professoras não estarem ambientadas com o novo método de ensino que havia sido implantado. 

Existia ainda a dificuldade de relacionamento escola-família, onde os pais raramente compareciam às reuniões mensais promovidas pela escola. 

Após escutarem várias reivindicações da professora Gentila, os universitários do Projeto organizaram, sob a orientação da Legião Brasileira de Assistência (LBA), um clube de mães, pois, a maioria das donas-de-casa não trabalhavam e passavam por dificuldades financeiras. 

Curiosamente, um dos grandes sonhos da então comunidade da Vila Dr. Maia seria ver a região transformada em zona de livre comércio, segundo resultado de uma pesquisa realizada pelos próprios universitários ao percorrerem todo aquele núcleo populacional durante a tarde daquele dia 1º de fevereiro de 1969. 

Ao concluírem o levantamento de inúmeros dados daquela comunidade, os membros do Projeto retornaram à Vila Amazonas, para que dois dias depois seguissem com as ações assistenciais do Projeto para o Estado do Acre.

Para início das aulas, até vereador é voluntário em mutirão de limpeza de escola em Santana

Mutirão contou com voluntários, incluindo vereador
Uma escola da rede municipal localizada na área norte de Santana recebeu um forte apoio neste domingo (24) de um grupo de voluntários que promoveu um grande mutirão para lavar, limpar, pintar, além de fazer pequenos reparos como instalações elétricas e de centrais de ar. 

Com cerca de dez pessoas voluntárias – em sua maioria jovens – a instituição privilegiada foi a Escola Municipal Fernando Rodrigues do Carmo, situada no bairro Fonte Nova. 

Vereador se prontificou de ajudar no mutirão
“Como as aulas já deverão iniciar nas próximas semanas, perguntei à algumas pessoas as possibilidades de me ajudarem na organização da escola, daí acabei recebendo diversos apoios”, disse a diretora da escola Gabriela Sousa, ao blog. 

Para surpresa da diretora, até o vereador de Santana Dr.º Fabiano se prontificou de entrar nessa ação. 

“Ele soube do meu pedido e se colocou à disposição para o que eu precisasse, então combinamos o dia e horário, e ele trouxe vários voluntários que não mediram esforço para irem logo limpando tudo que tinha na escola”, enfatizou a diretora. 

Limpeza e lavagem das salas e carteiras dos alunos
O mutirão de limpeza e organização das dependências do educandário durou a manhã e parte da tarde deste domingo (24), onde as salas de aulas foram todas lavadas, incluindo as carteiras de uso dos alunos, além da quantidade incalculável de materiais (muitos considerados descartáveis) que foram entulhados e recolhidos como lixo. 

O próprio vereador de Santana Dr.º Fabiano disse que sua contribuição como cidadão é apenas um ponto em relação à muita coisa que pode ser feita a favor da sociedade.

“Voluntariado não tem nada a ver com obrigação, com coisa chata, triste, motivada por sentimento de culpa. Voluntariado é uma experiência espontânea, alegre, prazerosa, gratificante. O voluntário doa sua energia e criatividade mas ganha em troca contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de viver outras situações, aprender coisas novas, satisfação de se sentir útil”, declarou o vereador. 

Junto com a ‘força-tarefa’ trazida pelo vereador, todos os materiais usados na limpeza do local – como vassouras, detergentes, luvas – foram arcados pelo edil, que se comprometeu de continuar contribuindo com outras ações na escola. 

“Estamos apenas aguardando uma posição da Secretaria de Educação sobre a demanda de alunos que deverão ser atendidos pela escola e o que podemos fazer em relação à sua estrutura, para assim fazermos mais uma limpeza geral e recebermos os nossos alunos”, finalizou a diretora. 

A Escola Municipal Fernando do Carmo atende cerca de 440 alunos, na faixa entre 6 a 12 anos, em dois turnos. A previsão do início das aulas está marcado para o próximo dia 07 de março.

Copa Santana de Handebol terá desafio entre Amapá, Pará e Guiana Francesa

A Copa Santana de Handebol promete ter jogos emocionantes entre equipes do Amapá e Pará, além da Guiana Francesa. Competição acontecerá de 1 a 4 de março, no Ginásio de Santana, município distante cerca de 17 quilômetros de Macapá. 

A Copa de Handebol vai contar com seis equipes: Shalom-AP, São José/República dos Esportes-AP, Independente-AP, Unifap-AP, Handebol Almerim-PA e MAC da Guiana Francesa. Nos próximos dias, a Federação de Handebol do Amapá (FHAP) deve divulgar a tabela de jogos. 

Se na categoria adulto masculino, a competição está pronta para sair do papel, o feminino tá pegando fogo nas quadras com o Desafio Internacional de Handebol que também conta com equipes da Guiana Francesa. O torneio iniciou na quarta-feira (20), na quadra da Escola Estadual Gabriel de Almeida Café.

Informações postadas no G-1 Amapá

Acordo feito por Ministério Público garante Carnaval seguro em Santana

O Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, da Cidadania e do Consumidor da Comarca de Santana-AP, firmou Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) com gestores do município e demais órgãos responsáveis pela fiscalização e execução do Carnaval de 2019. 

Com a assinatura, os compromissários asseguram a execução de medidas necessárias à boa execução do Carnaval 2019, realizado anualmente no segundo maior município do Estado. 

Primordialmente, o TAC resguarda que os órgãos policiais disponibilizem toda a estrutura operacional e efetivo suficiente da Policia Militar, Ambiental e Corpo de Bombeiros, de igual forma, nos dias do evento oficial. 

A Polícia Rodoviária Estadual também foi convocada para intensificar a fiscalização nas vias de acesso à cidade de Santana, bem como recomenda ao Município que oriente os ambulantes para evitarem acumulo de lixo, entre outras precauções no que se refere as vistorias diárias nas estruturas utilizadas para o evento. A Secretaria Municipal de Saúde (SEMSA) deve disponibilizar, no mínimo, duas (02) ambulâncias. 

Diretrizes estabilizadas pelo TAC 
Os órgãos compromissários também deverão adotar medidas destinadas a garantir a segurança do público: vedação da venda de bebidas em garrafas de vidro; controle rígido da qualidade dos alimentos; credenciamento e capacitação dos ambulantes; execução da limpeza durante e após o evento; controle da poluição sonora; vistorias diárias nas estruturas utilizadas para o evento; dentre outras medidas necessárias para garantir a segurança e o sucesso da festividade. 

Ficou acordado também, que no período das comemorações, que compreende de 2 a 5 de março de 2019, os horários de 17h30 às 3h40 deverão ser cumpridos. Ressalta-se que não haverá tolerância quanto aos horários fixados, devendo os organizadores, a todo o momento, alertar sobre o horário de término do evento. 

De acordo com promotor de Justiça João Paulo de Oliveira Furlan, que responde pela Promotoria, é função institucional do MP-AP zelar pelo efetivo respeito dos poderes públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados na Constituição Federal, assim como promover o bem-estar social.

“Com o TAC nós estamos buscando estabelecer diretrizes normativas e fixar as responsabilidades das instituições públicas e entidades privadas, em especial, quanto à adequação aos parâmetros de segurança da população e o controle rígido do horário de encerramento do evento. Esperamos que transcorra da melhor forma possível o evento para todos”, finalizou o promotor. 

Assinaram o TAC, o capitão do Batalhão Ambiental da Polícia Militar, Adriano Souza Rodrigues; o capitão do 4º BPM, Obed Santos Batista; o policial militar, Iram Andrade dos Santos; o tenente coronel do Corpo de Bombeiros do Amapá, Eliézer Menezes de Melo; o bombeiro Manoel Elino Nunes Viana; o agente do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), Everton Ferreira da Costa; o representante do Bloco Bebo Todas, Wendel Videira; do Bloco Porto Folia, Hamilton de Castro Vaz; da Leal Eventos, Vanildon Leal; do Bloco My Love, Waldir de Sá; da Liblomica, Orlando da Silva Duarte e Marco Aurélio de Melo Cardoso; da Banda de Santana, Magna Luz; da STTRANS, Josiney Pereira Alvez; do Conselho Tutelar, Rosicléo Pantoja Alves; da SEMDURH, Lindemberg Araújo Mota; do Bloco Abalou, Mário Brandão; e do Bloco Faraó, Itamar Nunes.

sábado, 23 de fevereiro de 2019

Audiência Pública apresentará estudo técnico sobre novo transporte urbano para Santana

Mais ônibus urbanos de qualidade. Essa é a proposta que será apresentada e debatida numa audiência pública que acontecerá no próximo dia 08 de março, tendo como assunto principal a questão sobre o serviço de transporte público na cidade de Santana. 

A audiência apresentará um estudo técnico e ainda debaterá soluções do setor que vem atualmente sofrendo com a carência de ônibus inexistentes para suprir os mais de vinte bairros da cidade. 

Os estudos que serão apresentados são um projeto básico para delegação do sistema de transporte coletivo na área urbana de Santana. 

O encontro também pretende auxiliar no desenvolvimento de um futuro processo licitatório para a contratação de uma nova empresa de ônibus, ainda este ano, que deverá atender os anseios dos usuários com mais conforto e segurança. 

O titular da Superintendência de Transportes e Trânsito de Santana (STTrans), Josiney Alves, garante que a gestão trabalha para avaliar as melhores formas do setor e assim incluir na nova licitação o número máximo de ônibus novos para atender os santanenses.

“Estudamos com nossas equipes de fiscais e agentes de trânsito as formas de como trafegam os ônibus urbanos na cidade de Santana, acompanhando o tempo de espera nas paradas e outras demandas que serão todas apresentadas nessa audiência”, adiantou Josiney ao blog. 

O encontro acontece na Câmara de Vereadores de Santana e deverá reunir os usuários do transporte coletivo, além de lideranças comunitárias, já com a confirmação de várias autoridades políticas e representantes de órgãos de trânsito municipal e estadual. 

Josiney reforça o convite para que a população participe do debate. “É importante essa participação, para que juntos possamos desenvolver o projeto e trazer para Santana o que há de melhor no mercado”, finaliza. 

Serviço: 
- Audiência Pública para Apresentação de estudo técnico sobre o sistema de transporte coletivo urbano de Santana. 

Data: 08/03/2019, às 09h da manhã 

Local: Câmara de Vereadores de Santana (Rua Ubaldo Figueira, s/n, Centro).

‘Novo Amapá’: Peça teatral lembra 39 anos do naufrágio com poesia e homenagens

Os 39 anos do maior naufrágio do estado serão lembrados com poesia e homenagens no espetáculo "Novo Amapá", que acontece no sá...