sábado, 31 de janeiro de 2015

CEA começa trabalho de recuperação da iluminação pública

A Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), por meio da diretoria de Operação (DOP), iniciou uma frente de trabalho para recuperar os pontos da iluminação pública de Macapá. Inicialmente, os trabalhos começaram pelo centro da cidade, mas abrangerá todos os bairros da capital, incluindo praças e logradouros públicos. 

A CEA está investindo mais de R$ 4 milhões na recuperação da iluminação pública em todo o Estado. Para executar o serviço, a Companhia de Eletricidade contratou uma empresa especializada em manutenção de rede de distribuição de iluminação pública. 

Seguindo determinação da Resolução nº 414 da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que confere a responsabilidade da iluminação pública aos municípios, a Companhia de Eletricidade está promovendo as medidas administrativas necessárias para conclusão desse processo de transferência, e está assinando acordos com as prefeituras, por meio dos quais assume o compromisso de realizar a manutenção do sistema de iluminação, mesmo após a assinatura dos termos. 

Além da capital, a frente de trabalho vem atuando também na recuperação da iluminação pública dos municípios de Santana, Laranjal do Jari, Tartarugalzinho e Itaubal. Nos demais municípios a execução do serviço depende de entendimentos entre a Companhia de Eletricidade e as prefeituras, cujos processos estão em andamento. 

A CEA pretende regularizar o serviço de iluminação em todos os municípios para que eles o recebam dentro da qualidade que se exige. De acordo com a diretoria da empresa, pode ser que esse serviço continue sendo feito pela Companhia de Eletricidade, mas isso vai depender de negociações com as próprias prefeituras. 

Os atos de vandalismo ainda lideram a lista de causadores de dificuldades na iluminação pública. Eles geram problemas que vão desde a quebra das lâmpadas até o roubo de fios e outros equipamentos, comprometendo todo o sistema de iluminação. Essas situações são mais comuns nas praças.

Deputado Jory articula melhorias para as unidades de saúde de Santana

O deputado estadual Jory Oeiras (PRB/AP) reuniu-se na manhã da última terça-feira, 26/01, com o secretário de Saúde do Estado, Pedro Leite, a fim de solicitar medidas urgentes para garantir o atendimento aos pacientes do Hospital Estadual, Pronto Socorro e Maternidade de Santana. Na segunda-feira, 25, o deputado se encontrou com a médica Joana Aquino e o diretor do Hospital, Eliseu Almeida, de quem tomou conhecimento das necessidades das unidades, principalmente na parte de medicamentos, materiais e combustível. 

Diante das necessidades mais urgentes apresentadas pelo deputado Jory Oeiras, o secretário Pedro Leite e seu adjunto, Dr. Joel, visitaram o complexo hospitalar de Santana, ainda na tarde de terça-feira, e, de antemão, resolveram a questão do combustível e disponibilizaram medicamentos para o pronto atendimento e unidades de internação. 

O secretário garantiu que até o dia 10 de fevereiro estará repassando o Fundo Rotativo do Hospital, relativo à parcela atrasada de dezembro e a integral de janeiro, que dará para cobrir outras despesas das unidades. Outra boa notícia é à compra de um aparelho de ultrassom, que deverá ser instalado no Hospital nos próximos dias. 

Em conversa com os servidores, Pedro Leite tranquilizou o pessoal do contrato administrativo e ressaltou que a Sesa deverá pagar um mês de salário aos terceirizados até o dia 10 de fevereiro, sendo que o restante dos atrasados entrará na pauta de negociação com as empresas. Com relação às obras dos blocos da maternidade, pediatria e UTI neonatal, o secretário conversou com o engenheiro responsável e autorizou o reinício dos serviços, tendo, inclusive, assumindo o compromisso de terminar as instalações físicas, cujo processo já vem se arrastando há vários anos. 

Sobre a visita das autoridades de saúde ao complexo hospitalar de Santana, o deputado Jory Oeiras disse acreditar na disposição da equipe da Sesa, comandada pelo secretário Pedro Leite, em resolver os problemas das unidades hospitalares do Estado. Ele agradeceu, em nome da população santanense, as medidas emergenciais que foram tomadas para amenizar os problemas do complexo e solicitou uma atenção especial ao município, para que a população não tenha que se deslocar até Macapá a fim de resolver seus problemas de saúde.

(Por Jorge Bittencourt/Ascom)

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Governo cede terrenos a prefeituras para execução de projetos do Calha Norte

O governador Waldez Góes assinou, na última quinta-feira, 29/01, dois Termos de Concessão de Direito Real de Uso que autorizam as Prefeituras de Macapá e Santana a utilizarem áreas de patrimônio estadual para execuções de projetos aprovados pelo Programa Calha Norte (PCN) – mecanismo federal de desenvolvimento e defesa da Região Norte. 

Os Termos de Concessão de Direito Real de Uso são medidas que vão possibilitar às prefeituras acesso aos recursos federais para execuções dos projetos no valor de R$ 1,6 milhão para Macapá, e R$ 2 milhões para Santana. As obras serão financiadas por recursos de emendas parlamentares dos deputados federais Evandro Milhomen e Fátima Pelaes, respectivamente. 

Em Macapá, uma área do bairro Novo Buritizal será disponibilizada para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico para construção da Feira Modelo, que vai beneficiar os trabalhadores informais da Zona Sul da capital. O terreno fica localizado na avenida Claudomiro de Moraes, onde antes funcionava a popular Feira Maluca. 

O prefeito de Macapá, Clécio Luís, destacou o compromisso do chefe do Executivo estadual na agilidade em resolver a questão para que os recursos não fossem perdidos. "Em pouco tempo o governador Waldez conseguiu destravar um documento que é fundamental para nós aplicarmos uma emenda em favor do povo de Macapá", destacou o prefeito. "Tínhamos um prazo para dar entrada na documentação da obra, senão a verba teria que ser devolvida para o governo federal", reforçou o secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Luiz Pingarilho. 

Para o município de Santana o Governo cedeu um galpão medindo 7.500 m², localizado no Mercado da Área Portuária, para a construção de um Centro Cultural. Este é o primeiro passo para a edificação do Complexo Orla de Santana. Ano passado a Assembleia Legislativa do Amapá aprovou, por unanimidade, um projeto de lei que autorizava o Governo do Estado a repassar essa área para Santana, mas o ex-governador vetou o projeto. 

"Estamos desde maio do ano passado tentando conquistar essa área, entretanto, por ranço político, o ex-governador vetou o projeto da Assembleia Legislativa. Somos um município carente. Não podemos perder recursos federais que serão aplicados em melhorias para os munícipes. O complexo vai gerar cultura, lazer e também emprego. Este investimento vem na hora certa", declarou o prefeito de Santana, Robson Rocha. 

Os termos foram concedidos através do Instituto do Meio Ambiente e de Ordenamento Territorial do Estado (Imap) e terão validade de 20 anos. A intenção do Estado é doar a área em definitivo, por meio de um projeto de lei de autoria do Executivo, que será enviado ao Legislativo para votação. 

Waldez Góes disse que a destinação das áreas do Estado para os municípios é a resposta do Governo do Estado em garantir apoio aos gestores de todas as prefeituras. "Vamos procurar sempre manter esse diálogo de forma harmônica com as prefeituras, para manter o nosso objetivo principal que é cuidar das pessoas e das cidades", afirmou o governador.

Suspeito de executar sargento Wanderley é preso no Pará

Homens do setor reservado de inteligência do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM) e da Promotoria de Investigações Cíveis e Criminais (PICC) do Ministério Público do Amapá, acabaram de prender no município de Monte Alegre (PA), um dos principais suspeitos de envolvimento no assassinato do 2º sargento da Polícia Militar do Amapá, Wanderley Costa Araújo, 46 anos, executado a bala na noite de 13 de dezembro do ano passado. 

O crime ocorreu no interior de um bar localizado na avenida Santana, em Santana, distante 17 quilômetros de Macapá. O policial estava de folga na hora do crime, e foi alvejado inicialmente pelas costas. 

De acordo com a assessoria de imprensa do 4º BPM, Angelo Rodrigues da Silva, o ‘Cabeludo’, estava domiciado no município paraense desde o crime. Contra ele existia um mandado de prisão em aberto. De acordo com o diretor de comunicação do Batalhão, sargento P. Alves, novas informações sobre a prisão estão sendo aguardadas, já que a equipe responsável pela prisão está em deslocamento com o preso. 

O crime
O 2º sargento da Polícia Militar, Wanderley Costa Araújo, 46 anos, foi executado à bala na noite de 13 de dezembro de 2014, durante uma emboscada em um bar localizado na avenida Santana, em Santana, distante 17 quilômetros da capital, Macapá. Pelo menos três homens são suspeitos de envolvimento na morte do policial, que estava de folga. 

Segundo testemunhas, os homens chegaram ao local em um carro escuro. O veículo parou em frente ao bar, mas do outro lado da rua. O sargento estaria de costas quando foi surpreendido pelos criminosos, sem chance alguma de defesa. Pelo menos quatro tiros foram disparados contra a vítima, sendo que um deles atingiu a cabeça de Wanderley que tombou morto no local. 

A arma do policial foi levada pelos bandidos. Na cintura de Wanderley estava apenas o coldre da arma. 

Os bandidos fugiram pela rodovia JK. Cerca de duas horas depois o automóvel foi localizado abandonado próximo ao Fórum de Santana. 

Durante a madrugada de domingo, 14, homens do Batalhão de Operações Especiais (Bope) prenderam, em Macapá, um dos suspeitos que foi identificado como Railton Cardoso Araújo, de 22 anos. 

Ele foi reconhecido por testemunhas, inclusive, de um posto de gasolina onde os suspeitos teriam abastecido o carro minutos antes do crime. O homem foi apresentado na Seccional de Flagrantes do Pacoval. 

A polícia chegou a ir ao endereço de Cabeludo, no bairro Infraero I, mas ele já havia fugido do local.

Sesa constata deficiências no Hemoap e Centro de Nefrologia

Depois de visitar e constatar deficiências nas sedes em dois dos mais importantes serviços oferecidos pela rede pública estadual de saúde, o Governo do Estado prepara um cronograma de ações emergenciais para garantir a manutenção desta demanda. 

As inspeções foram feitas nesta quarta-feira, 28/01, quando o secretário de Estado da Saúde, Pedro Leite, acompanhado de uma equipe técnica visitou o Centro de Nefrologia do Estado, em Macapá, e a unidade do Instituto de Hematologia e Hemoterapia do Amapá (Hemoap), situada no município de Santana. Foram constatados problemas de infraestrutura e falta de profissionais. 

Na nefrologia a deficiência na estrutura física do prédio abrange complicações na climatização dos ambientes onde são realizadas as sessões de hemodiálise para pacientes renais crônicos. 

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, uma empresa será contratada para fazer os reparos na rede elétrica, hidráulica e de refrigeração do Centro. "Precisamos oferecer tratamentos dignos para nossos pacientes. O acolhimento e ambiente são essenciais em qualquer tratamento", justificou.

Secretário de Saúde visita Hospital Estadual de Santana

Desde o início de sua gestão o secretário de Estado da Saúde, Pedro Leite, vem realizando uma série de visitas aos prédios do sistema estadual de saúde, a fim de verificar as condições estruturais e operacionais de cada unidade. 

Na terça-feira, 27/01, o secretário Pedro Leite acompanhado de seu secretário adjunto de Atenção à Saúde, Joel Brito, visitou o Hospital Estadual de Santana. Segundo os gestores, existem precariedades que precisam ser sanadas, mas que, de modo geral, não impedem que a unidade funcione. "Existe a carência no abastecimento de medicamentos e correlatos, mas com toda a dificuldade eles têm prestado o serviço à comunidade, especialmente na questão de maternidade", relatou o secretário. 

O Hospital vem prestando um bom serviço nos setores de maternidade e pediatria, contribuindo para a diminuição da demanda nos hospitais de Macapá. "Esses setores também têm algumas dificuldades, mas estão prestando atendimentos e percebemos que eles são muito importantes e bastante acionados pela população de Santana", comentou Pedro Leite, que acrescentou que a unidade ainda presta exames de média complexidade em radiologia. 

Para o secretário, uma das situações mais preocupantes apuradas durante a visita é a falta de projetos para realização de obras estruturais. "O hospital está precisando de algumas reformas estruturais, uma delas na entrada da emergência. O pior é que já existe recurso disponível para isso, só não foi usado por falta de projeto, o que é um absurdo!", enfatizou. 

Durante a visita também foi constatado que o setor de ortopedia está desativado devido à falta de profissionais e aparelhamento adequado. "Faltam profissionais e a renovação dos aparelhos, mas vamos, a médio prazo, ativar a ortopedia do Hospital, porque se o setor estiver funcionando nós vamos poder redirecionar todos os pacientes de Santana que vão ao Hospital de Emergências por conta de ortopedia", explicou Pedro Leite. 

O secretário informou que a unidade está sendo reabastecida com medicamentos, o que é prioridade de sua gestão, e que os recursos humanos serão otimizados para reativar os setores que estão parados e ampliar a oferta de atendimentos nos que estão funcionando. "Foi detectada a necessidade de reformas, reequipamento, além da falta de alguns profissionais, mas, no geral, o Hospital de Santana está funcionando e nós vamos fazer com que continue assim, cada vez melhorando mais a oferta dos serviços", concluiu o secretário Pedro Leite.

"Vilelão" passará por nova licitação

O secretário municipal de infra-estrutura de Santana, Alfredo Botelho, diz que a reconstrução do estádio Antonio Vilela terá que passar novamente por licitação. Ele informou que anteriormente o projeto estava orçado em R$ 800 mil. 

A informação foi dada depois que a imprensa televisiva exibiu uma reportagem sobre a atual situação da praça de futebol, colocando o secretário Botelho como um dos entrevistados.

O estádio Antônio Vilela, o Vilelão, está tomado pelo mato. Pessoas sem teto moram nas cabines de imprensa e fazem refeição nas arquibancadas, fazendo do local um espaço onde a higiene passa longe. 


“Rescindimos o contrato com a empresa responsável pela obra, inaugurada apenas com a primeira etapa, que inclui uma praça e lanchonetes. A parte do estádio, incluindo alambrados, arquibancadas, iluminação, cabines de imprensa e gramado, terá que ser licitada novamente. Temos laudos que indicam que a parte das cabines de imprensa terá que ser demolida e refeita. Já há recurso disponível, através de emenda de um senador, na ordem de R$ 500 mil, destinada para reiniciar a obra. Mas quanto à uma previsão para ser entregue, não temos”, informou o secretário. 

Enquanto a reforma ou restauração do Vilelão não sai, a Santana resta apenas o estádio Augusto Antunes, no afastado bairro Vila Daniel, que recebeu os jogos do Estadual de 2014, mas que no momento funciona de forma precária, recebendo apenas treinos.

Santana está há 36 dias sem registro de homicídios

O Governo do Estado do Amapá reforçou o policiamento em Santana já na primeira semana do mês de janeiro, quando foram deflagradas operações de combate ao tráfico de drogas e circulação de armas, além de blitz no trânsito. Contando com o efetivo de 296 policiais militares, o município presencia a diminuição de ocorrências e bate a marca de 36 dias sem homicídios na cidade. 

Com caráter preventivo, o trabalho mobiliza equipes da Companhia de Policiamento do 4° Batalhão do Município, que também foi responsável pelo levantamento que apontou saldo positivo no combate ao crime em Santana. Segundo este apanhado não foi registrado nenhum óbito desde o natal até hoje, diferente da estatística feita no mesmo período de 2014, que teve quatro óbitos. 

"Estamos intensificando o policiamento em todo o município e temos colhido bons resultados em prol da sociedade", frisou o comandante do 4° Batalhão da Polícia Militar de Santana, tenente coronel Aldinei Borges. 

A operação integra o conjunto de medidas adotadas para pluralizar as ações preventivas, inibindo a atuação de criminosos no Amapá. Durante os fins de semana as operações batizadas como "Saturação", têm retirado criminosos e armas de fogo das ruas daquele município.

Em visita, turistas se encontam com Carnaval amapaense

Cerca de 800 turistas do Reino Unido, Nova Zelândia, Estados Unidos e Alemanha conheceram nessa terça-feira, 27/01, o samba do carnaval amapaense. Eles foram recepcionados na Central do Carnaval, no monumento Marco Zero do Equador, na Zona Sul de Macapá. Foi a segunda vez que visitantes internacionais conheceram a cultura amapaense no período carnavalesco, na capital. 

No espaço montado no ponto turístico, os estrangeiros se agitaram com a animação da bateria da escola de samba Boêmios do Laguinho. Alguns ficaram empolgados e caíram no samba com os passistas mirins da agremiação e com a Corte do Carnaval Amapaense, composta pela Musa do Carnaval, Nega Vânia, pelo Rei Momo, Sucuriju, e pelo Cidadão do Samba Aureliano Neck. 

"Estou há pouco tempo aqui, mas percebi que o ambiente é fantástico. As pessoas são amigáveis, e está sendo muito interessante ouvir ao vivo esse tipo de música, que é linda, diferente do que já ouvi", disse o turista nova-iorquino Norman Wish, de 72 anos. O turista falou que visita pela primeira vez o Brasil, para comemorar o aniversário de 70 anos da mulher. 

Na visita ao Amapá, os turistas também conheceram a história do fenômeno do equinócio, o artesanato local e a exposição temporária "Mestre-Sala e Porta-Bandeira – Os guardiões da folia", que mostra a magia que envolve dois dos mais tradicionais personagens dos desfiles de carnaval. 

O guia turístico Alex da Cunha disse que os turistas chegaram ao Amapá no início da manhã desta terça-feira (27), vindos de Manaus, no transatlântico Marco Polo, de bandeira inglesa. Os estrangeiros conheceram o monumento e partiram para visitas a outros pontos turísticos da cidade, como a Fortaleza de São José, a Casa do Artesão e o Museu Sacaca. 

Marco Polo é o primeiro transatlântico que visita o Amapá em 2015. Os visitantes farão pernoitaram em Santana, onde o navio está aportado e seguiram viagem para o Caribe no dia seguinte.

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Polícia alerta sobre conhecido golpe em caixas eletrônicos

O 4° Batalhão da Polícia Militar do Amapá (4BPM), através da CERM (Companhia Especializada em Radiopatrulhamento Motorizado), identificou neste Domingo, 25/01, um novo golpe aplicado nos caixas eletrônicos das agências bancárias do Município de Santana. 

Os infratores utilizam de uma espécie de placa falsa (Tarjeta preta) para bloquear a janela por onde são emitidas as células de dinheiro deixando-as, então, retidas sem o usuário saber. 

Apesar da fraude ter sido identificada em uma agência bancária da Caixa Econômica Federal do município de Santana, a PMAP orienta todos usuários e clientes de qualquer agência, de qualquer município do Estado, a tomar o devido cuidado.

Prefeito de Santana garante prejuízos causados por Nogueira

Ouvido pela imprensa local, o prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), afirmou que ‘não retira uma única vírgula’ do que falou sobre o ex prefeito Antonio Nogueira (PT): ‘Não são críticas feitas aleatoriamente, mas, sim, verdades que precisam ser ditas para que a população tome conhecimento dos desmandos praticados por ele’. 

De acordo com Robson, os cerca de R$ 100 milhões de prejuízos que Nogueira causou aos cofres públicos estão todos comprovados através de documentos em um total de 20 ações civis públicas em trâmite na Justiça: “Em apenas uma dessas ações, para se ter ideia, já houve até bloqueio judicial de todos os bens do ex prefeito e, inclusive, uma ação criminal aconteceu nesta semana, e a Polícia Federal foi até à casa dele, de onde o conduziram coercitivamente”. 

“Ele tenta mascarar os maus feitos de uma administração desastrada, incompetente e que em nenhum momento pensou no povo de Santana. Tenho documentos que provam a falta de respeito com o dinheiro público. São mais de R$ 40 milhões de dívida com o Instituto de Previdência de Santana (Sanprevi); com a Receita Federal, só em multa o município deve mais de R$ 25 milhões por culpa do Nogueira, além de R$ 4,7 milhões que o governo federal está cobrando judicialmente, quantia essa que o ex prefeito retirou indevidamente de convênios; 7 milhões de contratos administrativos, através do ‘servidor voluntário’ que ele criou, e mais de R$ 5 milhões em prejuízos por obras paralisadas na administração, entre as quais o Restaurante Popular, a bacia de decantação e a lixeira pública”, reclamou Robson.

Macapá, Mazagão e Santana ganham linha de ônibus adaptados

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) confirmou que a empresa Filadelfia já está em operação na linha Macapá-Santana-Mazagão. A entrada da empresa é fruto de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado ainda em julho de 2014 entre o Setap, Secretaria de Transportes do Estado, Câmara de Vereadores de Mazagão, Ministério Público e Associação dos Deficientes Físicos do Amapá. Principalmente os cadeirantes reclamavam que os veículos que realizam o transporte alternativo não eram adaptados para atende-los. 

Sem que a cooperativa que atende a linha pudesse fazer investimentos para aquisição desses veículos, o Ministério Público recorreu ao Setap. Foram colocados inicialmente dois veículos que saem de Macapá, passam por Santana e vão até Mazagão Novo. Com a construção da ponte sobre o Rio Matapi, a frota será ampliada e outras linhas serão interligadas a esse itinerário, reduzindo o tempo de espera. 

De acordo com o TAC, os ônibus ficarão operação com autorização da Setrap até a realização da licitação para operação de transporte coletivo no trecho metropolitano, o que deve ocorrer assim que a ponte sobre o rio Matapi for concluída. 

A população de Mazagão aprovou a ideia e os cadeirantes também. “Os ônibus são compactos, com sistema para receber o cartão de bilhetagem eletrônica e a preços bem mais acessíveis que os veículos alternativos, além de comportarem melhor as cadeiras de rodas do que as vãos que já operam”, atestou José Carlos, da Associação dos Deficientes Físicos do Amapá.

Amapá recebe primeiro navio de turistas este ano

Na próxima terça-feira, 27/01, atraca no porto da Companhia Docas de Santana (CDSA) o primeiro transatlântico vindo ao Amapá no ano de 2015. A vinda do navio ao Estado faz parte do programa de incentivo ao turismo realizado pelo Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Santana. 

O navio Marco Polo vem de Santarém (PA) e traz mais de mil turistas ao Estado. Apesar da permanência de um dia, programações de visitas aos pontos turísticos da capital amapaense já foram programadas. A nacionalidade dos turistas não foi informada. 

Está previsto que o navio ancore no porto da CDSA às 07h30min da manhã de terça-feira e prossiga viagem para a Guiana Francesa no dia seguinte a partir das 8 horas da manhã.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

"Canário" intensifica treinos visando estreia na Copa do Brasil

O representante amapaense na Copa do Brasil de Futebol Feminino, o Santana Esporte Clube, popularmente conhecido pela torcida como 'Canário do Porto', intensifica a preparação para a competição nos treinamentos e realizando amistosos. A equipe, ainda longe de estar definida, estreia diante da Tuna Luso-PA no dia 04 de fevereiro no estádio 'Zerão' em Macapá. 

O time tem como técnico Arenildo Almeida, que já comandou o Santana em outras competições nacionais. O treinador teve pouco tempo para formar o elenco, que conta com 19 atletas. Além disso, o estádio Augusto Antunes, na cidade de Santana, ainda não oferece condições de treinos em virtude do péssimo estado do gramado e da iluminação. Apesar disso, Almeida acredita que até a estreia terá um time ideal. 

"A gente vem enfrentando algumas dificuldades para os treinamentos. Estamos realizando os trabalhos há apenas quinze dias e é pouco tempo, tendo em vista a seriedade da Copa do Brasil e do adversário que merece respeito. Apesar disso temos um grupo forte e com jogadoras que sabem da responsabilidade. Por isso estão treinando forte para estarem bem até a estreia", disse. 

Arenildo disse que ainda tem muitas dúvidas para a formação do time: o setor de meio campo é onde tem mais preocupação e por isso vem realizando partidas amistosas. A equipe que está sendo montada conta com atletas dos municípios de Macapá, Santana, Mazagão e Laranjal do Jari. Uma das apostas do treinador é na atacante Gláucia, que pode surpreender na estreia. 

"Por enquanto estamos realizando o trabalho físico e tático e com os amistosos vamos buscando dar ritmo de jogo ao time. A principal dúvida é no setor de meio campo, mais precisamente, no meia de ligação com o ataque. Vamos definir isso na próxima semana, mas já no ataque uma das apostas será na Gláucia, que tem correspondido nos treinamentos e pode ser o destaque já na estreia", afirmou o treinador. 

A comissão técnica ainda aguarda a liberação do estádio 'Zerão' para que a equipe realize alguns treinos no campo de jogo. Nesta quarta-feira (21/01) o amistoso será contra o time do Igarapé da Fortaleza e no domingo (25/01) irá para Serra do Navio, cidade situada a quase 200km de Macapá, onde enfrenta a seleção local.

Rocha Robson questiona situação deixada por ex-gestor

Em entrevista concedida numa emissora de rádio de Macapá, nesta quarta, 21/01, o prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), além de responsabilizar Antônio Nogueira (ex-prefeito santanense) pela crise financeira por que passa o município — ainda administrando dívidas deixadas por ele, algo em torno de R$ 100 milhões, também queixou-se do ex-governador Camilo Capiberibe, a quem atribuiu ter agido de ‘má fé’, por promessas nunca cumpridas e até convênios, que embora assinados, não se materializavam, “porque nem todos tiveram recursos repassados”, espeta. 

Rocha reconhece que a prefeitura ainda deve na prestação de um melhor serviço à população, inclusive na saúde, um segmento ainda carente de investimentos mais significativos, apesar de avanços já conseguidos, se comparado ao estado de abandono quase absoluto deixado pela administração que o antecedeu. 

Ele também admite, por exemplo, que as vias públicas estão necessitando de serem melhor cuidadas e volta a culpar Camilo. 

“Fomos enganados pelo ex-governador, que não contemplou o município com o asfalto que prometeu. Longe de ser descaso ou má gestão de nossa parte. É tudo por falta de dinheiro, porque nossa arrecadação é insignificante [piorou com o desabamento do Porto da Icomi] e o repasse do FPM é quase todo destinado à folha de pessoal”, disse o prefeito, pedindo um pouco mais de paciência de munícipes e garantindo que 2015 será o ano com melhores ventos soprando em favor de Santana. 

Enfim, disse que também ajudou a eleger Waldez Góes e que o conhece muito bem pra ter certeza que não vai dar as costas pros santanenses, ‘que maciçamente votaram pela eleição dele’, concluiu.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Amapaense nota mil no Enem diz que na infância escrevia todos os dias

Andria Sá, a Estudante amapaense Nota 1000
Com a mãe e quatro tias professoras, a amapaense Andria Sá, de 21 anos, diz que não foi muito difícil estudar e tirar nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Apesar da tranquilidade para dissertar, a amapaense do município de Santana comemora com surpresa a nota máxima, alcançada por 250 dos mais de 6,2 milhões de concorrentes do exame em 2014. 

“Sempre foi incentivo da minha família, que exigiu muito de mim. Na infância fazia redações todos os dias para ter o hábito de gostar de escrever e ler. Para aquilo não se tornar uma obrigação e eu acabar desistindo, escrevia as redações no meu diário, o mesmo onde escrevia meus segredos”, brinca Andria, que obteve a nota 524 na média das cinco provas. 

A estudante, que já é formada em educação física, diz que fez o Enem apenas para testar os conhecimentos. Ela planeja no futuro ingressar na área de fisioterapia. 

Andria ainda guarda os diários com as primeiras redações que escreveu, além dos livros comprados pela mãe, de vários gêneros, de romances de Machado de Assis até os contos clássicos como Rapunzel e Cinderela, dos Irmãos Grimm. 

“Esperava uma nota boa, mas não a máxima, e ficar num grupo seleto de 250, e só 250, em todo o Brasil é surpreendente. O tema também ajudou, pois algumas leituras que usei no meu TCC [Tese de Conclusão de Curso] eram relacionadas à publicidade infantil e à relação entre crianças com elas mesmas. Terminei o texto até com medo, pois citei alguns autores que deixaram a redação com cara de monografia, mas deu certo”, lembra. 

Outra paixão que levou Andria a entrar de vez no caminho da leitura e da escrita, incentivada pelo pai, foram as palavras cruzadas. A jovem conta que na adolescência dela os dois se tornaram amantes do passatempo. Atualmente ela tenta incentivar o filho de quatro anos a seguir pelo caminho das letras com a leitura de livros e revistas. 

“Esse resultado me fez ver a importância de ler para o desenvolvimento de uma pessoa. Ela é facilitadora para qualquer um, pois não existe prática sem teoria e nem teoria sem prática. Quem não lê, não tem conhecimento e nunca vai conseguir colocar suas ideias no papel. Mas antes de tudo a pessoa tem que gostar de ler, não adianta os melhores autores se não há o gosto pela obra”, sugeriu Andria.

Carnaval de Santana prevê cerca de 50 mil brincantes por noite

O Carnaval 2015 no município de Santana acontecerá de 14 a 21 de fevereiro, no Corredor da Folia que será montado no Centro do município. Vão passar pelo local oito blocos e são esperados cerca de 50 mil brincantes por noite, avalia a organização do evento. 

De acordo com o presidente da comissão responsável pela festa, Anselmo Pereira Brandão, a programação inicia no dia 14 de fevereiro (sábado), continua nos dias 15, 16 e 17 de fevereiro, e encerra no dia 21, com quatro blocos estilo "micareta" por noite. No dia 21 de fevereiro, o corredor receberá uma atração nacional que ainda não foi definida pela comissão, informou Brandão. 

Os ingressos já começaram a ser comercializados, inicialmente camarotes e abadás. O acesso às arquibancadas cobertas será gratuito para a população. A festa também deve contar com um esquema de segurança através do monitoramento feito pela Polícia Militar com até 12 câmeras de vídeo, segundo Anselmo Brandão.

456 pacotes de carvão são apreendidos em Santana

O Batalhão Ambiental da Polícia Militar apreendeu no domingo, 18/01, 456 pacotes de carvão vegetal produzido de maneira irregular. De acordo com a polícia, o material estava guardado em um terreno na comunidade Matão do Piaçá, localizada no município de Santana. O Batalhão informou que os responsáveis pela produção do material não possuíam o certificado emitido pelo Instituto de Meio Ambiente e Ordenamento Territorial do Amapá (Imap), documento necessário para a produção de carvão vegetal no estado. 

Os policiais chegaram ao local após denúncia de vizinhos que vivem nas proximidades do Ramal 1 da comunidade. Uma mulher, proprietária do lote, foi conduzida até a delegacia de polícia do município para prestar esclarecimentos. 

Segundo a sargento Alcilandra Rego, além da produção irregular de carvão, moradores também reclamaram do desmatamento na região. “A equipe foi ao local e constatou a veracidade dos fatos. O empreendimento foi interditado e a responsável foi apresentada na delegacia. Eles armazenavam o produto em pacotes de dois quilos que seriam comercializados”, esclarece.

Queda de guindaste na CDSA impressiona nas redes sociais

Está fazendo sucesso nas redes sociais imagens do tombamento de um guindaste no porto da Companhia Docas de Santana (CDSA), no município topônimo. O acidente fez o guindaste ficar “em pé” após um possível desequilíbrio no carregamento de contêiner no pátio da área portuária. Não houve registro de feridos. 

A assessoria de comunicação da companhia informou que o acidente aconteceu no sábado, 17/01. 

Uma perícia deve ser realizada no local pela Polícia Técnico-Científica (Politec) para apontar o motivo do tombamento do guindaste. 

Outro veículo semelhante deverá ser usado para retomar o guindaste à posição normal. A região do acidente foi isolada pela equipe de segurança da Companhia Docas de Santana.

Jovem é preso em flagrante após assaltar duas mulheres em Santana

Um jovem de 19 anos foi preso na tarde de sexta-feira, 16/01, em Santana, suspeito de ter assaltado duas mulheres no centro da cidade. De acordo com o sargento Ferro, do 4º Batalhão de Polícia Militar (4º BPM), que comandou a prisão, o crime foi presenciado por uma testemunha que acionou a central do batalhão via telefone. 

“De posse das informações da vítima, seguimos até um endereço onde supostamente o assaltante estaria. Quando chegamos ao quarto onde ele mora a porta estava fechada, mas já tínhamos informações concretas de que o suspeito estava lá dentro. Demos ordem para ele abrir, e ao fazer as buscas encontramos as jóias, celulares e dinheiro levados das vítimas”, revelou o sargento. 

Além disso, os policiais encontraram a arma usada no crime, revólver calibre 38 com cinco munições intactas e numeração raspada. Um segundo elemento envolvido no assalto foi identificado, mas conseguiu escapar ao cerco. 

O assaltante preso foi identificado na 1ª Delegacia de Polícia de Santana como Marcos Matheus Rodrigues Melo. Ele foi reconhecido pelas vítimas. O suspeito foi indiciado pelos crimes de assalto à mão armada e porte ilegal de arma de fogo. O delegado representou pela prisão do jovem e aguardava decisão da Justiça para encaminhá-lo ao Iapen. O outro suspeito está sendo procurado.

“Sistema Elétrico do Amapá está sobrecarregado”

Engº Marcos Drago, da Eletronorte/Amapá
Foi desta forma que o gerente regional das Centrais Elétricas do Norte (Eletronorte) Engenheiro Marcos Drago afirmou na manhã da última terça-feira (20/01) durante uma entrevista concedida numa emissora de rádio na capital, explicando aos ouvintes sobre o maior blecaute já ocorrido no setor elétrico do Amapá no século XXI. 

“Fomos informados ainda na madrugada da segunda-feira (19) sobre o ‘apagão’ que havia atingido grande parte do Estado do Amapá. Nossa equipe de sobreaviso chegou ainda de madrugada na subestação Termelétrica de Santana e constatou que o problema era bem maior do que esperavam e tiveram que aguardar o dia amanhecer para que providências mais eficazes fossem tomadas”, relatou Marcos Drago, ao tomar conhecimento que uma linha de distribuição subterrânea havia se rompido, ocasionando a perda simultânea de várias máquinas geradoras da Usina Termelétrica de Santana (UTE/STN). 

“Além de Macapá e Santana, soubemos que pelo menos outros dez (10) municípios foram atingidos pela falta de energia. Claro que boa parte desse sistema foi logo normalizado pela manhã e ficou apenas a cidade de Santana comprometida por está dentro do circuito que foi mais afetado. É lamentável que esse problema não tenha sido totalmente resolvido, já que o sistema de distribuição de energia elétrica do Amapá encontra-se praticamente sobrecarregado”, complementou o gerente da Eletronorte no Amapá, cogitando sobre possíveis “apagões” que poderão ocorrer no futuro. 

Cabo rompido na área interna da UTE Santana
Interligação
Para o engenheiro Marcos Drago, a imediata conclusão nas obras de interligação do Linhão da UHE Tucuruí (PA) evite que blecautes como o ocorrido na última segunda-feira (19) voltem a deixar cidades como Santana às escuras por um longo tempo. 

“Estamos aguardando a entrega das redes de transmissão para acontecer antes do final deste mês, para que possamos efetuar a conclusão dessa importante etapa e energizar parte do Amapá pelo Sistema Nacional Energético. Isso com certeza trará melhores benefícios para nossa sociedade”, garantiu o engenheiro. 

O blecaute de segunda-feira deixou mais prejudicada a população das cidades de Santana e Mazagão, onde o município santanense teve o fornecimento de energia elétrica normalizado às 18hs daquele dia, e a cidade de Mazagão somente retomou com o fornecimento elétrico na tarde desta terça-feira (20).

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Estelionatário usava falso veículo oficial para aplicar golpes

Agentes da 2ª Delegacia de Santana prenderam nesta quinta-feira, 15/01, Joelson Santana da Silva, acusado de crime de estelionato. Ele prometia empregos em órgãos do Governo do Estado e das prefeituras de Macapá e Santana em troca de pequenas quantias em dinheiro. Para impressionar as vítimas, Joelson usava até um falso veículo oficial. De acordo com a polícia, o acusado estava com mandado de prisão em aberto desde o 2º semestre de 2014. 

A investigação, que foi conduzida pela delegada Luiza Maia, foi concluída depois que uma das vítimas reconheceu o estelionatário na manhã de hoje. “Nós já estávamos na busca do Joelson desde o ano passado, mas quando ele ficou sabendo do mandado de prisão fugiu do Estado. Hoje conseguimos encontrá-lo novamente e será encaminhado para o Iapen”, contou o agente de Adelson Gomes. 

No momento da prisão, Joelson estava aplicando um novo golpe. Tinha acabado de receber R$ 300 de uma pessoa que queria um emprego na Prefeitura de Santana. Para convencer as pessoas, Joelson montava o cenário usando carros adesivados com a logo do Governo do Estado do Amapá. “Ele dizia para as vítimas que tinha contatos e que poderia conseguir cargos na Prefeitura de Santana. Mas para isso se concretizar precisava ‘molhar a mão’ de algumas pessoas. Depois sumia com o dinheiro”, acrescentou o agente. 

As investigações apontam que Joelson também se passava por conselheiro Tutelar e comissário da Vara da Infância e juventude. “Conseguimos apurar que ele chegou a encaminhado dois menores para a Delegacia de Investigação de Crimes Infracionais (Deiai). Tudo montando para comprovar a sua ligação com o Judiciário. Depois desse teatro ele voltou para aplicar o golpe em umas pessoas que observaram a ação”, explicou Adelson. 

Como a lista de crimes é grande (estima-se ter enganado mais de 20 pessoas somente em Santana, com isso recolhido mais de R$ 18 mil pelo ato), a delegacia continua em busca de outras vítimas divulgando a foto do estelionatário.

SEME/STN garante retorno do passe-livre nos ônibus até Fevereiro

A Secretaria Municipal de Educação de Santana (Seme) informou que até o início das aulas na rede municipal, previsto para 23 de fevereiro, deve retornar à normalidade o passe livre estudantil. O benefício é dado a 1,5 mil estudantes da cidade e foi suspenso no fim de 2014, por falta de pagamento da prefeitura à única empresa de ônibus que atua dentro do município. 

A gratuidade no transporte público é ofertada aos estudantes durante todo o ano letivo, através de tickets correspondentes às passagens. A secretária de Educação, Antônia Guedes, disse que assumiu o cargo na segunda-feira (12/01) e ainda toma conhecimento da situação. Ela adiantou, no entanto, que já negociou os valores com a empresa para quitação dos débitos. A secretária não soube informar a soma da dívida. 

“Reunimos com o dono da empresa para fazer um acerto de contas. A secretaria está levantando o valor da dívida e estamos analisando a possibilidade de pagar à vista ou parcelar os custos para garantir o passe livre na volta às aulas. O programa é de governo e foi criado há mais de 10 anos, por isso não pode ficar desse jeito”, disse Antônia. 

A gratuidade é dada a todos os estudantes da rede municipal que se encontram em situação de vulnerabilidade econômica, em que são analisadas a renda e a distância do aluno até o local onde estuda. Para ganhar o benefício ele tem que morar até 1 quilômetro distante da escola. O município de Santana têm 16 bairros, onde circulam 25 ônibus em linhas municipais, além dos veículos que fazem itinerário para Macapá.

Mais de dois mil litros de combustível são apreendidos em barco

O Batalhão de Polícia Ambiental (BPA) apreendeu uma embarcação com 2,1 mil litros de combustível no rio Matapi, área distrital do município de Santana. Ele armazenava o material clandestinamente. Um homem que estava dentro do barco foi preso e levado à 1ª Delegacia de Polícia Civil da cidade. 

De acordo com o tenente Juraci Martins, as equipes do batalhão conseguiram chegar até o material apreendido após receberem denúncia anônima de moradores próximos onde a embarcação estava ancorada. "É mais uma apreensão de materiais inflamáveis sem o devido cuidado. Acreditamos que o barco estaria aguardando anoitecer para seguir viagem", comentou o militar. 

O preso na ação policial seria o piloto da embarcação. O proprietário não foi localizado pelo Batalhão Ambiental. O barco foi levado para a Capitania dos Portos.

quinta-feira, 15 de janeiro de 2015

Casa da Juventude de Santana é invadida e eletrônicos são furtados

A Polícia Militar (PM) procura suspeitos de invasão e furto de eletroeletrônicos da sede da Casa da Juventude (Caju) de Santana. O espaço foi arrombado no fim da tarde de quarta-feira (14/01). Do local, foram levados um televisor e três caixas de som que eram utilizadas nas atividades educacionais e musicais da casa, que atende 150 adolescentes diariamente. 

Segundo a polícia, no momento do furto não havia ninguém no local, que tem vigilância somente no período da noite. Após a notificação da invasão à polícia, os eletrônicos foram encontrados em uma área de mata no entorno da Escola Estadual Walcy Lobato. O coordenador interino da Caju Jonielson Góes disse que além do furto, foram praticados atos de vandalismo na instituição. 

“Fechamos aqui por volta de 15h30 e o vigilante chega às 19h e eles aproveitaram esse tempo para entrar aqui. Foram arrombando portas, derrubaram uma parede, e destruíram fechaduras. Alguns banheiros tiveram os vasos quebrados e ainda encontramos várias chaves das salas espalhadas nos fundos do centro”, conta Góes. 

Os danos no Caju começaram a ser reparados e não devem adiar o início das atividades no local, segundo o coordenador. A Polícia Técnico-Científica (Politec) realizou o trabalho de perícia ainda na noite de quarta-feira, mas ainda não apontou nenhum suspeito do crime.

Trabalhadores fecham mineradora para cobrar salários atrasados

Trabalhadores da mineradora Zamin realizaram uma manifestação nesta quinta-feira (15/01) para cobrar salários atrasados. Operadores portuários, operadores de manutenção e auxiliares de serviços gerais terceirizados fecharam a entrada da sede administrativa da empresa localizada no município de Santana, em um protesto que iniciou na madrugada. Segundo eles, o atraso dos vencimentos chega a quase cinco meses, além do pagamento de férias e 13º salário. 

Os funcionários também pedem esclarecimentos à empresa sobre a suspensão do vale alimentação, plano de saúde e assistência odontológica. A imprensa tentou contato com o setor de comunicação da mineradora, mas não houve retorno. 

Um operador portuário que preferiu não se identificar disse que a categoria não recebeu o pagamento de dezembro de 2014 e nem as férias e 13º. Ele contou que procurou por várias vezes o setor de recursos humanos da empresa e foi informado de que não tinha previsão de regularização. 

"A gente está numa situação muito difícil. Nem reclamar podemos pois se a empresa descobrir põe na rua. Apenas queremos receber o que é nosso de direito", reclamou. 

De acordo com o auxiliar de serviços gerais Júnior Souza, a situação é mais difícil para os terceirizados. Ele e outros 95 trabalhadores estão há quatro meses com salários atrasados e sem receber as férias de 2014 e o 13º. 

"A gente passou o Natal na pior porque não recebemos nada. Reclamamos para a empresa que nos contratou, mas eles falam que para pagar a gente a Zamin precisa fazer a transferência do dinheiro. Se não tivermos uma resposta vamos à Justiça do trabalho", informou. 

O operador de usina Armando Batista disse que faz parte do grupo de mais de 400 trabalhadores que foram demitidos em 2014. Ele contou que cumpriu aviso prévio até dezembro, mas até o momento ainda não recebeu a indenização trabalhista. 

"Ligamos para cá e eles falam que é para a gente esperar que o RH vai nos retornar. Estou esperando e nada desse retorno. Ainda estão me devendo um mês de salário. A gente sabe que o alto escalão está recebendo em dia e só nós estamos passando por esse descaso. Quereremos que a empresa nos esclareça sobre essa situação. Se não tiver resposta, a gente vai ser obrigado a procurar a Justiça", declarou. 

Demissões
Os desligamentos aconteceram em 2014 após a empresa anunciar “o término da capacidade de estocagem de minério de ferro, tanto em Pedra Branca do Amapari, município distante 183 quilômetros de Macapá, quanto em Santana, e o atraso nas obras de reconstrução do terminal de embarque de minério em Santana”. A estrutura a que se refere a empresa desabou em 28 de março de 2013, arrastando caminhões, guindastes e o minério estocado para o rio. Quatro pessoas morreram e duas continuam desaparecidas.

Sesa apresenta diretoria dos hospitais de Macapá e Santana

Aconteceu na manhã desta terça-feira, 13/01, no gabinete da Secretaria de Estado da Saúde, a reunião de apresentação dos novos diretores das Unidades Hospitalares de Macapá e Santana. 

A reunião foi realizada pelo secretário de Estado da Saúde, Pedro Leite e seus adjuntos, Fernando Nascimento e Joel Brito. Os secretários manifestaram suas intenções e pretendem manter um trabalho técnico, estreitando laços com todos os profissionais. "O nosso desafio é simples: é fazer funcionar a nossa saúde, temos que eleger as prioridades e nosso principal foco é o paciente. Para isso estamos aqui, e contamos com todos vocês para esta missão", disse Pedro Leite. 

Além da cerimônia de apresentação, os secretários discutiram outros assuntos como o orçamento de 2015, medicamentos, recursos humanos e materiais hospitalares. De acordo com o secretário Pedro Leite, o primeiro passo já foi dado com a nomeação dos diretores. 

Foram apresentados os seguintes diretores:
Zoraima da Costa – Diretora do Hospital da Criança
Nirce Carvalho – Diretora do Hospital da mulher
Fernanda Melo – Diretora da UPA da Zona Norte
Paulo André – Diretor do Hospital Alberto Lima
Ednilson Castro – Diretor do Pronto Socorro

Diagnóstico revela sucateamento dos postos do Sine de Macapá e Santana

Uma visita aos prédios do Sistema Nacional de Emprego (Sine) de Macapá e Santana proporcionou a dimensão da falta de investimentos nos últimos anos nestes locais. Os problemas mais comuns são infiltrações, banheiros danificados, falta de manutenção nas centrais de ar, equipamentos de informática obsoletos e internet lenta. O diagnóstico preliminar foi feito nos dias 8, 9 e 10 de janeiro pela nova gestora da Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo (Sete), Marciane Santo. 

Segundo o relatório da visita, no Sine, localizado em frente à Praça Floriano Peixoto, bairro do Trem, há boa vontade dos servidores em atender ao público, contudo, o problema são as condições de trabalho. O prédio necessita de uma reforma urgente e manutenção imediata dos equipamentos de informática. Algumas salas, que deveriam ser utilizadas para outros serviços, viraram depósito de sucata. As paredes estão com infiltrações e o telhado apresenta goteiras. 

"É triste ver um serviço tão essencial à sociedade ter sido tratado com tanto descaso pelo governo anterior. Os telefones não funcionam, não temos acesso ao sistema nacional para cadastrar o trabalhador e direcionar as vagas disponíveis. É preciso resgatar a credibilidade do Sine e atrair os empresários para que possam oferecer as vagas e o Sine fazer a intermediação", pontuou a secretária Marciane Santo. 

No prédio do Sine (Superfácil Centro), o movimento despencou. São três meses sem atendimento. Um dos gargalos é a falta de atualização das senhas junto ao sistema do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Sem isto, por exemplo, não é possível realizar o cadastro de vagas. 

Na Central do Trabalhador Autônomo (CTA), na avenida Claudomiro de Moraes, bairro Buritizal, logo de cara uma cena chama a atenção. O mato alto toma conta do entorno do prédio. Na área interna, a situação não é diferente. A maioria das salas apresenta infiltrações. O sistema de informática é antigo e em alguns ambientes sequer tem um equipamento. A internet não funciona há quatro meses, telefones mudos, falta material de expediente e até água para beber. 

O público alvo do CTA é o mercado informal. São trabalhadores cadastrados e que desempenham funções de carpinteiro, pedreiro, babá, caseiro, garçom, eletricista, cuidador de idosos, entre outras profissões. A maioria é contratada para fazer diárias. 

No CTA existem três veículos parados (uma pick-up, um caminhão baú e uma van) por falta de manutenção. O caminhão deveria estar sendo utilizado no apoio ao artesanato. "Estamos verificando que problemas eles apresentam e se é possível colocá-los em funcionamento. Não podemos deixar um patrimônio comprado com recursos do cidadão ser abandonado", avaliou a secretária. 

No Sine Santana, que funciona dentro do prédio do Senai (Vila Amazonas), o problema é a distância que o trabalhador tem que enfrentar para ser atendido. O espaço é alugado e o pagamento está atrasado. No local estão suspensos os atendimentos de seguro desemprego e seguro defeso. Outro problema detectado é a falta de manutenção na rede de computadores, goteiras no telhado, falta de telefone e falta de água. Para não sofrer descontinuidade nos serviços, a Secretaria do Trabalho Empreendedorismo colocou um servidor efetivo para gerenciar os serviços. 

Como solução, a secretária está buscando alternativas para instalar o Sine Santana em outro prédio. "Estamos verificando isso o mais rápido possível. Vamos conversar com a Prefeitura para utilizar a estrutura da antiga Câmara Municipal ou então em uma das salas do Centro Vitória Régia. Outra saída é verificar a possibilidade de instalar o Sine dentro do SIAC Superfácil, na área portuária de Santana", esclareceu. 

Na Zona Norte de Macapá, a Secretaria de Estado do Trabalho e Empreendedorismo mantém dois postos. Um é a Central do Trabalhador Autônomo (CTA), dentro do Projeto Minha Gente. O espaço tem uma boa estrutura, mas precisa de investimentos: novos computadores, internet e impressora. O atendimento está suspenso desde o início do ano. 

O último posto do Sine visitado na capital foi do Superfácil Zona Norte. Sem atendimento há três meses, o espaço vive o mesmo drama dos demais. Os servidores não conseguem acessar o sistema do MTE para cadastrar os trabalhadores, em especial quem procura por seguro desemprego, emprego e seguro defeso. Falta ainda um técnico para fazer a manutenção das máquinas e outro para gerir o sistema. Outro problema é quanto ao material de expediente. O ar condicionado também não funciona. 

A secretária vai agendar uma reunião com a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE) para discutir uma saída para o problema da falta de acesso do Sine ao sistema nacional. 

A previsão é que nas próximas semanas, uma equipe da Sete percorra os demais postos do Sine localizados no interior do Estado. "Não podemos deixar as pessoa sem o atendimento. Não vamos medir esforços para corrigir estes problemas e transformar o Sine numa referência ao empregador e ao empregado", finalizou Marciane Santo.

Vistoria elenca reforma de delegacias entre prioridades na segurança pública

O governador do Amapá Waldez Góes visitou na manhã desta terça-feira, 13/01, delegacias de Polícia Civil nos municípios de Macapá e Santana. Foram vistoriadas a 1ª Delegacia de Polícia de Santana, 2ª Delegacia de Polícia de Santana e a Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher em Macapá. 

A visita serviu para identificar os pontos que devem ser prioridade na situação estrutural da segurança pública ainda no primeiro ano de mandato. "Dentre os órgãos que tenho visto, os prédios da Polícia Civil são os que estão com estrutura mais debilitada, por isso suas reformas e reestruturação serão uma de nossas prioridades para esse ano", afirmou o governador. 

Como plano emergencial para a 1ª Delegacia de Polícia de Santana, que já teve a estrutura do prédio condenada pela Defesa Civil, o secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública, Gastão Calandrini, determinou a transferência imediata da equipe para o prédio da Unidade de Policiamento Comunitário (UPC) da fazendinha. "É apenas uma solução emergencial e temporária para resolver esse problema e tirar nossos servidores do risco de trabalhar em um prédio a ponto de cair, contudo, a solução que encontramos a longo prazo é a retomada da obra do Centro de Operações Integradas (Ciosp) de Santana", afirmou o Calandrini. 

Além da retomada da obra do Ciosp de Santana, o governador Waldez Góes destacou que em Macapá os centros também foram abandonados. "Os Ciosp do Congós, Novo Horizonte e Pacoval foram praticamente esquecidos, precisamos garantir que esses lugares retomem suas atividades dando todo suporte e estrutura para nosso servidores", afirmou. 

Acompanharam a inspeção o secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública Gastão Calandrini, a delegada-geral Maria de Lourdes, o presidente da Associação de Delegados Sávio Pinto, o comandante do 4º Batalhão de Santana, Aldinei Borges, o comandante-geral da Polícia Militar, José Carlos Pereira, e o secretário de Estado de Infraestrutura André Rocha.

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

População Santanense vive "Domingo Infernal" com apagões

Pelo menos 10 bairros urbanos da cidade de Santana passaram grande parte do dia do último domingo (11/01) sem poder desfrutar para um descanso. Tudo em virtude dos constantes desligamentos inesperados de energia elétrica, na qual causaram inúmeras reclamações pela população santanense, que ligaram já na manhã desta segunda-feira (12) para várias emissoras de rádio e televisão para denunciarem o desrespeito que lhe foram dados durante o longo período em que os “apagões” estiveram ocorrendo. 

De acordo com pessoas que ligaram ainda nas primeiras horas desta segunda-feira para uma emissora de rádio santanense, os “apagões” ocorriam a cada 15 a 20 minutos alternados, sendo que em um desses “apagões” o fornecimento de energia elétrica não mais retornou, ficando mais de 40% da área urbana de Santana sem energia elétrica entre 10h30minutos da manhã e somente retornando às 16hs da tarde. 

“Teve bairro que essa energia ficava piscando a cada 10 minutos, indo e voltando, e numa dessas piscadas só retornou perto das cinco horas da tarde”, denunciou o pedreiro José Evaldo, que reside com sua família em um conjunto habitacional nas proximidades da ferrovia, ao ligar para uma emissora de rádio para lamentar o descaso que a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) vem dando para seus usuários. 

“A gente paga em dias por uma energia de qualidade, e vem sendo dessa forma que a CEA vem nos tratando. Imagine se eu fosse um péssimo consumidor. Como será que ela me trataria?!”, questionou o pedreiro, que percebeu ter sofrido um dano material após o retorno do fornecimento de energia elétrica. 

“Só depois que a energia voltou no meio da tarde, vi que minha geladeira não estava mais funcionando. Chamei uma pessoa entende de refrigeração e me falou que o compressor central dela (geladeira) havia sido danificado com os possíveis apagões de energia elétrica. Agora vou acionar a justiça para a CEA tomar uma providência em cima dessa perda que tive”, lamentou José Evaldo. 

Contato 0800 inoperante
Assim como o pedreiro, outros consumidores da CEA acumularam reclamações sobre os “apagões” sofridos ainda no domingo. Outra reclamação da população estaria relacionada às constantes tentativas de contato através do telefone 08000960196, onde a população santanense alega não terem conseguido contato com a Central de Ocorrências da CEA, gerando maiores queixas e transtornos por aqueles que tentavam ligar para buscarem informações sobre os “apagões”. 

“Fiz mais de dez tentativas para falar com a central de ocorrências da CEA e não conseguia. Parece que eles não queriam atender a gente”, questionou a doméstica Maria da Conceição, ao denunciar pela imprensa radiofônica sobre o fato, tendo que apelar para a Polícia Militar. “Tiver que sair da minha casa e fui até lá na agência da CEA (em Santana) e o próprio vigilante falou que não podia fazer nada, por que não tinha contato com as equipes em Macapá. O jeito foi ter que ir até o Batalhão da Polícia Militar e falei da situação. A guarnição foi quem conseguiu falar com o pessoal da CEA de Macapá, que só assim informaram o que tava acontecendo”, relatou a doméstica, chateada. 

Causa Desconhecida
Segundo informações extraoficiais, a possível causa dos constantes “apagões” ocorridos durante o domingo (11) em Santana teria sido ocasionado pelo rompimento de um cabo de alta tensão na saída da Subestação Termelétrica de Santana, sendo necessário sua manutenção somente por técnicos que viriam de Macapá, o que poderia ter prolongado no tempo de normalização no fornecimento de energia elétrica. 

Os bairros santanenses que foram afetados por mais de seis horas sem energia elétrica foram: Paraíso, Mutirão, Parque das Laranjeiras, Fé em Deus, Jardim de Deus I e II, Fonte Nova e parte do bairro Comercial. 

A estatal de energia do Amapá (CEA) foi procurada para esclarecer sobre esses “apagões”, mas até às 10hs da manhã desta segunda-feira (12), ainda não havia sido pronunciada formalmente sobre a situação.

Sem tendas, população aguarda atendimento bancário sob sol escaldante em Santana

População aguarda debaixo de sol escaldante Desde a semana passada que centenas de pessoas enfrentam duas grandes batalhas ao procurar...