sábado, 24 de maio de 2014

Zamin Ferrous planeja retomada de operações na mina no próximo mês

O anúncio foi feito pelo gerente de Operações Portuárias da Zamin Amapá, Girimias Moura, durante o primeiro ciclo de palestras do Seminário de Logística e Offshore, que ocorre no Ceta Ecotel. O representante da multinacional suíça informou que a empresa planeja a retomada das operações nas minas para o dia 15 de junho, com a retirada das jazidas e estocagem do minério. 

Girimias Moura enfatizou, ainda, que a mineradora está atuando com agilidade com relação ao processo de licenças pendentes junto ao Governo do Estado do Amapá, para fazer com que a retomada de produção na usina, ocorra no mês de julho. 

A Zamin Amapá, com operações no porto, no município de Santana, tem mantido as atividades operacionais com embarques feitos por meio de barcaças, que atracam no píer fixo da Zamin Amapá, onde foram instaladas correias transportadoras. As barcaças fazem a transferência do minério para embarcações localizadas na Companhia das Docas de Santana (CDSA) e no porto próximo ao balneário do Distrito de Fazendinha. 

Segundo o gerente de operações da Zamin Amapá, o novo terminal portuário de minérios, será contemplado de uma tecnologia holandesa com a instalação de uma plataforma elevada que será fixada no fundo rio (Jack-up) e permitirá a atracação dos navios, substituindo o antigo píer flutuante. 

Após o acidente ocorrido em março de 2013, cuja infraestrutura do porto utilizado para o carregamento do mineral de ferro extraído da mina do município de Pedra Branca do Amapari, foi destruída por um deslizamento, causando a morte de seis pessoas, a mineradora atua no fortalecimento das medidas de segurança do porto. 

Após receber uma licença ambiental do Instituto de Meio Ambiente do Amapá (IMAP), a Zamin Amapá trabalha no processo de dragagem em sua área portuária, com vistas a aumentar a segurança no local, incluindo a construção de uma parede de diafragma, espécie de muro de contenção, na extensão da margem do Rio Amazonas, dentro da área da empresa. 

O grupo Zamin opera no Brasil desde 2005, com as minas Susa, no Rio Grande do Norte (RN), e Greystone, na Bahia. No Estado, a mineradora já opera a Zamapá Mineração desde 2011, e com a aquisição do Sistema Amapá, o grupo será fortalecido com o principal empreendimento na produção de ferro. 

O seminário “Amapá Logística e Offshore” realizado pelo Governo do Amapá, por meio da Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), continua nesta terça-feira, 20, com debates acerca da exploração de petróleo na costa do Amapá, logística e infraestrutura portuária para a indústria de petróleo, gás e combustíveis, licenciamento ambiental para atividade portuária e offshore, controle e polícia da navegação, licenciamento da atividade portuária e uma visita às instalações portuárias.

TRE-AP entregará novo Cartório Eleitoral de Santana em julho

A diretora geral do Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP), Odete Scalco, acompanhada do diretor adjunto e participante do Programa Eleitor do Futuro, Carlos Eduardo, visitaram, nessa quinta-feira 22/05, a obra do Cartório da 6ª Zona Eleitoral do município de Santana. 

Após a inspeção dos serviços, a gestora do TRE afirmou que o novo espaço, em fase de acabamento e conclusão, será entregue em julho deste ano e o povo da cidade já poderá contar com o espaço nas Eleições 2014. 

O Cartório está localizado na rua D 13, quadra 17, lote 2, na Vila Amazonas (próximo a antiga caixa d’água da Icomi). Com o novo espaço, servidores da Justiça Eleitoral da cidade terão melhores condições de exercer suas atividades e assim prestar um atendimento mais qualificado aos eleitores do município. Atualmente, o Cartório da 6ª Zona Eleitoral funciona no Fórum da Comarca de Santana, para atender o segundo maior colégio eleitoral do estado. 

O projeto do Cartório Eleitoral prevê Praça para uso comunitário, estacionamento, ampla sala de atendimento ao eleitor, recepção, salas para juízes e promotores, cozinha, dois banheiros sociais, um deles destinado a cadeirante, garagem e depósito de urnas. A obra, com 2.950 m², custou R$ 2.752.710, 23 (dois milhões, setecentos e ciquenta e dois mil, setecentos e dez reais e vinte e três centavos) provenientes de emendas parlamentares da Bancada Federal. 

Diretor adjunto
O estudante que acompanhou a visita tem 12 anos e cursa a 6ª série do Ensino Médio na Escola Argos. Ele foi nomeado diretor adjunto do TRE (simbolicamente) por meio do Programa Eleitor do Futuro, coordenado pela Escola Judiciária Eleitoral (EJE/TRE). 

O Programa Eleitor do Futuro, criado em 2003 pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), é desenvolvido nos TRE´s de todo o Brasil, buscando formar cidadãos mais conscientes de seu papel na construção de uma sociedade mais livre e democrática e ampliar o contingente dos eleitores jovens de 16 e 17 anos. 

No Estado do Amapá, a ação contempla mais de 20 escolas e milhares de futuros eleitores. Essa atividade se repete a cada ano, sempre no primeiro semestre, estimulando a reflexão crítica das crianças e a importância do processo de escolha dos nossos representantes.

Rodoviários passam por reciclagem

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) promove ao longo desta semana na garagem da empresa Sãothur, em Santana, a Semana Interna de Prevenção a Acidentes de Trabalho, no exercício 2014. O evento atende a uma exigência da legislação trabalhista. 

Nesta quarta-feira, 21/05, o foco foi a campanha Maio Amarelo, promovida pelo Departamento Estadual de Trânsito. O Maio Amarelo foi lançado dia 1º em todos os Detrans do Brasil pela Organização das Nações Unidas (ONU), e prossegue até dezembro deste ano com a meta de reduzir em 50% o número de mortes no trânsito até 2020. 

Na quinta-feira, 22, das 8h às 10h, acontece um trabalho de conscientização sobre hanseníase e à tarde uma palestra sobre segurança no trabalho e em casa. Na sexta-feira, 23, o evento encerra com palestras sobre conscientização da tuberculose e de direção defensiva.

Detran recupera sinalização na Duca Serra

O Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AP) prosseguiu nesta terça feira, 20/05, a sinalização e emplacamento de 18 quilômetros da Rodovia Duca Serra, no perímetro do Km 9, em Macapá, até a Avenida Santana como proposta de melhoria e buscando um trânsito mais seguro no Amapá. 

A equipe de engenharia começou a pintura com elastroplástico, que dá maior visibilidade aos condutores nas vias públicas. "Temos cerca de 18 quilômetros para realizar a pintura, bem como o emplacamento da avenida em dias de sol de modo a segurar a tinta e oferecer segurança aos pedestres e motoristas que utilizam a via nos dois municípios", explicou Luís Henrique, coordenador do Núcleo de Engenharia do Detran. 

Para o diretor-presidente do órgão, Aurivan Gomes, essas frentes de trabalho permitem um conjunto que contribui e muito com a melhoria do trânsito. "Esse é mais um conjunto de ações que o Departamento desenvolve em Macapá, formando um tripé em que a sinalização nas vias da cidade, a Operação Lei Seca e o Movimento Maio Amarelo buscam a redução dos acidentes e a valorização da vida das pessoas", justificou. 

O trabalho ocorre por toda semana, aproveitando os dias de calor em que a pintura horizontal pode obter maior acuramento (tempo necessário para que seque no asfalto) e, com isso, permanecer fixo na pista. Além da pintura, um grupo da engenharia coloca as placas verticais com o limite de velocidade e as placas indicativas dos logradouros e locais existentes no entorno da avenida, facilitando o reconhecimento das pessoas que passam ou transitam na Duca Serra. 

Depois da referida rodovia, o Detran iniciará os trabalhos na rotatória da JK, na Rua Hildemar e ainda no Jardim Marco Zero.

Governo age para atrair empresas para o Amapá

O governo do Amapá vai dar um grande passo para consolidar o estado como rota portuária de conexão com os mercados internacionais. Em parceria com a Prefeitura de Santana, o Executivo estadual criará um espaço especificamente destinado a receber toda a infra-estrutura necessária para a logística de escoamento dos principais produtos brasileiros de exportação: grãos, petróleo e bens industrializados. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Capiberibe na abertura do Seminário de Logística e Offshore, que ocorreu nessa segunda, 19, e prossegue hoje, 20, no Ceta Ecotel, em Macapá. 

O chefe do Executivo e o prefeito de Santana, Robson Rocha, assinaram protocolo de intenções que visa estabelecer etapas jurídicas para um decreto de desapropriação na Ilha de Santana. A área vai possibilitar ao estado dobrar a sua capacidade de infra-estrutura portuária para 721 hectares, naquela região. 

De acordo como governador Camilo Capiberibe, o espaço deverá atrair investimentos com capital público e privado para tornar o Amapá uma base de apoio à exportação. "Será uma área de expansão da logística e infra-estrutura portuária, como estocagem e entreposto para o agronegócio, a indústria em geral e a exploração de petróleo na costa amapaense. Trata-se de uma Zona de Processamento de Exportação, uma ZPE, para a qual já temos assegurados R$ 20 milhões destinados à implantação", explicou. 

O governador palestrou sobre as potencialidades econômicas do estado e do Porto de Santana. Ele explanou como o governo investiu em infra-estrutura de modo a preparar o Amapá para entrar na rota dos mercados internacionais, com foco para os Estados Unidos, Ásia e Europa. 

Para uma plateia composta de investidores locais e de outros estados, estrangeiros e autoridades políticas, o governador mostrou os resultados da aplicação dos recursos oriundos da operação de crédito feita junto ao Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que prepararam o terreno para a implantação da rota comercial via Porto de Santana. 

O governador destacou os investimentos em: Transporte, como a pavimentação de vias como as rodovias Norte/Sul e BR-156, Ramal do Bacabinha, a construção da Ponte do Rio Matapi; Energia e Comunicação, com as obras de conexão com o Sistema Interligado Nacional (SIN), através do Linhão de Tucuruí, e a chegada da Banda Larga; a universalização da distribuição de água tratada, os programas de Habitação, com os conjuntos Macapaba e o futuro Miracema. Ele evidenciou, ainda, atividades econômicas para a produção agropecuária, pesqueira e extrativista amapaenses, além de políticas já consolidadas nos segmentos da Educação e do Esporte. 

O vice-presidente do Congresso Nacional, senador Jorge Viana (AC), enfatizou a iniciativa do Amapá como fundamental como solução para o desenvolvimento da Amazônia e do país. "A posição geográfica do Amapá e a preparação do Estado feita pelo governador Camilo Capiberibe já são uma alternativa de solução para os gargalos do setor portuário brasileiro. Esse plano que o Amapá está desenvolvendo é fundamental para o desenvolvimento das exportações brasileiras e da Região Norte", analisou o senador. 

Seminário
Com o tema "Interligando o Brasil ao Mercado Internacional", o evento vai possibilitar aos agentes envolvidos firmarem pactos de gestão e consolidação das atividades que farão das áreas portuárias um espaço multimodal, tornando-se uma alternativa de escoamento de grãos, principalmente a soja – entre outros produtos do agronegócio. 

Cristiano Almeida, representante da empresa Queiroz Galvão, que é uma das empresas que lidera pesquisa de prospecção de petróleo na costa do Amapá, enfatizou as experiências de Macaé e Rio das Ostras, cidades do Estados do Rio de Janeiro, que destinaram áreas para implantação das empresas que servem de base para operação de exploração de petroléo. Ele se surpreendeu com o governo do Amapá que já aponta para isso, quando destina área de 721 hectares para instalação da empresa na Ilha de Santana.

Governo mostra cenário econômico para estrangeiros

É aberto nesta segunda-feira, 19/05, para ser encerrado amanhã, 20, no Ceta Ecotel, o seminário “Amapá Logística e Offshore” para apresentação do cenário econômico e as condições de desenvolvimento e oportunidades para investimentos no estado. 

O seminário, organizado pela Secretaria de Estado da Indústria, Comércio e Mineração (Seicom), é destinado a investidores de todo o mundo e órgãos do governo federal ligados aos portos e exploração de petróleo. 

Durante o evento, o governo do Amapá assinará decretos destinando áreas para empreendimentos serem instalados no estado com incentivos fiscais. “Temos conversado com os empresários, e uma das maiores solicitações diz respeito à destinação de áreas para que eles se estabeleçam aqui. Isso é bom porque, instalando-se no Amapá, serão mais postos de trabalho gerados, além de incrementar a arrecadação de receita em vários municípios”, frisa o secretário da indústria, comércio e mineração, José Reinaldo Picanço. 

O secretário entende que a entrada em funcionamento da Zona de Processamento de Exportação (ZPE), em Santana, vai ajudar ainda mais a melhorar as relações comerciais com o mercado exterior. Picanço informa que o governo conseguiu financiamento de R$ 20 milhões junto ao BNDES para investimento na ZPE. 

O governador Camilo Capiberibe aposta na atração de investidores, o que reverteria o quadro de dependência econômica relativa à administração pública. “Aumentar a oferta de emprego e renda no estado, e melhorar a qualidade dos serviços públicos à população, esses são os principais desafios que estamos dispostos a avançar”, destaca Camilo. 

A mobilização incluiu reuniões com empresários em visita a outros estados, como o Mato Grosso, que gerou interesse em montar uma base no estado para escoamento de grãos. Outro ponto foi a missão oficial ao Panamá para conhecer a estrutura logística do Canal do Panamá; do Parque Logístico e da Zona de Livre Comércio de Cólon, tendo como resultado uma visita de retribuição ao governo do estado da embaixadora daquele país, Gabriela Garcia Carranza, que também prometeu voltar para estreitar as relações comerciais com o Amapá.

quinta-feira, 15 de maio de 2014

Sejusp inaugura sala de mediação de conflitos na UPC do Igarapé da Fortaleza

O Governo Amapá, por meio da Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp), realizou na manhã desta quinta-feira, 15/05, a primeira assembleia comunitária no Distrito do Igarapé da Fortaleza, em Santana. A iniciativa teve como objetivo aproximar e a população da Unidade de Policiamento Comunitário (UPC), instalada no local. 

Na oportunidade, também foi entregue a comunidade uma sala de mediação de conflitos no prédio da UPC, onde a Polícia Militar e MP Comunitário, estarão prestando serviços de assistência a comunidade, a família, na resolução de problemas e conflitos entre a comunidade sem precisar usar do poder judiciário. 

As UPC's são uma ferramenta que o governador Camilo Capiberibe adotou para unir polícia e comunidade. Por esse motivo, as unidades estão recebendo cursos de capacitação e também projetos sociais, voltados para resolução de problemas e conflitos. 

A Coordenadoria de Segurança Comunitária da Sejusp é a responsável em levar a capacitação para as comunidades e lideranças dos 16 municípios do Estado. 

A UPC do Igarapé da Fortaleza foi à primeira contemplada com a assembleia comunitária, que tem como intuito discutir segurança pública, problemas frequentes, e assim, buscar soluções junto à comunidade. 

De acordo com o secretário de Estado da Justiça e Segurança Pública, Nixon Kenedy, a primeira assembleia comunitária tem o intuito de fortalecer o trabalho das forças de segurança pública. 

"A UPC não consiste apenas em uma obra física, ela é muito mais que isso. É um espaço onde a comunidade possa vir, usufruir e dialogar. Fico muito satisfeito de ver a participação da população em busca de uma segurança pública melhor. O governador Camilo Capiberibe adotou um modelo mais adequado no mundo de policiamento, e o Estado do Amapá esta tendo a oportunidade de resgatar um modelo implantado em anos anteriores. A expectativa é que avancemos e escolhemos Santana, em razão da carência e por esta situado em lugar de grande vulnerabilidade. O governo agora esta adquirindo mais de 50 novas viaturas e as UPC's serão contempladas com os veículos para atender o tempo hábil a população", comentou. 

Durante a assembleia comunitária, a população falou as autoridades da segurança pública, da dificuldade de acesso das ruas e a falta de iluminação, o que dificulta no trabalho ostensivo da Polícia Militar. Além do acesso, outra reclamação é em relação a perturbação de sossego e funcionamento de bares e restaurantes durante a madrugada. 

Segundo a moradora, Ana Castelo, a comunidade do Igarapé da Fortaleza sempre participa dos cursos oferecidos pela UPC. 

"É importante a nossa participação, pois temos que falar para as autoridades os problemas da nossa comunidade, conhecemos a fundo o lugar onde moramos. Antes, a comunidade passava meses para resolver um pequeno conflito, e hoje, é resolvido com mais rapidez", ressaltou.

Bancada do norte se une para garantir vigência por mais 50 anos

A Bancada do Norte, coordenada pelo deputado Bala Rocha, fechou questão e parte unida para garantir o mesmo tratamento dispensado à Zona Franca de Manaus no que diz respeito à prorrogação de sua vigência, prevista por Medida Provisória enviada pelo Palácio do Planalto ao Congresso. 

Com a presença do coordenador da Bancada do Amapá, deputado Evandro Milhomen, os estados do Amapá, Roraima, Rondônia e Acre decidiram não aceitar a proposta do governo federal, em comum acordo com a bancada do Amazonas, de prorrogar as Áreas de Livre Comércio somente por apenas dez anos, enquanto que a Zona Franca de Manaus será prorrogada por mais 50 anos. 

Bala Rocha, denunciou ontem (14/05) que a Área de Livre Comércio de Macapá e Santana está sendo vítima de um golpe comandado pelo senador Eduardo Braga, do PMDB do Amazonas, líder do governo no Senado. O deputado reclama que falta uma maior coesão entre os senadores do PMDB dos ex-territórios, Sarney, do Amapá, Romero Jucá, de Roraima e Valdir Raup, de Rondônia, presidente do PMDB nacional, todos com grande prestígio no governo, porém não estão conseguindo barrar as articulações do senador Eduardo Braga-PMDB, candidato ao governo do Amazonas e que deseja entregar os 50 anos da Zona Franca de Manaus como um troféu pra população amazonense. 

Bala Rocha explica que a Medida Provisória não incluiu a prorrogação da Área de Livre Comércio de Macapá e Santana com a alegação de que a ALC tem vigência até 2026, data limite de prorrogação para as demais ALCs. 

"Ora, isso não tem cabimento. A Zona Franca de Manaus está sendo prorrogada até 2073, ou seja, 50 anos a partir de 2023, vigência atual da referida Zona Franca. Por que então a nossa Área de Livre Comércio tem que acabar em 2026? Por que não pode ser prorrogada também até 2073? Somente pra satisfa-zer a sanha eleitoral da bancada do Amazonas? E nós, deputados e senadores do Amapá, como vamos nos justificar perante nossa população? O caminho é fa-zer o mesmo que fizemos na PEC 111. União e força. Precisamos da união de todos, deputados, senadores, prefeitos, vereadores, governador e todos que defendem a nossa Área de Livre Comércio, incluindo o empresariado e suas entidades.", concluiu Bala Rocha. 

A redação que está sendo proposta pela Bancada do Norte, proposta por Bala Rocha, prevê: "As Áreas de Livre Comércio de que tratam as leis n° 7.965, de dezembro de 1989; 8.210, de 19 de julho de 1991; 8.256, de 25 de novembro de 1991; 8.387, de 30 de dezembro de 1991 e 8.857, de 8 de março de 1994, passam a ter a mesma vigência da Zona Franca de Manaus. "

Deputado cobra fiscalização sobre pó de minério

Através de Requerimento, o de-putado Charles Marques (PSDC) solicita do governo do estado, via Secretaria do Meio Ambiente (Sema), que seja feita fiscalização referente à quantidade de minérios desperdiçados no trajeto do transporte para o porto. 

“A situação é preocupante. O minério é tóxico e está afetando a saúde dos comerciantes e comunidade geral”, adverte o parlamentar, informando que a quantidade de pó de minério existente no local é evidenciado pelo brilho que o produto produz e chama a atenção daqueles que transitam pela avenida. 

Na tentativa de amenizar o problema, a empresa mineradora está molhando a avenida diariamente para que o pó não se espalhe rapidamente. “A comunidade solicita soluções imediatas e eficazes com o objetivo de solucionar o problema”, destaca Charles Marques no Requerimento. 

Diariamente vários caminhões de empresas privadas trafegam carregados de minério pela Avenida Claudio Lúcio Monteiro, no bairro do Ambrósio, transportando manganês para o porto da Companhia Docas de Santana (CDS), onde está sendo embarcado para exportação. O transporte teve inicio após o acidente no porto da Anglo Ferrous Brazil, hoje Zamim Amapá, ocorrido em março de 2013 no município de Santana. O transporte é feito em caçambas que trafegam por várias ruas e avenidas, deixando um rastro de problemas.

Atuação da Central de Mandados de Santana

Devidamente setorizado, a Central de Mandados do Fórum de Santana cumpre uma demanda mensal de dois mil mandados distribuídos aos Oficiais de Justiça da comarca. A unidade é responsável também pela fiscalização e cumprimento dos mandados expedidos pelas varas cíveis, criminais, da infância e juventude e Juizados da comarca. 

São 14 Oficiais de Justiça em constante revezamento para que as partes processuais tomem conhecimento dos despachos e das decisões que são lavradas pelo juiz, nos autos, por meio de mandados. 

De acordo com o coordenador da Central de Mandados de Santana, Jether da Graça Baía, houve por bem dividir a comarca santanense em três regiões para que, nessa distribuição, as áreas com maior demanda tenham a atuação de maior número de Oficiais de Justiça; o contrário ocorre na região com menor incidência de expedição. “A decisão garantiu o êxito dos prazos no cumprimento dos mandados”, garante Jether Baía. 

Essa atribuição, no município de Santana, também tem seu lado compensador, destaca Suzana Santos de Souza, há 22 anos no cargo de Oficiala de Justiça. Ela destaca os riscos que a atividade impõe, mas também situações inusitadas que vivencia. Uma delas quando no cumprimento de seu mister, depois de ouvir e escutar um casal em vias de separação, conseguiu reatar a união. “Nessa profissão somos um pouco tudo, psicóloga, conselheira, pedagoga”.

Deputada rebate acusações sobre pagamento de diárias

A deputada estadual Roseli Matos (DEM) questionou os veículos de comunicação ao esclarecer algumas das acusações de que os parlamentares recebem diárias quando se deslocam até a cidade de Santana, distante 18 quilômetros da capital, onde, inclusive, reside a parlamentar. A reportagem foi exibida no domingo (11/05), na Rede Globo, no Fantástico. As informações são da assessoria de comunicação da Assembleia. 

No discurso, feito da tribuna do plenário da Assembleia Legislativa, Roseli falou sobre o direcionamento dado pelo repórter. Segundo a deputada, a matéria tinha um direcionamento claro de proteger uns e crucificar outros. “Gostaria de saber por que as entrevistas dos deputados Edinho Duarte (PP) e Marília Góes (PDT) não foram ao ar e usaram apenas uma fala do parlamentar, quando se pronunciava, na Tribuna desta Casa, sobre as acusações feitas pelo Ministério Público”, indagou. A deputada apresentou um ato da Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, de 2012, que regulamenta o pagamento de diárias. Conforme o documento, o deputado só tem direito ao benefício quando o deslocamento é a partir de 30 quilômetros da capital. O valor fica entre 8,5% (para viagens dentro do Estado) e 12% (para outras regiões), valor que incide sobre os proventos de cada parlamentar ou servidor da Casa. 

Roseli foi enfática: “Eu moro em Santana, me desloco pra cá todos os dias e nem por isso recebo diárias”, desmentiu. Para a democrata, existe o interesse do Estado em prejudicar todos aqueles que se rebelam contra o governo. Roseli acredita que o socialista Agnaldo Balieiro – que pede ao repórter para não publicar a matéria – foi vítima do próprio partido. 

Ela disse: “Acredito que os líderes do partido dele o crucificaram”, afirma a parlamentar, ao lembrar o caso Collor. “O Collor foi execrado pela mídia, e perdeu o mandato; 20 anos depois, foi provada a inocência dele, mas já era tarde demais, o mal já tinha sido feito”, completou.

sábado, 10 de maio de 2014

Setrap, Sejusp e Capitania dos Portos se unem para minimizar transtornos no rio Matapi

Nesta sexta-feira, 09/05, as Secretaria de Estado dos Transportes (Setrap), da Justiça e Segurança Pública (Sejusp) e a Capitania dos Portos do Amapá definiram medidas para minimizar os transtornos na travessia do Rio Matapi entre os municípios de Santana e Mazagão. 

Das quatro balsas, que fazem a travessia de veículos e passageiros, duas estão funcionando. Uma está em manutenção e outra se encontra apreendida pela Capitania dos Portos, que tem intensificado a fiscalização nos últimos meses no Amapá. 

Na manhã desta sexta-feira, apenas uma balsa operava na travessia. A outra passava por reparos. 

Em reunião com o secretário interino de Transportes, Márcio Alcântara, o comandante da Capitania dos Portos, Lúcio Marques Ribeiro, informou que a balsa será liberada mediante garantias mínimas de segurança da navegação. Em resposta, a Setrap falou que os reparos serão feitos durante o fim de semana. A previsão é que, até terça-feira, 13/05, a travessia conte com três balsas, enquanto não é concluída a manutenção da quarta balsa. 

Do encontro, participaram o diretor de transportes da Setrap, Andrey Rêgo, e o engenheiro naval, Pedro Lameira, que vistoriaram as condições das balsas em manutenção e as que estão operando. O objetivo foi verificar o que precisa ser reparado para garantir a segurança na travessia. 

Os recentes naufrágios e a explosão de embarcações que transportavam combustível, ocorridos recentemente no Amapá, mobilizou a Marinha a intensificar a fiscalização nos rios amapaenses. Por esse motivo, durante a travessia no Rio Matapi, oficiais da Capitania estarão presentes para impedir que as balsas sigam com mais de 30 passageiros. 

Com as obras em andamento da construção da ponte em concreto armado, que estão sendo executadas pelo Governo do Amapá no local, a Marinha também decidiu intensificar a fiscalização de manobras no rio. 

Para garantir a ordem pública no local, o secretário de Justiça e Segurança Pública, Nixon Kennedy, determinou o policiamento, não só na área externa, na beira do Rio Matapi, como também no interior das balsas. Isto porque, alguns motoristas se recusam a sair do veículo durante a travessia, como manda a legislação. 

Um processo licitatório está em andamento na Setrap para substituir as balsas que existem atualmente. A expectativa é que todos esses transtornos acabem com a entrega da ponte prevista para o fim de 2014.

Seinf realiza licitação para construção do novo posto fiscal da Sefaz no distrito industrial

A Secretaria de Estado da Infraestrutura (Seinf) coordenou, durante todo o dia desta sexta-feira, 09/05, o processo licitatório para escolher a empresa que ficará responsável pela construção do novo Posto Fiscal, pertencente a Secretaria da Receita Estadual (SRE), localizado no distrito industrial, em Santana. 

Tendo em vista a importância do empreendimento, pelo menos cinco empresas estão participando do certame, já que a obra, que terá um investimento de mais de R$ 3,6 milhões, contempla posto de operações, depósito de armazenamento, pátio coberto para balanças, alojamentos, depósito, refeitório, almoxarifado, copa, sala de informática e banheiros. 

Todo o certame foi acompanhado por um fiscal da Secretaria da Receita Estadual. A partir da escolha da empresa e o lançamento da obra, o novo posto fiscal da SRE ficará pronto em 180 dias. 

O Posto Fiscal tem como principal atribuição a fiscalização no trânsito de mercadorias e o transporte interestadual e intermunicipal, e de comunicação, como forma de harmonizar a legislação tributária com a prática da fiscalização, e facilitar o desempenho eficaz do fisco estadual. 

Licitações Online
Mesmo já adotando um modelo transparente nos processos, que dão origem à contratação de empresas para prestação serviços, via Secretaria de Estado da Infraestrutura, os técnicos da Coordenadoria de Informática estão em fase de finalização de uma nova ferramenta para tornar as concorrências ainda mais transparentes. 

A realização de licitações públicas, transmitidas em tempo real pela internet, será o novo mecanismo para evitar qualquer tipo de privilégio ou benefício, que venha ao arrepio da lei das licitações. 

Para os participantes dos certames, a lisura nos processos licitatórios, realizados no setor de infraestrutura do Estado, fez com que as empresas voltassem a ter confiança no Governo do Amapá, que está consolidando uma nova metodologia, com destaque para a licitude, a transparência e a credibilidade, implantadas nas licitações. 

Para o empresário Magno Pantoja, da Servic Engenharia, que já participou de pelo menos 4 licitações nos últimos dias, afirma que a credibilidade é sinônimo confiança nas concorrências públicas. "Em todas as licitações que a nossa empresa participou, eu observei total lisura nos processos, e isso, é um fator preponderante para quem senta numa mesa como essa para concorrer a uma obra pública", destacou.

Detran melhora sinalização horizontal e vertical da rodovia Duca Serra

A equipe de engenharia do Departamento Estadual de Trânsito do Amapá (Detran-AP) vai realizar melhorias na sinalização da rodovia Duca Serra. O serviço começa na próxima terça feira,13/05, no perímetro que vai do entroncamento, no km 9, até a rotatória, no início da Avenida Santana. 

Segundo o chefe do Setor de Operações, Luis Henrique, serão realizadas pinturas no eixo da via e a implantação de regulamentação de velocidade, que passará a ser de 60 km/h nos trechos com menor aglomeração de pessoas. 

"Estamos priorizando a pintura do eixo, com a colocação de micro esferas de vidro, uma vez que os condutores tendem a visualizar menos as faixas no período noturno, e com o aditivo deste material, a visibilidade vai melhorar consideravelmente", observou. 

Outro tipo de serviço que o Detran vai realizar é a colocação das placas de velocidade, dada a importância para sociedade, identificada em estudos preliminares. 

"Estaremos regulamentando a velocidade ao longo de toda rodovia, com as placas, para avaliar os resultados. Os condutores precisam assimilar que a redução da velocidade é primordial para reduzir os acidentes de trânsito. E os pedestre também precisam respeitar a sinalização de trânsito", explicou. 

O diretor do Detran-AP, José Aurivan Gomes, disse que o serviço de melhoria na sinalização na rodovia Duca Serra terá a participação de quatro equipes da engenharia do órgão. "Essa rodovia é considerada uma da mais perigosas do Estado, por isso, estamos com muita atenção, até porque o movimento Maio Amarelo está aí presente, na busca por mais conscientização e redução dos acidentes. Esses serviços vão nos ajudar a cumprir a nossa meta", asseverou. 

O Detran pretende, até o fim deste mês, realizar também melhoria na sinalização na rodovia Tancredo Neves, avenida Guanabara, ruas Mato Grosso, Eliezer Levy e General Rondon, em Macapá; e outras vias de Santana que carecem de pintura estratigráfica (um reforço com material aderente no asfalto que aumenta a visibilidade). 

Esta ação faz parte de um trabalho conjunto entre o Detran e a Companhia de Trânsito e Transportes de Macapá (CTMac), para buscar atender as recomendações do Movimento Maio Amarelo, que pretende reduzir os acidentes de trânsito com vítimas em até 50% no mundo.

Sarney garante manutenção de 1.600 postos de trabalho

O senador José Sarney (PMDB/AP), com apoio da Antaq (Agência Nacional de Transportes Aquaviários), obteve nesta quarta-feira, 07/05, a licença por mais 180 dias para a não paralisação da mineradora Zamin, causada pelo desabamento do Porto de Santana, ocorrido em março do ano passado. 

Visando possibilitar a continuidade da Zamin após o acidente no terminal portuário, a mineradora desenvolveu uma operação de carregamento de navios utilizando-se de barcaça. Tal operação foi de-vidamente autorizada pela ANTAQ no ano passado, com o prazo que se encerraria em maio desse ano, data prevista para coincidir com o reinício da operação definitiva do porto, mas que devido ao atraso das obras, ainda está em construção. 

Apesar de impedida de escoar sua produção de minério em virtude do acidente, a mineradora, ciente da relevância de suas atividades para a economia do Amapá e visando a preservação dos empregos existentes, manteve a extração e processamento do minério de ferro. Mas, diante disso, viu-se obrigada a estocar toda a sua produção, tanto na área da mina, quanto na retroarca do terminal portuário. 

O senador Sarney conseguiu junto a Agência Reguladora, a renovação da licença, impedindo que mais de mil e seiscentos postos de trabalho fossem fechados, entre trabalhadores da Zamin e também das prestadoras de serviço. “Dessa forma, acreditamos ter conseguido a continuidade da execução das obras realizadas por essa empresa e também a manutenção de centenas de postos de trabalho, conforme reivindicação que nos foi encaminhada”, declara Sarney.

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Ponte do Rio Matapi conclui obras de fundação do lado Macapá/Santana

O governador Camilo Capiberibe visitou na tarde desta quinta-feira, 08/05, as obras da ponte do Rio Matapi para acompanhar o progresso das primeiras etapas.

De acordo com o Israel Mendel Lederman, engenheiro responsável, o trabalho de fundação (blocos principais) do lado Macapá/Santana já está concluído, o que corresponde a 25% de execução da ponte. Ressaltou ainda que a próxima etapa se baseia na construção dos principais blocos de apoio, sendo dois totalmente concretados, num total de quatro.

"Na próxima semana nós iniciaremos a fase de concretagem dos pilares e também vamos abrir a frente de fundação no lado de Mazagão. O importante é que os trabalhos estão em ritmo acelerado e dentro da previsão inicial do cronograma. Acreditamos que, até o final deste ano, 90% da sua estrutura esteja concluída", calculou.

No decorrer da visita, o governador assistiu a uma apresentação técnica referente às primeiras etapas executadas, cronogramas, análise da Marinha e definição da ponte. "Temos um avanço bastante satisfatório de uma obra grandiosa que vai oferecer inúmeros benefícios para todos. A Marinha está analisando parte do trecho, porque é necessário priorizar a segurança da navegação. São exigências importantes, mas esses transtornos com as balsas serão resolvidos dentro de um mês até as definições da Marinha", ponderou.

A ponte do Rio Matapi será a maior em concreto armado do Estado. Terá 612 metros de extensão, composta de segurança para o transporte de passageiros, cargas e o livre uso de pedestres e ciclistas. O investimento do Governo do Amapá é de R$ 89,9 milhões. Vai gerar, no decorrer das etapas, cerca de 600 empregos diretos e indiretos.

A ponte será composta por cinco vãos em vigas pré-moldadas, sendo três para o lado de Santana e dois para o lado de Mazagão, cada um com aproximadamente 38 metros. Serão mais cinco vãos em balanços sucessivos, sendo dois de 60 metros e três de 100 metros, incluindo o vão central, que contempla o gabarito de navegação de 50 metros de largura por 25 metros de altura.

Indenizações
Ao final da visita, o governador Camilo Capiberibe conversou com famílias e comerciantes que residiam no entorno do canteiro de obras. O encontro definiu o pagamento das indenizações referentes aos imóveis que eram ocupados no local. "Tudo foi estabelecido dentro dos prazos previstos nas reuniões, e todas as pessoas que moram nessa área entraram em acordo e receberam suas indenizações corretas. Essa questão foi resolvida com responsabilidade, respeitando, acima de tudo, o direito a uma nova moradia", definiu.

Para Antônia Costa, o Governo do Amapá cumpriu todas as etapas das negociações. "Tudo foi resolvido corretamente, ninguém foi prejudicado e o governo honrou com a sua promessa. Agora vamos atrás de um novo lar", desabafou.

“Uma saúde de qualidade só acontece quando o Poder Público investe”, afirma secretário


Na manhã desta quinta-feira, 08/05, o secretário de Estado da Saúde, Jardel Nunes, acompanhado do diretor do Hospital de Emergência, Regiclaudo Silva, e do diretor de Obras da Secretaria de Estado da Infraestrutura, Washington Marques, concedeu entrevista coletiva à imprensa com o objetivo de responder a demanda no tocante aos problemas que afetam o setor e destacar as ações que estão sendo executadas para melhorar a prestação de serviços à população.

O secretário iniciou a coletiva fazendo uma avaliação dos 70 dias de sua gestão, enfatizando que o governo se mobiliza e executa projetos que vão reestruturar o sistema de saúde, bastante debilitado, resultado principalmente da falta de investimento e de compromisso da gestão passada.

Jardel Nunes ressaltou ainda que a falta de políticas de investimentos, aliadas ao intenso crescimento populacional nas últimas décadas no Amapá, tem fragilizado a rede de saúde. "Temos, como exemplo, o centro cirúrgico do Hospital de Clínicas Alberto Lima, que, em 2001, ganhou quatro novas salas, totalizando oito novos espaços. No governo anterior, quatro delas foram fechadas e equipamentos transferidos para outros setores do hospital", citou.

O secretário destacou a situação do centro cirúrgico do Hospital de Santana, que foi ampliado, mas, na gestão passada, uma sala foi transformada em farmácia. "Então, não houve nenhum investimento de lá para cá. A nossa gestão trabalha para reorganizar o setor e investir em melhorias para mudar essa realidade, inclusive a imagem negativa da saúde por conta dos escândalos e corrupções dentro do sistema, ainda na gestão que se passou", comentou.

Medidas
O secretário enfatizou que o Estado se mobiliza para reabastecer a rede pública de saúde com medicamentos, contratar serviços de manutenção preventiva e corretiva dos aparelhos hospitalares, além da compra de equipamentos modernos para atender as necessidades de toda a rede. "Fizemos a parte burocrática, um dos nossos gargalos. Hoje nos empenhamos para atender aproximadamente 90% das necessidades. Agora a luta é para que os fornecedores consigam entregar os medicamentos e faremos com que isso seja cumprido", ponderou.

Obras em andamento
Jardel Nunes listou várias obras no setor da Saúde:
- Ampliação do Hospital da Criança e do Adolescente, que deve ser entregue em novembro deste ano;
- Ampliação do Hospital de Santana, uma das obras mais avançadas no Estado, que vai ganhar novos leitos. A capacidade atual é de 110 e vai aumentar para 220. A obra deve ficar pronta em julho deste ano;
- Centro de Nefrologia no município de Santana, que contribuirá para melhor distribuição de pacientes renais crônicos;
- Hospital de Clínicas Alberto Lima que terá a primeira etapa das obras entregue em julho deste ano;
- Maternidade de Risco Habitual, que está sendo construída na Zona Norte da capital, prevista para ser inaugurada em novembro deste ano;
- Unidade de Pronto Atendimento (UPA/24h), também na Zona Norte, vai prestar atendimento de média e alta complexidade; com isso, irá desafogar o Hospital de Emergência. A nova obra deve ficar pronta em julho.
- Resgate do programa Visão Para Todos;
- Resgate do Centro de Especialidade Odontológica;
- Realização do maior concurso na área da Saúde, no Estado do Amapá, com previsão de chamada de mais servidores para os novos centros de saúde, entre outros.

"Além das sete bases do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que estão sendo construídas nos municípios do Estado, iniciaremos as obras do Hospital de Porto Grande. Na segunda-feira vamos tratar da conclusão do projeto para que se iniciem os serviços. Temos, ainda, o projeto de reforma do Hospital de Emergência, em processo de conclusão para entrar em licitação. A previsão é de que as obras comecem em em junho e, assim que concluídas, o HE contará com duas salas exclusivas para o serviço de trauma, atenderá a demanda que cresceu na unidade por causa do alto índice de acidentes de trânsito. Todas essas ações são executadas com o objetivo de prestar um melhor atendimento, mais humanizado, à nossa população", pontuou o secretário.

Resultados que já aparecem
Mesmo com os primeiros anos da nova gestão, recuperando o sistema sucateado, a saúde já conseguiu avançar em alguns pontos importantes. O Hospital de Oiapoque, que antes era uma unidade mista, com apenas dois médicos e que funcionava em um local alugado, hoje oferece serviços de excelência no município.

Entregue à população em dezembro do ano passado, a unidade hospitalar passou a ter enfermaria com capacidade para 20 leitos, sala de raios-X, consultório de ultrassonografia, laboratório, centro cirúrgico obstétrico, enfermaria para mais 21 leitos, sala de cirurgia e ambientes PPP (Pré-parto, Parto e Pós-parto). "O hospital de Oiapoque é exemplo de que uma saúde de qualidade só acontece quando o Poder Público investe. E é isso que estamos fazendo, investindo em obras em todos os hospitais do Estado", conclui Jardel Nunes.

SIMS celebra o Dia Internacional da Parteira em Santana

Dando continuidade à programação do Dia Internacional da Parteira, celebrado em 05 de maio, a Secretaria de Estado da Inclusão e Mobilização Social (SIMS), por meio de sua Gerência de Valorização das Parteiras Tradicionais, realiza neste sábado, 10/05, das 9h às 12h, em Santana, um café dançante na Escola Estadual Afonso Arinos, localizada na área portuária.

O evento é voltado à valorização e integração dessas profissionais de importância singular na vida familiar das comunidades rurais, indígenas, quilombolas e ribeirinhas e que contribuem diretamente na humanização do parto.

Em Santana há 280 parteiras associadas à Rede das Parteiras Tradicionais do Estado do Amapá – Tia Vavá. Muitas delas terão a oportunidade de participar da programação deste sábado e receber atendimentos oferecidos pela equipe do CRTN, como embelezamento, corte de cabelo e massagem, além de atividades de lazer com música e dança.

O Dia Internacional da Parteira foi criado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em 1991. Segundo as Nações Unidas, parteiras capacitadas, com equipamento e apoio necessários, podem representar a diferença entre a vida e a morte para 300 mil mulheres e até dez vezes mais para recém-nascidos.

Confira abaixo a programação

9h - Recepção das parteiras: Acolhimento e identificação
9h30 - Boas-vindas: Exibição do vídeo "Lembranças de um parto"
Musical com Lígia Mônica
Musical gospel com Kim Romani
Jeremias Souza da Silva - Dançando com as Parteiras
10h30 às 12h - Serviços oferecidos pelo CRTN

Ipem fiscaliza bombas de combustíveis e balanças em Macapá e Santana

O Instituto de Pesos e Medidas (Ipem) realiza, nos dias 8 e 9 de maio, duas fiscalizações paralelas direcionas a bombas de combustíveis e balanças comerciais. As averiguações direcionadas às bombas acontecem em todos os postos, e as balanças, em estabelecimentos comerciais como feiras, supermercados, entre outros.

As fiscalizações são periódicas e ocorrem em Macapá e Santana para garantir a boa qualidade dos utensílios. Em relação às bombas, os técnicos verificam se possuem a marca de selagem nos pontos previstos na portaria de aprovação de modelo, o que impede seu uso indevido e uma etiqueta identificando a validade da última verificação metrológica.

Durante os ensaios, os agentes conferem o volume de combustível medido pelas bombas e se cada item, tais como mangueira, painel, bico, eliminador de ar e gás, plano de selagem, medidor de pulser, lâmpada e dispositivos de bloqueio, está em conformidade com a portarias do Inmetro.

Após os ensaios, as bombas que tiverem sido aprovadas recebem as marcas de verificação do Inmetro (selos e etiquetas) e o relatório de verificação metrológica. Havendo irregularidade, a bomba medidora é interditada e a empresa notificada.

Na aferição das balanças, será apurado se contêm o selo indicando a última verificação e sua validade, se possuem o lacre e placa de patrimônio do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

O diretor do Ipem, Nilson José dos Santos, explica que as iniciativas fazem parte do cotidiano do órgão para total garantia do consumidor. "Nossa equipe é atuante, temos agentes qualificados dispostos a fazer um trabalho de excelência", conclui. O Instituto de Pesos e Medidas do Amapá está localizado na Avenida Aurino Borges de Oliveira, 1278, bairro São Lázaro - Ouvidoria Ipem 08002808844.

segunda-feira, 5 de maio de 2014

Sesa, Seinf e senador Capiberibe visitam obras da saúde em Santana

Na manhã do último dia 02/05, o secretário de Estado da Saúde, Jardel Nunes; secretário de Infraestrutura, Amilton Coutinho; e o senador João Alberto Capiberibe visitaram as obras do Hospital de Santana e Nefrologia do município. A programação de entrega é ainda para este primeiro semestre. 

As obras de construção e ampliação do Hospital Estadual de Santana estão bem adiantadas, com 90% dos trabalhos concluídos. A construção e reformas estavam paralisadas desde 2006 e foram retomadas pelo atual governo. 

O investimento contempla a construção de dois pavimentos com 110 leitos para atendimento nas áreas de obstetrícia, neonatal e pediatria, além de um bloco administrativo. Atualmente o hospital possui 110 leitos e a sua capacidade será aumentada para 220. Os recursos somam mais de R$ 6 milhões provenientes de emenda parlamentar. 

Hoje a unidade recebe em média entre 400 a 450 pacientes/dia, vindos do município de Santana e de outras regiões ribeirinhas do Amapá e do Pará. "A partir dos novos serviços, os hospitais de Emergência e Alberto Lima, em Macapá, serão desafogados, uma vez que recebem sobrecarga procedente de Santana e de unidades da rede de atenção primária", diz o secretário Jardel Nunes. 

Com dois pavimentos, o 4º bloco abrigará dois modernos elevadores e três clinicas: médica, obstétrica e pediátrica, além de UTI neonatal, berçários, consultórios, isolamento, refeitórios e setor administrativo. 

No 6º bloco ficarão a cozinha e lavanderia industriais, totalmente equipadas para fornecer uma comida de qualidade e cuidar das roupas de forma correta e higiênica. 

O telhado dos dois blocos será em telhas termoacústicas, que diminuem ruídos e a temperatura. Concluindo a obra, uma subestação de energia com gerador para suprir todo o hospital e uma área de urbanização. 

Centro de Nefrologia
Além do novo hospital, o governador Camilo Capiberibe autorizou a construção do novo Centro de Nefrologia de Santana. A unidade é extremamente importante no tratamento de doentes renais crônicos. A falta de políticas públicas e investimentos na saúde no governo anterior fez com que a única clínica de nefrologia do Estado, localizada no Hospital Alberto Lima, ficasse superlotada e com fila de espera. 

O Centro de Nefrologia está sendo erguido em uma área de 500m². Possuirá três consultórios, sala para as hemodiálises contendo 12 leitos, osmose, posto de enfermagem, Diálise Peritoneal Ambulatorial Contínua (DPAC), sala para Diagnóstico e Prevenção por Imagem (DPI), apoio clínico, recuperação; duas salas para resíduos e ambiente para lavagem de fistulas. 

O Centro ficará pronto em 180 dias e o investimento do Governo do Amapá na obra é de R$ 858.469,61.

Fábrica de refrigerantes anuncia demissão de trabalhadores no Amapá

A Brasil Norte Bebidas, empresa que fabrica o refrigerante Coca-Cola no Amapá, anunciou o encerramento da produção no estado. A paralisação motivou a demissão, no último dia 25/04, de 30% dos funcionários, o que representa em torno de 60 trabalhadores. Segundo nota da empresa, a paralisação “obedece a um novo desenho de estratégia de negócios para a região”. 

Permanecerão na unidade em Santana, 70% dos colaboradores nas áreas administrativas, comercial e de logística. O percentual corresponde a 250 funcionários. 

A empresa informou que uma consultoria especializada foi contratada para auxiliar na reinserção dos trabalhadores demitidos no mercado. 

O refrigerante Coca-Cola, segundo informou a assessoria de comunicação, disse que o produto chegará envasado ao Amapá com o fechamento da fábrica. Os valores da bebida e a oferta do produto não serão afetados, conforme garantiu. 

Demissões
Este é o segundo anúncio de interrupção de atividade na iniciativa privada no Amapá em 2014. Em março, a empresa Zamin Ferrous emitiu nota confirmando interromper por 90 dias as atividades na Mina 66, em Pedra Branca do Amapari, distante 183 quilômetros de Macapá. 

Nesse período, os cerca de 2 mil funcionários estão recebendo férias coletivas, segundo a empresa. A Zamin informou que a suspensão temporária das atividades tem a ver com "o término da capacidade de estocagem de minério de ferro em Pedra Branca e Santana". A estocagem é resultado do atraso nas obras de reconstrução do terminal de embarque de minério no município santanense.

Cursos em barco-escola são adiados por falhas em porto de Santana

As aulas do curso técnico oferecido pelo barco-escola Samaúma, no município de Santana, foram adiadas. De acordo com a gerência do Senai, órgão responsável pelo projeto, problemas na estrutura do porto da cidade provocaram o atraso. Antes programadas para iniciar no dia 05 de maio, as aulas foram transferidas para o dia 07/05, no porto do Grego. 

O barco ficou por mais de uma semana atracado no terminal pesqueiro de Santana, na área portuária. O Senai, no entanto, foi advertido pela superintendência do Ministério da Pesca, de que a área não oferece segurança para a realização dos 16 cursos que serão ministrados na embarcação. 

Na noite desta sexta-feira, o Senai informou que a embarcação vai ancorar no porto do Grego, também em Santana. Nos dias 05 e 06 de maio serão feitas as inscrições e no dia 7 iniciam as aulas. 

Capacitação
Os cursos técnicos no barco Samaúma são voltados para as áreas de informática, confeitaria, mecânica, construção civil e outros. Estão sendo oferecidas 500 vagas para os 16 cursos que têm duração de 30 dias, cada.

‘Novo Amapá’: Peça teatral lembra 39 anos do naufrágio com poesia e homenagens

Os 39 anos do maior naufrágio do estado serão lembrados com poesia e homenagens no espetáculo "Novo Amapá", que acontece no sá...