sexta-feira, 30 de junho de 2017

Clínica da Vida: Nova Unidade de Nefrologia é realidade em Santana

A partir desta sexta-feira (30/06), os pacientes renais contam com mais um espaço especializado e exclusivo para seu tratamento proporcionado pelo Governo do Amapá. 

A nova unidade de nefrologia, Clínica da Vida Lourival Duarte Brandão, foi inaugurada no complexo hospitalar de Santana e, agora, é uma realidade que amplia o serviço de hemodiálise no Estado, descentralizando os atendimentos na unidade de nefrologia do Hospital de Clínicas Dr. Alberto Lima (HCal). 

Iniciada em maio de 2014, a obra orçada em R$ 858 mil foi paralisada em novembro do mesmo ano. Em julho de 2015, na atual gestão, o projeto foi retomado, mas sofreu algumas mudanças impostas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ausentes no projeto inicial que também não incluía acessibilidade para deficientes físicos e a urbanização do entorno do prédio. 

Foram empenhados R$ 1.762.211,99, oriundos exclusivamente do tesouro estadual, para que usuários do município de Santana, Mazagão e do interior sul do Estado consigam ser atendidos com mais conforto, comodidade, profissionalismo e tecnologia de ponta. 

Outro desafio enfrentado é a carência de profissionais no setor de nefrologia, realidade vivida em todo o país. De acordo pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), e a Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP) da Fundação Oswaldo Cruz, apenas 1% dos médicos no Brasil são especializados nesta área. 

O Governo do Amapá se empenha para superar este desafio e a Clínica da Vida funcionará, de imediato, com uma equipe multidisciplinar composta por dois médicos nefrologistas, cinco enfermeiros, 25 técnicos de enfermagem com especialização ou treinamento na área, além de um psicólogo e um assistente social. 

Segundo o governador Waldez Góes, a clínica já iniciará as sessões de hemodiálise na próxima terça-feira, 04/07. 

“O Governo existe para cuidar do cidadão, e isso precisa ser feito a cada dia, em todas as áreas. A crise existe, mas mesmo com as dificuldades e desafios cumprimos o compromisso de não parar com o que é prioridade. Nós trabalhamos em plena crise para que esta entrega fosse possível”, frisou Góes, destacando que desde o início do ano, já sabendo a provável data de inauguração, o Estado acelerou a mobilização no que diz respeito a equipamentos, sistema de energia e água que são próprios da unidade, e de capacitação da equipe que irá atuar na prestação do serviço humanizado aos pacientes. 

O secretário de Estado da Saúde, Gastão Calandrini, enfatizou que a unidade em Santana é um marco histórico para a saúde do Amapá, e que além de melhor assistir os pacientes desta região, irá “desafogar os atendimentos na unidade de nefrologia de Macapá, que até então era o único centro de referência desta especialidade, recebendo demandas de todo o Estado e inclusive de ilhas do Pará”, pontuou. 

Atendimentos e estrutura
Inicialmente, a Clínica da Vida assistirá 24 pacientes, às terças, quintas-feiras e aos sábados, nos turnos da manhã e tarde. 

Estes pacientes prioritários foram selecionados com acompanhamento do Ministério Público Estadual, avaliados mediante estudo socioeconômico, tempo contínuo de tratamento, idade e deficiência física. 

“A partir do segundo mês de atuação, aumentaremos o número de atendimentos para 50. Até o fim do ano estimamos assistir 80 pacientes”, informou Calandrini. 

A nova unidade dispõe de 14 máquinas de hemodiálise de última geração – equipamento que realiza no organismo humano o processo artificial de limpeza e filtragem do sangue. 

Na unidade de nefrologia de Macapá há 37 máquinas, que somadas às da Clínica da Vida, resultam em 51 poltronas de atendimento aos pacientes renais no Estado. 

Quanto à sua estrutura, a clínica inaugurada é composta por dois consultórios, sala para hemodiálise, osmose, posto de enfermagem, sala de recuperação, espaço de resíduos e ambiente para higienização pré-tratamento. 

A estrutura também dispõe de recepção com registro e espera, administração, banheiros masculinos e femininos com acessibilidade, repouso e vestiários com banheiros masculino e feminino, duas copas - uma para funcionários e outra para pacientes - e depósito de materiais de limpeza. A clínica ainda dispõe de gerador de energia próprio. 

O prefeito de Santana, Ofirney Sadala, ressaltou que este é mais um sinal do compromisso que o governo do Estado tem com o povo de Santana e adjacências. 

“Essa inauguração representa um grande passo na melhoria da qualidade da saúde da população santanense. Sabemos que o tratamento de hemodiálise é muito desgastante para o paciente. Poder fazer o tratamento mais próximo de casa irá melhorar consideravelmente a vida destas pessoas”, pontuou. 

O aposentado José Domingos tem 69 anos e há cinco é paciente renal crônico. O idoso contou que nos dias de sessões tinha que sair de Santana três vezes por semana, às cinco horas da manhã, para poder chegar às sete em Macapá. 

O procedimento dura em média quatro horas, e o deixa bastante debilitado, tornando ainda mais difícil a volta para casa. Satisfeito, ele afirmou que este momento foi muito esperado.

“Vemos que é um centro de primeiro mundo e, ainda, próximo de casa. Eu e minha família estamos muito felizes, acredito que os demais pacientes se sentem da mesma forma, melhor cuidados e valorizados por todas as pessoas empenhadas na realização deste, que para nós era um sonho”, comemorou Domingos. 

Para Maria José, 62 anos, paciente também há cinco anos, o tratamento passará a ser mais cômodo e lhe garantirá melhor qualidade de vida. 

“Não tenho veículo próprio e a ida para a nefrologia de Macapá era um sofrimento diário. Agora, graças a Deus a minha rotina vai melhorar, não vou ter mais que acordar tão cedo e voltar para casa com tanta dificuldade. O ambiente é maravilhoso e estou me sentindo realizada”, compartilhou, emocionada. 

Lourival Duarte Brandão
O personagem que dá nome à nova clínica de nefrologia nasceu em Gurupá, no Pará, e chegou ao Amapá, mais precisamente em Santana, no ano de 1966, aos seus 29 anos de idade. 

Lourival exerceu naquele município diversas atividades, dentre elas a agricultura, pesca, foi vendedor de açaí, fez frete em carroça e foi profissional madeireiro. 

No segundo maior município do Estado, Lorica, como era conhecido, fez história e deixou suas raízes, através de oito filhos, 17 netos e seis bisnetos. Lourival foi paciente renal crônico e faleceu aos seus 61 anos. 

Maria Oneide Brandão, 78 anos, era esposa do homenageado e esteve presente na inauguração, junto aos demais familiares. 

A viúva relatou que só quem acompanha a rotina de um paciente renal crônico sabe das lutas enfrentadas a cada dia e que foi com muita felicidade a família Brandão recebeu esta homenagem. 

“Meu esposo passou quinze anos fazendo hemodiálise e infelizmente faleceu há quatro. O que sofremos levando ele quase diariamente para Macapá não foi fácil. Não só ele, mas toda a família sofreu muito, mas tenho certeza que ele estaria muito feliz, assim como nós estamos, ao ver que as pessoas que precisam desse tratamento serão melhor assistidas a partir de agora”, salientou. 

Nefrologia do HCal 
O governador do Estado aproveitou a ocasião para anunciar que o centro de nefrologia do HCal também recebe agora o nome de outro ilustre filho do Amapá. 

“O doutor Antônio Pinheiro Teles foi um dos pioneiros no serviço de nefrologia do Estado, deu a vida por este serviço. Por meio de projeto de lei enviado à Assembleia Legislativa, aprovado e sancionado por mim, estou dando o nome dele à clínica central de nefrologia, em Macapá”, anunciou o chefe do Executivo estadual. Góes ainda destacou que a saúde do Amapá ainda ganhará mais reforços. 

As próximas inaugurações a serem feitas serão das Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da zona sul e de Laranjal do Jari, a maternidade da zona norte de Macapá e, no próximo ano, o Hospital de Santana. 

Na solenidade estiveram presentes secretários da equipe de governo, profissionais que atuarão na Clínica da Vida Lourival Duarte Brandão, deputados estaduais e federais, vereadores de Santana e Mazagão, e demais autoridades que contribuíram para que a unidade pudesse ser inaugurada para melhor assistir aos que dela necessitam.

Adilson Garcia: Promotor de Justiça recebe Título de Cidadão Santanense

Adilson homenageado pelo Legislativo santanense
O promotor de Justiça Adilson Garcia, titular da Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente, de Ordem Urbanística e Patrimônio Cultural da Comarca de Santana, recebeu na noite desta quinta-feira (30/06), na Câmara Municipal de Vereadores de Santana, o Título Honorífico da cidade. 

A homenagem – configurada por meio do Projeto de Decreto Legislativo, apresentado e aprovado em maio desse ano – é concedida em reconhecimento aos serviços prestados àquela comunidade como membro do Ministério Público, com especial enfoque na atuação na área da ambiental e social. 

Para o Promotor, o título serve de estímulo à permanente melhoria do trabalho desenvolvido pelo MP-AP, não só no município de Santana, mas em todo o Estado do Amapá. 

“Fazemos apenas o que é do nosso dever e não deixamos que situações se tornem longas pendências que só podem acarretar danos sociais no futuro”, disse o promotor homenageado.

A outorga do Título partiu de uma iniciativa dos vereadores Anderson Almeida (DEM), Rarison Santiago (PRP) e da presidente daquela Casa de Leis Professora Helena Lima.

Perfil
Promotor de Justiça do Amapá. Professor de Direito da Universidade Federal do Amapá. Graduado em direito pela Universidade Federal do Pará (1994). 

Tornou-se Mestre em Direito Ambiental e Políticas Públicas pela Universidade Federal do Amapá (Unifap), com a dissertação “A Reforma Agrária no Estado do Amapá: O Processo Histórico-Institucional Fundiário e as consequências dos Projetos de Assentamento sobre a cobertura Florestal”

Fez o curso de Perícia Ambiental pela UFRJ e curso de aperfeiçoamento em Direito Ambiental e Políticas Públicas pela UFPA. Leciona a disciplina Direito Ambiental na Unifap.

Além de Promotor, Adilson Garcia é Professor
Desempenha atualmente suas funções como titular da Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, Urbanismo e Patrimônio Cultural da Comarca de Santana (AP), com larga experiência nas seguintes áreas: Infância e Juventude, Tribunal do Júri, Patrimônio Público, Cidadania, Consumidor, Meio Ambiente, Urbanismo e Investigações Criminais. 

Trabalhou no Banco da Amazônia (1981-1997) na carteira de crédito especializado (MT), gerência de mercado de capitais (RJ) e gerência financeira, departamento jurídico e divisão de treinamentos (Matriz, PA), onde era instrutor de computação. 

Obteve o 1º lugar no curso de Formação de Gerentes. Foi sindicalista (bancários -PA/AP), além de advogar nas áreas trabalhista, previdenciária, cível, criminal, imobiliária e comercial. 

Também é inscrito no Creci-PA, onde é habilitado com o curso técnico de Transações Imobiliárias, atuando como corretor de imóveis e assessoria imobiliária. Atualmente é ambientalista.

Fotos: Iran Fróes

Adquirido em 2007, Prefeitura de Santana continuará pagando por patrimônio mobiliário até 2021

Como se não bastassem às dívidas deixadas pelas gestões anteriores, em praticamente todos os setores da administração municipal, a Prefeitura de Santana ainda terá que pagar móveis cotados em dólar no ano de 2007. A denúncia foi feita pelo prefeito Ofirney Sadala, durante entrevista a um programa de TV local, na última terça-feira, 27. 

O valor total da compra, segundo o gestor santanense, deve atingir a casa dos R$ 3 milhões. 

São mesas, armários e bancadas que estão em salas do prédio principal do complexo administrativo, localizado na Avenida Santana, no bairro Paraíso. 

A compra foi efetuada para a inauguração do prédio e o pagamento da dívida é realizado a cada seis meses, em parcela de aproximadamente R$ 400 mil, dependendo da cotação do dólar, com a previsão de que a quitação seja efetuada em 2021. 

“Foi um palhaçada, uma brincadeira que fizeram com o dinheiro do santanense”, disse o prefeito diante de um processo de compra inimaginável, até porque não se tem notícia da aquisição de qualquer bem público dessa natureza, tendo como referência o valor de mercado da moeda norte-americana em relação ao Real.

Também chama atenção às dívidas herdadas junto à Caixa Econômica Federal, referentes a empréstimos consignados. Só para se ter uma ideia, a Prefeitura de Santana está tendo que desembolsar mensalmente ao banco R$ R$ 1.046.841 por mês. 

Outra denúncia do prefeito é com relação à devolução, que precisa ser feita em até 45 dias ao Governo Federal, de R$ 273 mil, referente a um convenio assinado pela prefeitura em 2007. 

Segundo Ofirney Sadala esse convênio foi celebrado com a União, por meio da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e Prefeitura Municipal de Santana, na mesma gestão que adquiriu os móveis cotados em dólar.

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Vereador Drº Fabiano cobra agilidade em obras de mobilidade urbana de Santana

Em reunião no Palácio do Setentrião com a presença do Governador Waldez Góes, o vereador Dr. Fabiano cobrou mais agilidade nas obras de mobilidade urbana que estão sendo executadas pelo Estado em Santana. 

Os serviços tem gerado reclamações por parte da população, tendo em vista os transtornos causados nas vias. 

Atualmente, o município de Santana tem recebido inúmeras obras que vão possibilitar a melhoria na mobilidade da cidade. Na pavimentação da avenida Princesa Isabel, entregue a população em fevereiro já apresenta problemas. 

“A gente está reivindicando e atendendo um clamor da população que pede socorro. Sabemos que muitas vezes o governador desconhece a realidade. Aqui ele se comprometeu em chamar os responsáveis da empresa que prestou os serviços e se prontificou em realizar uma outra reunião em Santana para alinharmos o planejamento das medidas para as soluções”, disse o vereador Dr. Fabiano. 

A reunião contou com a presença de outros vereadores e do prefeito de Santana Ofirney Sadala. 

O governador Waldez Góes ouviu as solicitações do vereador Dr. Fabiano e garantiu uma agenda para cobrar da construtora responsável medidas para a resolver os impasses. 

“Temos conhecimento dessa situação que vem ocorrendo em Santana e vamos intensificar as discussões, inclusive indo em Santana, para solucionarmos estes problemas que tanto vem causando transtornos a população. Vamos reunir com todos”, afirmou Waldez Góes.

“Já está melhorando”, diz familiares de acadêmica internada com grave doença

A acadêmica de Enfermagem Juliana Oliveira Nobre, que encontra-se internada desde a última quinta-feira (22/06) em um hospital particular de Macapá, já vem apresentando um quadro estável de melhora, apesar de ainda está sob intensa observação médica. 

A informação foi repassada ao blog nesta quarta-feira (29) pelo irmão da acadêmica, Jhoseph Nobre, que ainda esclareceu alguns comentários que foram espalhados nas redes sociais de forma distorcida. 

“Ela não fez nenhuma cirurgia de pulmão conforme espalharam na internet, mas até agora ainda não souberam confirmar o diagnóstico exato da doença que ela tem”, explicou Jhoseph. 

Uma Nota chegou a ser divulgada no início da semana pela família, que reconheceu o interesse positivo da equipe da Hospital (onde Juliana continua internada) diante da situação de saúde da acadêmica e que vem aguardando as constantes informações descritas em boletim médico. 

“As doações de sangue que foram direcionadas a ela foram muito bem recebidas e agradecemos ao todos esses doadores”, parabeniza Joseph. 

Segundo o Hospital, não há qualquer previsão de alta para a acadêmica.

Audiência Pública debate situação dos moradores da Baixada do Ambrósio

A Promotoria de Defesa do Meio Ambiente, Urbanismo e Habitação da Comarca de Santana, no curso do Inquérito Civil nº 0003040/2014, promoveu na manhã desta terça-feira (27/06), na Câmara de Vereadores da cidade, uma audiência pública para debater a situação dos moradores da baixada do Ambrósio, que sofrem com ausência da coleta regular de lixo, falta de água tratada, além e outros problemas de urbanização. 

Ao iniciar o evento, o promotor de Justiça Adilson Garcia, esclareceu a necessidade de obter informações, dados, críticas e sugestões sobre a precária e emergencial situação em que se encontram os moradores daquela comunidade, especialmente pelo depósito irregular dos resíduos sólidos na lixeira “viciada” que existe na entrada do Porto Souzamar, uma área privada, bem próxima à baixada do Ambrósio. 

Apesar de a área receber limpeza ocasionalmente e haver um muro construído em todo o perímetro, o problema perdura por conta da população residente no entorno desta, que continua a despejar lixo no local. 

O prefeito de Santana, Ofirney Sadala, informou que a população não tem o interesse de sair da área, o que contribui para o acúmulo de diversas problemáticas envolvendo abastecimento de água e de segurança pública, serviços públicos que precisam ser disponibilizados para a população do local. 

O secretário Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitacional (SEMDUH), Lindemberg Araújo, apresentou um levantamento de melhorias ao acesso na área, sugerindo como solução a desapropriação de parte das terras pertencentes à empresa Souzamar. 

“A desapropriação de parte dessas terras iria contribuir para a transformação da via em uma rua, que facilitaria o acesso ao local”, explica Araújo. “Outra proposta seria a ampliação da rua Rio Jari, assim o acesso à baixada do Ambrósio tanto da comunidade, quanto da própria Prefeitura Municipal de Santana, seria mais fácil”. 

Quanto a falta de água para a comunidade, o representante da Companhia de Água e Esgoto do Amapá (CAESA), Olenilson Marques, informou que a empresa busca uma solução para o problema o mais breve possível. 

“Contudo, a falta de segurança na região dificulta o trabalho, uma vez que os furtos e utilização de bombas de água pela comunidade são os principais culpados pela falta de abastecimento”, disse. 

Susyane Sousa, representante da empresa Souzamar, apresentou um projeto elaborado pela empresa, intitulado “Rios da Amazônia”, que visa a limpeza de áreas e a conscientização da população. Através da exposição de imagens, retratou a situação atual da área. 

“Mesmo após a retirada do lixo do local, a população volta a lançar lixo. A empresa possui o interesse de criar um estudo sobre o caso e resolver o problema, buscando a valorização da área e contribuição com a criação de empregos diretos e indiretos nessa região”, garantiu. 

A Defesa Civil informou que é importante a retirada da população do local para a colocação de tapume, o que garantirá maior segurança às pessoas em relação à contaminação com esse lixo. 

Para a realização de todas as propostas feitas durante a audiência, o representante do MP-AP, promotor de Justiça Adilson Garcia, manifestou interesse em uma nova reunião até o final do mês de julho e início de agosto com as partes envolvidas para apresentar soluções mais consistentes sobre a situação. 

“Esperamos a apresentação dos estudos propostos pela empresa Souzamar e os projetos propostos hoje, assim poderemos analisar e colocar em prática o mais rápido possível”, destacou o promotor. “Buscamos soluções junto à Prefeitura do município de Santana para evitar que a população volte a ocupar a área caso seja necessária sua retirada, como proposto pela defesa civil, e evitar, assim, a manutenção dessa lixeira ou futuras”. 

Além da comunidade, participaram, ainda, da audiência o secretário de Saúde do município de Santana, Alberto Negrão, a presidente da Câmera dos Vereadores de Santana, Helena Pereira de Lima, os vereadores Josivaldo Abrantes, Jailson Marques, Rato, Dr. Fabiano, Genival e Anderson Almeida; representantes do Batalhão Ambiental da Polícia Militar e representante da AMCEL.

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Evento marca o início das aulas do UniEnem em Santana

Através da articulação do mandato da vereadora Socorro Nogueira, o Unienem agora é realidade em Santana. A aula inaugural aconteceu às 14h30 da última segunda-feira (26/06), nas dependências do Centro de Mobilização Social Vitória Régia, em Santana. 

Uma parceria firmada entre o mandato da vereadora Socorro Nogueira (PT), Universidade Federal do Amapá (Unifap) e Governo do Amapá (GEA), vai beneficiar 50 candidatos provados no processo seletivo da instituição. 

As aulas serão ministradas por professores graduandos da Unifap que é a idealizadora do projeto. O pró-reitor de extensão Rafael Pontes destacou que as parcerias foram importantes para ofertar o Unienem em Santana. 

“É um prazer estar em Santana com o projeto que é tão importante pra a Unifap, que possibilita novos sonhos, a conquista de novos espaços para estudar e ingressar na Universidade Federal do Amapá. É um prazer ter parceiros aqui como à vereadora Socorro Nogueira e Governo do Estado. Com a colaboração de parceiros como estes conseguimos trazer o projeto pra Santana”, disse Rafael. 

Os aprovados passaram por teste de seleção, que garantiu a classificação dos 50 estudantes. 

Gleiciane Costa que foi uma das alunas selecionadas, diz está feliz por ter a possibilidade de se preparar em um cursinho gratuito para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), que acontece em novembro deste ano. 

“Eu me sinto muito feliz porque eu não tenho condições de pagar um cursinho preparatório. Me interessei pelo UniEnem, corri atrás e consegui minha vaga”, destacou Gleiciane. 

A vereadora Socorro Nogueira que incansavelmente articulou as pacerias falou da importância da realização do projeto que vem beneficiar jovens santanenses. 

“Estou muito feliz com essa parceria com o Governo do Estado, Unifap e o nosso mandato, que permitiu trazer para o município de Santana o curso Unienem, um cursinho preparatório gratuito para os jovens se prepararem para o Enem. E que cada um deles possa concretizar os seus sonhos, e que também passe a valorizar essa conquista”, concluiu a parlamentar. 

Coordenação de Comunicação/Vereadora Socorro Nogueira

Bloqueio de recursos prejudicam trabalhos assistenciais da APAE/Santana

Desde que assumiu o cargo de presidente da Associação de Pais e Amigos Excepcionais de Santana (APAE) em janeiro desse ano, Elísia Almeida tem encontrado inúmeros empecilhos – tanto na área administrativa como no financeiro – para manter a referida entidade em funcionamento. 

Além de dívidas relacionadas à encargos trabalhistas, também estão as pendências de uso contínuo, considerados essenciais, como energia elétrica e gás de cozinha. 

“Quando assumi, recebi várias reclamações da falta de materiais de limpeza e higiene dos alunos, além da ausência de outros equipamentos básicos como cadeiras”, disse Elísia, que ainda citou a falta de prestação de contas dos gastos relacionados às gestões anteriores da entidade. 

Diretoria explica sobre situação da entidade
“Fica muito difícil de saber os reais gastos que houveram nas gestões que acabam nos deixando sem solução para sabermos as providências que podemos tomar sobre novos convênios com o município e com o Estado”, frisou. 

Segundo Elísia, essa falta de prestação de contas gerou um “desconforto administrativo” em meio aos problemas que estão sendo sanados e de outros que surgirão. 

“Muita gente acha que toda diretoria que passa por aqui vai fazer algo de errado, e vão deixando aos poucos de acreditar na nossa vontade de querer mostrarmos o que é certo. Tanto que tem pessoas e empresas que já deixaram de manter essa ajuda com a APAE por também acharem que tudo só visa interesses, o que não é verdade”, explicou. 

Diretoria reforçou segurança no local
Bloqueios 
O acúmulo de antigas dívidas (de ordem administrativa e até trabalhistas) e a falta de esclarecimentos formais que poderiam ser descritos através de prestação de contas da entidade teriam sido alguns dos motivos que levaram a APAE de Santana a sofrer constantes bloqueios em suas contas bancárias. 

Um dos mais recentes ocorreu no final da semana passada, onde cerca de R$ 7 mil ficaram retidos na fonte bancária por determinação judicial. 

“Todo mês, temos um considerável valor que é depositado a favor da entidade (em sua maioria, valores retidos a título de capitalização) e na semana passada tivemos esse valor bloqueado nas contas da entidade, o que nos pegou de surpresa”, disse Elísia. 

OAB-AP acompanhará situação da entidade
Apesar do bloqueio inesperado, a presidente vem buscando vários caminhos para manter as atividades didáticas da instituição em funcionamento. 

“Como estamos próximos do período de férias, os gastos mais necessários estão sendo mantidos dentro do limite e isso não agrava o nosso funcionamento, mas já estamos preocupados com o retorno das aulas para agosto e os gastos que teremos”, prevê. 

Apoio Jurídico 
Para acompanhar a situação referente aos valores já bloqueados pela entidade – na qual não se tem a fonte judicial que protocolou o pedido dos bloqueios – a presidente recebeu a garantia de uma importante ajuda, proveniente da Ordem dos Advogados do Brasil no Amapá (OAB-AP). 

A entidade recebeu na semana passada a visita conjunta de dois homens ligados à advocacia: vereador Dr.º Fabiano e o presidente da OAB-AP Dr.º Paulo Campelo. 

Na ocasião, conheceram os trabalhos desenvolvidos na instituição, além de saberem sobre as ações já aplicadas no local, que atende atualmente cerca de 100 crianças e adolescentes. 

Com novos espaços para o ensino e aprendizado de seus alunos, a APAE de Santana vem procurando oferecer a melhor dentro das condições que possui. 

“Vemos que esse trabalho não se desanima com os problemas que aparecem e com certeza sabemos que o Poder Público pode sim levantar essa bandeira de apoio”, expressou o vereador Dr.º Fabiano. 

Um dos assuntos também tratados durante a visita foi relacionado aos bloqueios bancários, sofridos por ordem judicial, que estão deixando a atual presidência da entidade, já preocupados com futuras situações. 

“Ainda não sabemos ao certo a origem de diversas ações judiciais que chegam contra a APAE de Santana, mas acreditamos que a maioria seja ligada a questões trabalhistas”, disse Elísia. 

Segundo o presidente da OAB-AP Paulo Campelo, um advogado da Ordem será disponibilizado para acompanhar com detalhes o andamento desses bloqueios judiciais, na qual tomará frente de diversas decisões. 

“A OAB do Amapá sempre se dispôs a cumprir um importante papel na área social e assistencial do nosso povo, e situações como essas nos colocam a favorecer da melhor foram possível as classes menos assistidas pelos serviços de advocacia”, comentou Campelo.

Clínica de Nefrologia de Santana inaugura nesta sexta-feira

O Governo do Amapá vai inaugurar na sexta-feira (30/06), Clínica da Vida Lourival Duarte Brandão, em Santana, ampliando o serviço de hemodiálise no Estado. A nova unidade de nefrologia é um espaço especializado e exclusivo para o tratamento em pacientes renais crônicos. 

A clínica está equipada com 14 máquinas de hemodiálise de última geração, e vai atender inicialmente 24 pacientes, três vezes por semana (terças, quintas e sábados) e em dois turnos (7h às 11h e das 12h às 16h). 

O atendimento será feito por uma equipe multidisciplinar formada por dois médicos, cinco enfermeiros, 25 técnicos de enfermagem com especialização ou treinamento na área, além de um psicólogo e um assistente social. 

Com isso, o governo amplia e fortalece a linha de cuidados aos pacientes e desafoga o atendimento na unidade de nefrologia do Hospital de Clínicas Alberto Lima (HCAL), dando mais comodidade e conforto aos usuários do município de Santana que não terão que se deslocar até a capital para o tratamento. 

Vencendo obstáculos
A ampliação da equipe que vai atuar na Clínica da Vida é uma prioridade para o governo do Estado, que vem trabalhando de forma contínua e incessante nesse sentido. O objetivo é elevar os atendimentos para mais de 80 pacientes até o final de 2017. 

Segundo a Sociedade Brasileira de Nefrologia, a carência de médicos nefrologistas é uma realidade comum a todos os Estados. Apenas 1% dos profissionais médicos no país, são especializados nesta área. 

Mas o Governo do Amapá se articula para vencer esse obstáculo e efetivar a contratação de mais um nefrologista ainda antes da inauguração, o que permitirá, de imediato, estender o serviço e atender até 50 pacientes. 

Custos 
A obra iniciou em maio de 2014, mas foi paralisada em novembro do mesmo ano. Com a necessidade de adequações e serviços complementares, ausentes no projeto inicial, a obra foi retomada pela gestão do governador Waldez Góes em setembro de 2016. 

A unidade de nefrologia de Santana teve um custo total de R$ 1.762.211,99, recurso exclusivo do tesouro estadual. 

A Clínica da Vida está localizada em uma área dentro do complexo hospitalar de Santana. E é composta por dois consultórios, sala para hemodiálise, osmose, posto de enfermagem, sala de recuperação, espaço de resíduos, ambiente para lavagem de fístula. além de recepção com registro e espera, administração, banheiros masculinos e femininos com acessibilidade; repouso e vestiários com banheiros masculino e feminino; duas copas, uma para funcionários e outra para pacientes e depósito de materiais de limpeza. Para dar suporte, caso falte energia, a clínica já possui gerador próprio. 

Importância 
A Hemodiálise, modalidade de tratamento ofertado na Clínica da Vida, é indicada quando os rins deixam de realizar a função de eliminar as substâncias tóxicas do organismo. Neste estágio, o paciente já atingiu a fase crônica da doença e é encaminhado para realizar o processo artificial de limpeza e filtragem do sangue por meio de uma máquina. 

A nefrologia é importante no tratamento de pessoas com insuficiência renal crônica e aguda, principalmente em pacientes diagnosticados com diabetes e hipertensão arterial, que ocupam cerca de 95% das vagas para a realização de hemodiálise no Amapá. 

Para o usuário ter acesso aos serviços do setor de nefrologia do Estado, é preciso ser referenciado por um médico da Unidade Básica de Saúde para um nefrologista que após avaliação e uma série de exames deverá indicar o tratamento adequado. 

Homenageado 
Filho de Jaburu dos Alegres, Gurupá/PA, Lourival Duarte Brandão chegou a Santana em 1966, com 29 anos, onde fez sua história como agricultor, pescador, madeireiro, funcionário da madeireira Brumasa. 

Lorica, como ficou conhecido, também fazia frete em carroça e vendia açaí. De tudo que fazia, desempenhou essas atividades com a raça, dedicação e esforço dos construtores de Santana, onde deixou oito filhos, 17 netos e seis bisnetos. 

Paciente renal crônico, Lourival faleceu aos 61 anos. Guerreiro, Lorica deixou grande contribuição com sua força e trabalho, qualidades que fizeram com que o Governo do Amapá o escolhesse para dar o nome a nova Clínica da Vida.

terça-feira, 27 de junho de 2017

“Contação de Histórias”: Projeto de Leitura do MP fascina alunos de escola rural de Santana

Aconteceu no último domingo (25/06), o projeto “Férias com afeto e contação de histórias”, uma parceria entre Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional (CEAF/Biblioteca), a Casa de Acolhimento João Piamarta, Paneiro de Palavras e projeto “Angelita: encontrar, contar e encantar”. 

O evento aconteceu na área externa da Escola Agrícola João Piamarta, localizada no Ramal do Paraiso em Santana. 

O projeto é um modo de atuar no incentivo à leitura de crianças e adolescentes acolhidos na Escola Agrícola Padre João Piamarta. 

“Busca-se o alcance desses jovens por meo da contação de histórias, música e incentivos, através de livros sobre o combate ao trabalho infantil”, informou Leididaina Silva, bibliotecária do MP-AP. 

A programação contou com a participação dos contadores de história Angela Carvalho, do projeto Angelita, de Iza Vanessa, Lucas e Ed Carlos, do Paneiro de Palavras, além do padre Veldeni e os jovens acolhidos. 

Os participantes – em sua maioria alunos da instituição – receberam camisetas e livros sobre o combate ao trabalho infantil. 

Escola Piamarta
Situada numa área rural, a Escola Agrícola João Piamarta é uma entidade desempenha atividades sócio-assistencial e educacional. 

A criação da instituição deu-se em razão do Padre Luis Brusadelli, observador do grande problema social econômico, em particular o educacional no município de Santana. 

Por meio de sua iniciativa, hoje a instituição tem estrutura suficiente para amenizar parte desta problemática, cuja as principais vítimas são os menos favorecidos economicamente.

Iluminação Pública: Iniciado o projeto “Santana às Claras”

A Prefeitura de Santana, através da Secretaria Municipal de Obras Públicas e Serviços Urbanos (Semop), deu início na última quarta-feira (21/06) à primeira fase do projeto Santana às Claras, que consiste na realização de melhorias no sistema de iluminação pública da cidade. 

A substituição de luminárias e lâmpadas das ruas, avenidas e demais logradouros públicos começou a ser feita na Avenida Santana e se estenderá pela Rua Cláudio Lúcio Monteiro, até o Igarapé da Fortaleza, além das ruas Adálvaro Cavalcante, Ubaldo Figueira e Salvador Diniz. 

A ação está sendo realizada graças à uma parceria entre a Prefeitura e a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), que está disponibilizando para o município cerca de R$ 300 mil em material, e uma equipe de profissionais, com engenheiro e técnicos para realizarem o serviço. 

O secretário de Obras Públicas e Serviços Urbanos, Juscelino Alves, assegurou que a Prefeitura cumprirá o cronograma e, nesta primeira fase, vai iluminar as principais vias do município no prazo de até 90 dias. 

Entre os materiais que a CEA está disponibilizando para a Prefeitura estão cerca de 1300 lâmpadas, 900 luminárias e 900 braços. 

O secretário adiantou que a PMS já está providenciando a licitação para as empresas que tiverem interesse em participar no certame. É a empresa vencedora que vai ser efetivamente a responsável pelos trabalhos de iluminação da cidade. 

Por enquanto, essa equipe da CEA e da PMS irá apenas substituir as luminárias, os reatores e os braços danificados. 

“Começamos os serviços pela Avenida Santana, por ser uma via bastante frequentada pela população, que no período noturno costuma utilizá-la para a prática de esportes, caminhadas, academias, entre outros”, justificou o secretário. 

A meta da Prefeitura é repor as lâmpadas apagadas no mais curto espaço de tempo, contribuindo com a estética, a paisagem e, principalmente, com a segurança da população.

“Uma cidade iluminada movimenta o comércio, favorece o lazer e diminui a violência”, concluiu Juscelino. 

Vale lembrar que o Plano de Ação para iluminar Santana abrange todas áreas da cidade, incluindo os bairros periféricos. A Prefeitura prevê que os serviços devam ser concluídos por um período de pelo menos 1 ano.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Grupo Madre Tereza emite Nota solidária sobre alunos vitimados em acidente no Anauerapucu

O grupo Madre Tereza, uma entidade educacional que desempenha o ensino pedagógico do fundamental ao superior em Santana, emitiu na manhã desta segunda-feira (26/06) uma Nota de Pesar, onde se solidariza com as vítimas do acidente ocorrido na noite deste domingo (25), na ponte do distrito do Anauerapucu, que resultou na morte de quatro pessoas.

Das vítimas, três eram estudantes da instituição (sendo que dois já teriam concluído cursos na entidade). Abaixo, detalhes sobre a Nota: 

Estamos de Luto
É com muita tristeza que, o Grupo Madre Tereza expressa seu enorme pesar, pelo falecimento de nosso querido aluno, Linco Silva Bráz, do 6º ano Ensino Fundamental, Rafaela Figueiredo Marques e Cleiton Silva da Costa, ex-alunos de nossa instituição.
Registramos os mais sinceros sentimentos e pêsames aos familiares e amigos, neste momento de imensa dor. 
Que Deus conforte nossos corações. Em respeito aos familiares, não haverá aula na instituição hoje, 26/06/2017 em todos os segmentos, CEMT, EMAT e FAMAT. 

A Direção

domingo, 25 de junho de 2017

Tragédia nas águas: Carro cai em rio e quatro pessoas morrem; motorista sobrevive

Mais uma vez a cidade de Santana protagoniza uma nova tragédia no trânsito, sendo que dessa vez o fato ocorreu na noite deste domingo (25/06) no distrito rural do Anauerapucu, distante a pouco mais de 15km da sede santanense. 

De acordo com as primeiras informações apuradas pelo blog, um veículo teria caído no Rio por volta das 21h quando tentava atravessar a ponte existente na localidade do Anauerapucu, distrito de Santana. 

Dentro do veiculo haviam cinco pessoas, sendo uma criança, uma mulher (aparentemente grávida) e dois homens, além do motorista. 

Segundo moradores das proximidades, o veículo estava sendo conduzido por uma pessoa não habilitada devido o motorista oficial está embriagado, o que poderia ter levado ao trágico episódio. 

O dono do veículo – que também estava na condução e foi o único sobrevivente da tragédia – foi encaminhado para o Hospital de Emergências de Santana. 

Além do Corpo de Bombeiros e agentes do Batalhão da Polícia Rodoviária Estadual (BPRE), peritos da Polícia Técnico Científica estiveram no local do ocorrido removendo o corpo das quatro vítimas.

Campanha pede doação de sangue à jovem internada em UTI de hospital com grave doença

Uma jovem de 18 anos vem preocupando dezenas de amigos e seus familiares nos últimos dias com uma doença que ainda não foi oficialmente identificada pelos médicos em um hospital de Macapá (AP). 

A acadêmica de Enfermagem Juliana Oliveira Nobre, encontra-se desde a última quinta-feira (22/06) em um hospital particular de Macapá, quando deu entrada apresentando sintomas de vômitos e forte diarreia. 

“Foi uma situação repentina que nem os médicos ainda souberam identificar a verdadeira bactéria que pode está dentro dela”, comentou um dos parentes da acadêmica, pelas redes sociais. 

A possível – e mais provável suspeita – é que Juliana esteja com uma bactéria semelhante à Shighela, também conhecida como disenteria bacteriana, causado por intoxicação alimentar, que leva à diversas consequências fisiológicas como diarreia sanguinolenta.

Campanha
Preocupados com o quadro da acadêmica, inúmeros amigos de Juliana estão buscando o apoio de pessoas que possam contribuir solidariamente com a doação de sangue, pois, segundo informações, a mesma passou por uma cirurgia no pulmão e necessita da imediata liberação de 100 bolsas de sangue (independente do fator sanguíneo) para suprir nos próximos dias.

Os interessados devem entrar em contato pelo número 99128-5420 (whatssap) e 99149-4229 (ligação).

Vereadora Socorro Nogueira deixa a base de apoio de Ofirney Sadala

Socorro deixa base de apoio do prefeito Sadala
O governo do prefeito Ofirney Sadala (PHS) acaba de sofrer a primeira baixa na Câmara Municipal de Santana. Na última sexta-feira, 23, por meio de uma carta, a vereadora Socorro Nogueira (PT) anunciou a saída da base aliada, alegando, entre outras coisas, falta de “plano de desenvolvimento da cidade, tampouco de ordenamento administrativo” e que “o Executivo não conseguiu mostrar os propósitos propalados em campanha e ratificados no início do governo”. 

A postura de Socorro Nogueira em relação à administração municipal vai depender da orientação partidária a ser tomada nos próximos dias. 

No documento, protocolado nesta sexta na Prefeitura de Santana, endereçado a prefeito Ofirney Sadala, Socorro Nogueira lembrou que foi convidada a dar sustentação à base de apoio de um governo que prometia dias melhores para o povo santanense, anunciando cuidar bem do município de Santana, “como nunca dantes ninguém cuidara”. 

A parlamentar reforçou que Salada teve apenas 22% dos votos dos santanenses, no entanto, toda a população da cidade ficou na expectativa da real mudança prometida pelo então candidato. Com o PT não foi diferente. 

Cópia da Nota Oficial da vereadora
A legenda também acreditou no projeto de reconstrução de Santana e autorizou Socorro Nogueira a acompanhar e sustentar as ações do Executivo pelo prazo de seis meses.

“Votei favoravelmente em todas as matérias encaminhadas pelo Chefe do Poder Executivo, embora sendo algumas do meu desagrado pessoal, no entanto, cumpri com a determinação partidária e do nosso mandato, dando crédito ao gestor”, diz a nota.

Passados os seis meses de gestão, Socorro Nogueira e o Partido dos Trabalhadores avaliam que as mudanças e melhorias prometidas não aconteceram. 

“Dessa forma, não pretendemos continuar a apoiar quem se nega a receber sugestões e encaminhamentos práticos para solução de problemas que há muito já não existiam e que ressurgem por falta de planejamento e de ação, o que faz com a gestão fique, desde já, fadada ao fracasso”.

Quais foram os maiores incêndios urbanos ocorridos em Santana?

2007: fogo destruiu lojas no Centro de Santana
Na última sexta-feira (23/06), um incêndio de grande porte atingiu três casas no bairro Novo Horizonte, em Santana, deixando os moradores do local bastante assustados sobre o ocorrido, pois, muitos que ali residem ainda guardam na lembrança fatos também relacionados à catástrofes das chamas. 

Em pouco mais de duas décadas, três grandes incêndios ocorreram no perímetro portuário de Santana, culminando em mais de cinquenta imóveis (entre comércios e residências) destruídos por labaredas de fogo que inexplicavelmente se formavam na parte interna dos imóveis e logo se espalhavam por outros pontos adjacentes. 

Por felicidade, em nenhum desses alarmantes incidentes houve registros de mortes humanas que pudessem deixar marcas mais dolorosas além das perdas materiais. 

Primeiro Grande Incêndio
Em 05 de setembro de 1988, um incêndio causado por descuido humano destruiria 22 moradias do “Dormitório São Camilo”, que existia na Avenida Castro Alves, número 39 (bairro Comercial), e uma residência ao lado daquele dormitório, além de ameaçar incendiar outras casas. 

O fogo, que alcançou labaredas de 7m de altura, começou por volta das 16hs quando a proprietária das moradias, Dona Maria de Nazaré de Souza Silva, deixou o fogão ligado para assar, onde inesperadamente, as chamas seguiram pelas paredes, causando a explosão do botijão de gás. 

O Corpo de Bombeiros chegou somente às 18hs, pois, nessa época, ainda não havia uma corporação de combate à incêndios instalada no município de Santana. 

Segundo Grande Incêndio 
No início da noite do dia 04 de novembro de 1996, um incêndio ocorreria no cruzamento da Rua Cláudio Lúcio Monteiro com a Avenida Amapá (Centro de Santana), destruindo pelo menos sete casas, entre comércios e residências. Foram 25 homens do Corpo de Bombeiros que levariam cerca de quatro horas para debelar os focos das chamas. 

Embora considerado um incêndio de grandes proporções, também não houve vítimas, apenas prejuízos materiais. Segundo testemunhas, o fogo iniciou por volta das 20hs, devido a um curto-circuito na rede elétrica em frente ao depósito de uma importadora. 

O sinistro devastou três (03) lojas de importados, uma lanchonete, a sede da Associação dos Alcoólicos Anônimos (AA), o depósito de uma loja de importados e uma residência, sendo que ninguém teve tempo de salvar as mercadorias e objetos. 

Uma das grandes deficiências encontradas durante a ação dos Bombeiros foi a falta de equipamentos de proteção (máscaras e luvas) contra gases tóxicos que pairavam fortemente devido as chamas. 

O tenente Cléucio Nascimento Rodrigues, que na época comandou a operação, disse que o trabalho dos bombeiros foi no sentido de evitar que o fogo se alastrasse por todo o quarteirão. 

Entre os questionamentos, cogitou-se uma possível imprudência técnica causada pela Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) nos serviços de manutenção na rede elétrica, ocorrido horas antes do incêndio, que teriam culminado em curto-circuito. 

A diretoria da CEA rebateu as acusações, demonstrando um laudo técnico que apontava um padrão irregular na entrada de um depósito de gêneros que teria sido as prováveis causas do princípio do incêndio. 

Um levantamento efetuado pelo Corpo de Bombeiros concluiu que os prejuízos materiais ficaram em quase R$ 50 mil. 

Terceiro Grande Incêndio 
Era tarde do dia 27 de julho de 2007 quando um incêndio de grandes proporções destruiu mais de 20 pontos comerciais e residenciais, localizados no início da Avenida Santana com a Rua Rio Jarí, na área portuária de Santana. 

O incêndio começou por volta das 15hs e rapidamente consumiu 10 casarões antigos de comércio e moradias com labaredas que atingiram mais de 20m de altura. 

A situação piorou depois que o fogo chegou aos depósitos clandestinos de pólvoras que vendiam como munição para ribeirinhos, e botijões de gás que estavam estocados nos fundos dos estabelecimentos, o que causou simultâneas explosões de fogo que foram ouvidas há mais de 1km, também formando uma nuvem tóxica e escura que pôde ser avistada até no distrito de Fazendinha. 

O controle do incêndio somente foi limitado com a chegada dos Bombeiros duas horas depois. 

Esse foi o único dos três maiores desastres incendiários que receberia apoio financeiro do Poder Público, onde 17 proprietários seriam contemplados pelo Programa “Amapá Empreendedor” com recursos do Fundo de Desenvolvimento do Micro e Pequeno Empreendedor (Fundmicro), com apoio do Governo do Amapá por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e do Empreendedorismo (Sete).

‘Novo Amapá’: Peça teatral lembra 39 anos do naufrágio com poesia e homenagens

Os 39 anos do maior naufrágio do estado serão lembrados com poesia e homenagens no espetáculo "Novo Amapá", que acontece no sá...