quinta-feira, 31 de maio de 2018

Entrega do certificado “Brasil livre da aftosa” marca abertura da 1ª ExpoBúfalo

Abertura incluiu apresentação do certificado
O Amapá possui o segundo maior rebanho de búfalos do país, são 270 mil animais criados por 150 produtores. Dar visibilidade a este potencial e demonstrar sua importância é o objetivo da 1ª ExpoBúfalo, que iniciou nesta quarta-feira, 30, e prossegue até o próximo sábado, 2, no Parque de Exposições da Fazendinha, em Macapá. 

Na abertura do evento, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (Correios) lançou do Selo “Amapá Livre da Febre Aftosa”. O governo apresentou o certificado internacional Brasil Livre de Febre Aftosa com vacinação. Ambos correspondem à certificação internacional concedida pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), oportunidade em que o Amapá, junto com outros estados da região Norte, foi reconhecido por ajudar o Brasil a ser declarado como livre da doença. 

O governador Waldez Góes frisou que a certificação fortalece o processo de desenvolvimento da produção de alimentos no Amapá. Ele explicou que o avanço foi possível porque o Estado priorizou os investimentos na política sanitária animal e vegetal, desenvolvida pela Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária (Diagro). 

“A certificação coroa o esforço dos produtores e profissionais que trabalharam durante anos para que o Estado pudesse ser reconhecido como um polo produtor de carne e de derivados de leite, possibilitando o fomento da cadeia produtiva amapaense e a inclusão no mercado nacional e internacional”, destacou o chefe do executivo. 

Para o secretário de Desenvolvimento Rural, Robério Aleixo, a TecnoAgro fortalece as cadeias produtivas do Amapá porque inclui assistência técnica, defesa sanitária, infraestrutura de transportes e ciência e tecnologia. 

“Desenvolvimento rural está ligado à agropecuária, mas também a floresta, a mineração e é isso que queremos desenvolver em nosso Estado. Temos que pensar que o desenvolvimento rural está ligado à educação, à saúde e à economia”, ponderou. 

O presidente da Associação dos Criadores do Amapá (Acriap), Jesus Pontes, afirmou que a 1ª ExpoBúfalo acontece em um momento histórico para a agropecuária do país e que o certificado representa um divisor de águas para o setor. 

“Hoje o país avança e o Amapá é o responsável direto por essa situação”, avaliou. 

A 1ª ExpoBúfalo é voltada, principalmente, para pecuaristas, produtores rurais e técnicos do setor público e privado. O evento discute em sua programação quatro pontos específicos para o desenvolvimento da bubalinocultura: sanidade animal, genética, alimentação e mercado. 

Selo 
Durante a cerimônia de abertura, os Correios lançaram o selo Brasil Livre da Aftosa, desenvolvido pela empresa em homenagem ao momento histórico vivido pelo setor agropecuário do país. 

O superintende dos Correios no Amapá, Heráclito Mendes, explicou que o Estado foi o primeiro do país a receber o lançamento oficial do selo. 

“O selo foi confeccionado pelos Correios no início do mês de maio, mesmo período que o Estado recebeu a certificação internacional. Então surgiu a oportunidade lançar o selo no Estado durante a 1ª ExpoBúfalo”, destacou o superintendente. 

O superintendente explicou que o selo está em circulação no Brasil com 120 mil unidades, das quais 30 mil foram enviadas ao Amapá – todas já foram adquiridas por entidades agropecuárias, portanto, não está mais disponível para comercialização. Góes, Aleixo e outras autoridades foram homenageadas durante o lançamento do selo. 

Catálogo de Tecnologia 
A cerimônia de abertura da 1ª ExpoBúfalo também incluiu o lançamento do Catálogo de Tecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). A publicação disponibiliza aos diversos segmentos produtivos informações referentes a produtos, tecnologias e dados referentes a pesquisas desenvolvidas pela empresa no período de 2008 a 2017. 

Os dados descritos abrangem desde soluções para o desenvolvimento da aquicultura e pesca, recursos florestais e meio ambiente, até sistemas sustentáveis de produção agropecuária. 

O chefe-geral interino da Embrapa, Nagib Melém, explicou que o trabalho é fruto do esforço de pesquisadores da Embrapa e da parceria da empresa com parceiros como o governo do Estado. 

“A 1ª ExpoBúfalo é uma oportunidade única para o lançamento do catálogo, onde se encontram tecnologias para todos, para o extrativista de castanha, o extrativista de açaí, o pescador, entre outros produtores”, afirmou. 

A publicação está disponível em versão impressa e online, no endereço www.encurtador.com.br/dmnBW. O público teve, ainda, a oportunidade de conhecer a história da bubalinocultura – a criação de búfalos – no Amapá, através de uma palestra ministrada pelo presidente da Federação de Agricultura e Pecuária do Amapá (Faeap), Iraçu Colares. 

TecnoAgro Amapá 
A 1ª ExpoBúfalo faz parte do circuito da TecnoAgro Amapá, política do governo do Estado que realiza eventos para a promoção de negócios em todo o espaço estadual, que alia conhecimento, tecnologia, modelos e sistemas de boas práticas de aproveitamento dos recursos naturais e de baixo impacto ambiental. 

O circuito é composto por sete eventos: Agropesc, no município de Amapá; Expointernorte, em Oipoque; ExpoVale, em Laranjal do Jari; ExpoFruta, em Porto Grande; Expomandioca, em Ferreira Gomes e ExpoBúfalo e Expofeira, em Macapá. 

O objetivo é fortalecer as atividades econômicas regionais com base na agropecuária e gerar oportunidades de negócios com a abertura para novos investimentos e a consolidação dos existentes.

Mão Única: Várias ruas e avenidas de Santana já estão funcionando em apenas um sentido

Mudanças já acontecem em várias vias
O município de Santana já está recebendo a última fase do Plano de Mobilidade Urbana, elaborado pelo Governo do Estado do Amapá, por meio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e Secretaria de Estado do Transporte (Setrap), em parceria com a Prefeitura Municipal de Santana (PMS) e Superintendência de Transporte e Trânsito do Município (Sttrans). 

A previsão de entrega da obra, que envolve asfaltamento, construção de calçadas, meio fio, drenagem e sinalização de vias, deverá ser até o dia 30 de junho. 

De acordo com o superintendente da Sttrans, Josiney Pereira Alves, o Plano de Mobilidade Urbana trouxe mudanças no sentido de ruas e avenidas importantes da cidade, com o objetivo de reorganizar e melhor distribuir o trânsito, além de oferecer mais segurança e condições de trafegabilidade para pedestres e condutores. 

Avenida 07 de Setembro será em mão única
Ele disse, ainda, que mais de 75 mil veículos circulam por mês no município, sendo que destes mais de 25 mil veículos têm placas de Santana, e que o órgão atuará com orientações, por no mínimo 30 dias, a fim de conscientizar condutores e pedestres sobre as mudanças. 

Abaixo segue o nome das ruas e avenidas da área urbana de Santana que estarão (algumas já estão) seguindo apenas em mão-única desde o último dia 28 de maio: 

Avenida 07 de Setembro: A Avenida 07 de Setembro será mão única no sentido Rua Everaldo Vasconcelos (Fonte Nova) – Rua Cláudio Lúcio Monteiro (Área Portuária). 

Avenida Castelo Branco: A Avenida Castelo Branco será mão única no sentido Rua Cláudio Lúcio Monteiro (Área Portuária) – Rua Everaldo Vasconcelos (Fonte Nova). 

Rua Presidente Costa e Silva: A Rua Costa e Silva será mão única no sentido Avenida Santana (Centro) – Avenida Pastor Souzinha (Nova Brasília). 

Rua Salvador Diniz: A Rua Salvador Diniz será mão única no sentido Avenida Stélio de Oliveira (Nova Brasília) - Avenida Santana (Centro). 

Rua Adálvaro Cavalcanti: A Rua Adálvaro Alves Cavalcante será mão única no sentido Av. Santana (Centro) - Av. Estélio de Oliveira (Nova Brasília). 

Rua Euclides Rodrigues: A Rua Euclides Rodrigues será mão única no sentido Avenida Stélio de Oliveira (Nova Brasília) – Avenida São Paulo (Centro).

TAC garante festejos juninos com ordem e segurança em Santana

A Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público, da Cidadania e do Consumidor (PJDPPCC), representada pelo promotor de Justiça, João Furlan, firmou, na última sexta-feira (25/05), com a Polícia Militar (PM/AP), Corpo de Bombeiros Militar (CBM/AP), Município de Santana e agremiações, um Termo de Ajuste de Conduta. 

O objetivo da ação é que a realização do festejo “Santana Cidade Junina 2018 – 10º Arraial no Meio do Mundo”, no mês de junho próximo, seja realizado com a devida organização e responsabilidade dos promotores pela segurança e garantia dos direitos dos cidadãos santanenses. 

Entre as exigências contidas no TAC estão voltadas a realização de festividades juninas a nível municipal, estadual e nacional, no município de Santana. 

Entre elas estão: a utilização do som de forma adequada, para evitar a perturbação do sossego alheio e a degradação do meio ambiente e poluição sonora; fiscalização dos comerciantes e ambulantes que vendem gêneros alimentícios e bebidas, para garantir a higiene e limpeza, desde a preparação até o consumo final; e que os realizadores do evento sejam responsáveis pela segurança do festejo e garantia da ordem durante a Quadra Junina; O TAC prevê, ainda, que os órgãos responsáveis terão a incumbência de vistoriar as estruturas do local onde será promovido o evento e emitir laudos técnicos em até dois dias antes da realização deste; a proibição de venda ou distribuição de bebidas destiladas aos brincantes. 

De acordo com o titular da PJDPPCC, é função institucional do MP-AP zelar pelo efetivo respeito dos poderes públicos e dos serviços de relevância pública aos direitos assegurados na Constituição Federal. Assim como promover o bem estar social. 

O promotor de Justiça também enfatizou que o TAC exige a garantia dos serviços de policiamento e cobertura do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU). 

“Os grandes eventos de lazer, ao mesmo tempo em que divertem, algumas vezes causam prejuízos pessoais e coletivos. O TAC foi uma forma de prevenir qualquer dano que afete os cidadãos. Esse é o nosso papel e vamos cumprir nossa missão institucional”, frisou o promotor de Justiça João Furlan. 

Estiveram presentes pelas entidades governamentais e assinaram o TAC o secretário municipal da fazenda (Sefaz), Lindemberg Mota; coordenador da Cultura do Município de Santana e da Central do Carnaval, Ricardo Oliveira; secretário municipal de saúde (Semsa), Rosinaldo Almeida; secretário municipal de Desenvolvimento Econômico e Economia Solidária, Francisco Rozinaldo; capitão da PM/AP, Adriano Rodrigues e o tenente do CBM/AP, Alex Gama. 

Os representantes de agremiações juninas que assinaram o documento foram: a presidente da Federação das Entidades Folclóricas do Amapá, Daiana Santos; o representante da Liga das Associações Juninas de Santana, José Chaves; o representante da agremiação Arraiá da Tia Sebastiana, Josicleia Ferreira e do Forrozão do Tio Gigante, Belarmino Gomes.

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Reserva Natural em Santana busca apoio do Judiciário para se manter ativa

O presidente do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), Desembargador Carlos Tork, acompanhado do vice-presidente do TJAP, Desembargador Gilberto Pinheiro, recebeu o promotor de Justiça da defesa de meio ambiente da ordem urbanística e do patrimônio cultural de Santana, Adilson Garcia, e o administrador da Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN), Paulo Roberto Amorim. 

A visita teve como finalidade o pedido de parceria com a Justiça do Amapá para ajudar na manutenção da Revecom, que tem como característica principal a conservação da diversidade biológica, mas que há anos enfrenta dificuldades para se manter em funcionamento. 

De acordo com os desembargadores, a contribuição pode vir por meio de uma cooperação entre a Revecom e o Tribunal de Justiça do Amapá tendo como objeto a captação de recursos disponibilizados pelo Fundo de Apoio ao Juizado da Infância e Juventude (FAJIJ).

“Saímos daqui muito felizes e agora é trabalhar na elaboração do projeto. Nós necessitamos desse recurso, desse apoio, pela importância que tem a unidade de conservação e o trabalho sócio cultural e ambiental que ela presta à sociedade”, argumentou o administrador da Revecom, Paulo Amorim. 

O promotor Adilson Garcia disse que a Revecom é a única reserva particular natural em funcionamento no estado e precisa de recursos para continuar em atividade. 

“A entidade tem folha de pagamento, alimentação para 300 animais e um projeto social que só para 2018 vai levar educação ambiental para seis mil alunos da rede municipal de ensino, sem falar que precisa de recursos para a manutenção das passarelas e outras finalidades”, destacou. 

Localizada no bairro Vila Amazonas no município de Santana, a Reserva Particular do Patrimônio Natural (RPPN) foi criada em 1998 e tem 170 mil metros quadrados de área preservada, abrigando atualmente cerca de 300 animais de várias espécies como araras, onças, papagaios, tucanos, jabutis, cobras e macacos.

PL proíbe corte de energia e água nos finais de semana e vésperas de feriados em Santana

Cortes proibidos nos feriados e finais de semana
Conforme o PL 049/18, de autoria do vereador Dr.º Fabiano, o corte do fornecimento de energia elétrica e água pelas concessionárias, em caso de inadimplência dos clientes, não poderá ser efetuado durante o final de semana e véspera de feriados, entre a zero hora de sexta-feira até às 8h da segunda-feira subsequente. 

De acordo com a proposta legislativa, “fica proibido à concessionária de energia elétrica e fornecimento de água, o corte do fornecimento dos respectivos serviços no âmbito do município de Santana, por motivo de inadimplência de seus clientes, da zero hora de sexta-feira até às 8h da segunda-feira subsequente”. 

A partir da zero hora significa que o usuário poderá efetivar o pagamento durante a sexta-feira. O PL diz ainda que o limite de horário às concessionárias deve ser obedecido também às vésperas de qualquer feriado, nacional, estadual ou municipal, e ponto facultativo. Assim, da zero hora do último dia útil antecedente a qualquer feriado e ponto facultativo até às 8h do primeiro dia útil subsequente estarão as concessionárias desautorizadas a efetivar o desligamento dos seus serviços. 

O regramento define que a suspensão do fornecimento de água e energia elétrica por falta de pagamento das tarifas respectivas somente poderá ocorrer mediante prévia comunicação por parte da empresa prestadora do serviço ao usuário. 

Ao Executivo Municipal caberá regulamentar por Decreto a forma e o valor das sanções a serem aplicadas às concessionárias, em caso de descumprimento da lei. 

Fabiano é autor do Projeto de Lei
Na justificativa, Fabiano pondera que a iniciativa busca evitar a interrupção do fornecimento de água e luz nessas datas, uma vez que contraria o Código de Defesa do Consumidor. 

“Nos finais de semana, as agências bancárias e as próprias concessionárias encontram-se fechadas, assim como às vésperas dos feriados acontece a redução do horário de expediente, impedindo que o consumidor, ao constatar a efetiva suspensão do serviço, quite a dívida”, observa o autor do projeto de lei. 

O vereador também destaca que se trata de serviços essenciais e orientação do Superior Tribunal de Justiça determina que “a suspensão desses serviços deve ser feita, quando for o caso, de modo a viabilizar a possibilidade de imediato pagamento e também do pronto retorno do fornecimento”. 

O PL teve boa aceitação no plenário da Câmara de Vereadores de Santana nesta terça-feira (29) e passará agora por uma apreciação jurídica da Casa de Leis, sendo aprovado, seguirá para sanção do Executivo.

terça-feira, 29 de maio de 2018

Em Santana, crianças morrem eletrocutadas ao subirem em açaizeiro próximo a fios de alta tensão

Populares acompanham o resgate no local
Dois meninos, um de 08 e outro de 11 anos, morreram ao serem eletrocutados quando subiam em um açaizeiro que estava encostado em fiação elétrica de alta tensão. 

O acidente ocorreu por volta das 16h desta terça-feira (29/05), na Área de Proteção Ambiental (APA) do Igarapé da Fortaleza, em Santana, a 17 quilômetros de Macapá. 

De acordo com o pai da criança de 8 anos, o pescador Adilson Ferreira, de 31 anos, os meninos tinham a rotina de brincar no local. O acidente ocorreu numa área de ponte, às margens do igarapé. 

“Eles subiram para pegar frutas e o açaizeiro tombou um pouco e encostou no fio elétrico. Meu filho recebeu a carga e caiu na água, mas o outro menino ficou grudado no açaizeiro e caiu em cima da ponte”, contou o pai. 

Ferreira diz que essa foi a versão que os moradores e barqueiros que viram o acidente contaram. Ambas as crianças foram resgatadas pelos pais. 

“As pessoas que estavam perto ficaram com medo de pular na água e pegar choque. Quando eu cheguei já não via mais meu filho. Pulei na água e achei”, contou o pescador.

Jailson dos Santos Gomes, de 11 anos, foi carregado pelo pai, que levou o filho por conta própria para o Hospital de Santana, mas ele já chegou morto à unidade de saúde. 

A outra vítima de 8 anos, foi retirada da água também pelo pai e chegou a ser reanimado pelo Samu dentro da ambulância, mas não resistiu e morreu no local.

Informações colhidas do G-1 Amapá

Santanense integra grupo que vai participar de semana de imersão na cultura dos EUA

Estudantes amapaenses viajam no final de junho
Três estudantes da rede estadual de ensino do Amapá irão participar de uma semana de imersão na cultura dos Estados Unidos. Isabela da Silva Parente, Izabela Picanço Borges e Richard da Silva Lima embarcam no final de junho para Brasília (DF), onde acontecerá a programação na Embaixada Americana. 

Os três estudantes foram automaticamente selecionados para o programa English Immersion USA Program – EIP/2018 após se tornarem finalistas do programa Jovens Embaixadores 2018. A imersão na Casa Thomas Jefferson, da Embaixada dos Estados Unidos em Brasília, acontecerá de 1º a 6 de julho. 

Para conquistar a vaga, entre outros critérios, os jovens foram analisados pelo desempenho escolar, nível de domínio do inglês, boa relação com sua escola e comunidade. 

Isabela Parente é santanense e integra o grupo
Características pessoais como capacidade de comunicação, liderança e proatividade também foram avaliadas. Além disso, o candidato tinha que ter realizado algum trabalho voluntário por, pelo menos, um ano e nunca ter viajado aos Estados Unidos.

Na época em que a Isabela Parente e o Richard Lima se inscreveram na seletiva, eles estavam concluindo o ensino médio nas escolas estaduais Augusto Antunes, no município de Santana, e Elias de Freitas Trajano de Souza, na cidade de Porto Grande, respectivamente. 

Hoje, Isabela cursa Sociologia na Universidade Federal do Amapá (Unifap) e Richard, Engenharia Civil. 

“Estou ansiosa para participar da programação. Na atual situação em que estamos vivendo, de que cada vez o mercado de trabalho está mais exigente, cada diferencial pode se destacar. Acredito que pode ser um fator positivo essa experiência para meu futuro profissional”, avaliou Isabela Parente. 

Richard aprendeu o idioma inglês na escola. Ao chegar em casa, ele corria para a frente do computador para assistir vídeos na internet, ler livros e ouvir músicas do idioma norte-americano. 

“Estou cursando Engenharia Civil e acredito que a imersão vai ser essencial para desenvolver minhas habilidades, já que inglês é extremamente necessário para a minha profissão”, pontuou o jovem. 

Izabela Picanço é a única dos selecionados que ainda cursa o ensino médio. Estudante da Escola Estadual Augusto dos Anjos, em Macapá, a jovem conta que aprender o idioma inglês foi determinante para definir qual curso superior, seguir. 

“Bom, eu ainda estou em dúvida entre cursar Relações Internacionais ou Letras-Inglês. Acredito que o EIP irá me proporcionar novos conhecimentos, não somente sobre o idioma em si, mas sobre a cultura americana, e é algo que eu admiro muito”, comentou. 

Para chegar à final, os jovens passaram por três fases de seleção, duas de proficiência na língua estrangeira e uma visita social. Cerca de 100 estudantes se inscreveram, 14 deles participaram das seletivas de prova escrita e oral de inglês. Os inscritos foram de escolas estaduais e do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amapá (Ifap). 

Ao final desse processo, quatro estudantes foram selecionados e receberam a visita dos assessores pedagógicos de cada município em suas residências. 

Os dados colhidos foram enviados à embaixada, responsável pela análise final e escolha. O acompanhamento do projeto no Amapá é realizado pelo Núcleo de Ensino Médio da Secretaria de Estado da Educação. 

Jovens Embaixadores 
O programa Jovens Embaixadores é uma iniciativa de responsabilidade social da Embaixada dos Estados Unidos no Brasil, em parceria com organizações públicas e privadas. 

Entre os principais colaboradores estão o Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed), a ampla rede de Centros Binacionais Brasil-Estados Unidos (BNCs), além de empresas que demonstram um claro comprometimento com a responsabilidade social corporativa: FedEx, MSD, Microsoft, IBM, Banco Bradesco e Boeing.

No Fórum de Santana, homens autores de violência doméstica participam de projeto reflexivo

O Juizado de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher da Comarca de Santana iniciou o projeto “Transformando Trajetórias”, uma atividade que promove círculos de diálogos com homens autores de violência doméstica, cujas mulheres se encontram sob medida protetiva de urgência. 

A iniciativa é coordenada pela juíza titular do Juizado, Michelle Costa Farias, e a execução parte do Núcleo Psicossocial, composto pela assistente social Janice Divino e pela psicóloga Eliany Rodrigues, contando ainda com o apoio de toda a secretaria da unidade, dirigida pelo servidor Carlos Rangel Vilhena. 

De acordo com a assistente social Janice Divino, “o projeto trabalha a aproximação do homem, autor da violência contra a mulher, contribuindo para que ele entenda que seus atos reproduzem suas experiências e a forma com a qual foram constituídos como sujeitos”, esclareceu a servidora.

“A atividade figura como requisito no processo, independente de terem sido ou não representados criminalmente. O projeto também tem como prioridade refletir sobre o modo como veem a mulher na sociedade e como se relacionam com as mulheres importantes de suas vidas. Essa reflexão visa proporcionar que repensem sobre os sentimentos que envolvem seus relacionamentos amorosos”, destacou. 

A experiência é inédita no Amapá e esse projeto ocorre durante três meses, com dois encontros mensais durante o início da vigência das medidas protetivas. A intenção é trabalhar a reflexão com base na Justiça Restaurativa por meio dos círculos transformativos, cuja finalidade é respeitar o outro a partir de sua própria história. 

Os círculos buscam estabelecer um espaço seguro, acolhedor e participativo, onde são fomentadas discussões sobre gênero, álcool e outras drogas, questões sociais e financeiras, religiosas e de saúde, dentre outras. 

“Esperamos que o projeto contribua para que os homens atendidos neste Juizado possam ter a oportunidade de viver suas vidas de forma menos violenta, capazes da autorreflexão, para que entendam que não precisam ser meros reprodutores de uma lógica perversa que também os encarcera, violenta e limita”, afirmou a psicóloga Eliany Rodrigues. 

A juíza Michele Farias afirma que a ação visa diminuir a reincidência da violência doméstica, por meio das práticas restaurativas, especialmente os círculos de diálogos. 

“O projeto leva os homens a refletirem sobre si mesmos, sobre sua história, reconhecendo a violência praticada e recebida e, deste modo, alterarem suas escolhas, abandonando a violência e agindo com mais tolerância e equilíbrio nas relações íntimas e familiares”, ponderou a magistrada.

segunda-feira, 28 de maio de 2018

Vídeo mostra corredores alagados de Centro do Idoso em Santana

Vídeo mostra água de chuva nos corredores
Pelo visto a intensa chuva que caiu na manhã desta segunda-feira (28/05) na cidade de Santana acabou deixando diversos estragos, principalmente em locais que não deveriam ser alcançados. 

Um desses improváveis locais que acabaram sendo atingidos foram os corredores internos do Centro do Idoso, localizado na Vila Amazonas, área noroeste do município. 

Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra um cruzamento de corredores do prédio – inaugurado há menos de dois anos – totalmente cheio de água, onde funcionários precisaram usar rodos para escorrer o líquido espalhado no chão. 

“Uma tremenda falta de vergonha dos nossos governantes”. Assim descreveu de modo crítico uma servidora pública – que preferiu não se identificar, pelas redes sociais. 

A Prefeitura de Santana ainda não se pronunciou sobre o fato. Abaixo, o vídeo que circula na internet: 

Há 60 anos, festejávamos a milionésima tonelada de manganês em Santana

1958: O trem trazendo a faixa comemorativa
A área de estocagem mineral da Indústria e Comércio de Minérios Ltda (ICOMI), na modesta vila portuária de Santana era pequena para tantas pessoas que se aglomeravam desde as primeiras horas ensolaradas daquela manhã de 28 de maio de 1958. 

Eram líderes religiosos, comunitários, além de diversas autoridades políticas do então Território Federal do Amapá, entre elas, o governador Pauxy Nunes, acompanhado de sua comitiva. 

Este seria o segundo grande registro mais importante da história da exportação de minério de manganês explorado do Amapá por mais de 40 anos (de 1957 a 1998) com seus objetivos comerciais para o mercado nacional e internacional. 

O primeiro seria na tarde do dia 09 de outubro de 1956, quando ocorreu o primeiro despejo de minério de manganês no pátio industrial da ICOMI, em Santana, após ser retirado das minas manganíferas de Serra do Navio. 

Com o início do processo de exportação de minério, a partir de janeiro de 1957, o pátio de estocagem da mineradora se manteria constantemente limitado pelo principal produto mineral que identificaria a economia do Amapá. Para isso acontecer, foi montada toda uma estrutura ferroviária para interligar a região das minas com o cais de embarque, situado no atual município de Santana. 

De março de 1954 a Outubro de 1956, foram construídos quase 200km de estrada férrea, envolvendo cerca de 300 braçais que se “debruçaram” duramente em duas frentes de trabalho, durante o dia e até parte da noite, para assim concluírem uma das conhecidas linhas ferroviárias do Brasil: a Estrada de Ferro do Amapá (EFA). 

Depois do primeiro embarque de minério de manganês, deixando o Porto Industrial da ICOMI – fato este ocorrido em 12 de janeiro de 1957 –, seria quase que semanal a presença de grandes cargueiros nacionais e internacionais que levariam milhares de toneladas da nossa mais preciosa riqueza mineral. Somente naquele seu primeiro ano de operação (1957), a ICOMI exportou quase 670 mil toneladas de manganês, seguidos exclusivamente para a América do Norte (EUA). 

No ano seguinte, a produção exportadora da mineradora repercutiria positivamente para outros continentes (Europa e Ásia) que logo demonstrariam grande interesse sobre o minério daqui explorado. Tanto que obrigou a ICOMI a adquirir novos maquinários para complementar sua estrutura técnica. 

Após a compra de novos equipamentos, foi-se então decidido que dois importantes eventos seriam simultaneamente realizados (na mesma data): com a presença de toda a cúpula administrativa da ICOMI (contando também seu Diretor-Presidente Dr.º Augusto Trajano Antunes), além de autoridades territoriais e a comunidade amapaense, assistiriam a chegada da milionésima tonelada de minério de manganês (vindos de Serra do Navio), trazidos em 30 vagões que despejariam o minério no pátio industrial da empresa em Santana. 

O ato seria marcado com a inaguração de uma placa significativa ao momento, descrito: “Esta Pilha completa o 1º milhão de minério de manganês, beneficiado pela ICOMI. Maio-28-58”

Logo depois desta cerimônia, a comitiva governamental, juntamente com diretores da mineradora, seguiram para o cais de embarque, onde assistiriam o desembarque de novos materiais e equipamentos adquiridos pela ICOMI, para a composição do sistema ferroviário do Amapá. 

Entre mais de 2.000 novos dormentes, 68 assentos duplos (bancos internos), também vieram 50 novos vagões para agilizar no transporte do minério de manganês vindo das minas de Serra do Navio.

Abastecido por balsas, Amapá passa à margem da crise dos combustíveis

Com praticamente todo o abastecimento de combustíveis feito por balsas, o estado do Amapá é das poucas unidades da federação que, até o momento, não sentiu o impacto direto da paralisação nacional dos caminhoneiros. 

“Temos recebido a quantidade habitual de combustíveis e a expectativa é de que, com a notícia de que as lideranças do movimento pediram aos caminhoneiros para começarem a liberar o tráfego de veículos nas rodovias, não sejamos afetados”, disse a Agência Brasil o presidente do Sindicato dos Postos de Combustíveis do Amapá (Sindpostos), Valter Montes. 

Segundo Montes, a base de distribuição de combustíveis de Macapá opera normalmente, embora as vias de acesso ao Porto de Santana, como a Rodovia Duca Serra, tenham sido parcialmente obstruídas por caminhoneiros que protestam contra a alta do preço do diesel, retardando o tráfego de veículos. Apenas 17 quilômetros separam Santana do centro da capital amapaense. 

Apesar disso, ao assistirem no noticiário a situação no resto do país, muitos macapaenses correram para os postos de combustível a fim de encher os tanques ou estocar gasolina. Em consequência do aumento da demanda, alguns postos ficaram sem produtos.

Aproveitando-se da situação, os donos de alguns estabelecimentos aumentaram os preços, o que fez com que o Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) passasse a monitorar eventuais aumentos abusivos na capital e em Santana. 

“O abastecimento, neste momento, está dentro dos padrões habituais do estado”, garantiu o secretário-adjunto da Administração, José Marlúcio Alcântara, confirmando que alguns postos ficaram sem combustível devido à corrida aos postos. “Principalmente aqueles onde o preço estava mais barato”, acrescentou. 

Apesar de descartar qualquer “perspectiva de desabastecimento”, Alcântara revelou que, por precaução, o próprio governo estadual decidiu orientar os diversos órgãos públicos a economizarem combustível, procurando otimizar o uso dos veículos oficiais em serviços administrativos. 

“Foi uma medida adotada preventivamente e que não afeta serviços essenciais de segurança pública e saúde”, disse o secretário-adjunto, destacando que o abastecimento da frota do governo segue dentro da normalidade. 

De acordo com Alcântara, embora o tradicional abastecimento por balsas-tanques encareça o produto, estando sujeito a imprevistos característicos da navegação de cabotagem, o modal acabou favorecendo o Amapá. “Há prós e contras, mas é um transporte alternativo frente a quaisquer adversidades. Na Amazônia, então, é uma alternativa que nunca pode ser descartada”, concluiu Marlúcio. 

Matéria originalmente postada na revista Isto É

domingo, 27 de maio de 2018

Contendo produtos entorpecentes, homem tenta fugir, mas é preso pela polícia de Santana

Na tarde deste sábado (26/05), a central de operações do 4° Batalhão da Polícia Militar de Santana recebeu várias denúncias sobre um indivíduo que estaria comercializando entorpecentes na Travessa Palmira Miranda de Andrade, no bairro Nova Brasília. 

Diante das informações, uma equipe foi designada para verificar as denúncias. Com as características do indivíduo, realizavam buscas pelo local, quando o suspeito avistou a viatura, tentou se desfazer de um objeto e empreender fuga, porém foi alcançado pela equipe. 

Durante a abordagem, a equipe encontrou com o indivíduo, varias porções de uma substância supostamente entorpecente semelhante ao crack, posteriormente ele informou aos policiais que na residência havia mais embalagens dessa mesma substância. 

Em meio às buscas, a equipe encontrou mais trinta (30) porções juntamente com outros materiais utilizados na embalagem escondidos no interior de um sofá. 

Diante dos fatos, o indivíduo foi apresentado na 1° delegacia de Santana, juntamente com os materiais encontrados, para as medidas legais. 

Divisão de Relações Públicas e Imprensa do 4°BPM/DRPI

1955 e o avanço na construção da Estrada de Ferro do Amapá

Dormentes sendo fincados na ferrovia do Amapá
Quando ficou constatado que o minério de manganês encontrado pelo regatão Mário Cruz – em meados da década de 1940 durante uma de suas inúmeras viagens pelo rio Amaparí –, houve uma grande pressão das autoridades majoritárias da Nação com relação dos objetivos a serem logo tomados para sua exploração. 

Na mesma década foi realizada uma histórica concorrência pública que favoreceu a empresa Indústria e Comércio de Minérios Ltda (ICOMI) em explorar o referido pelo período de 50 anos ininterruptos. 

No contrato assinado em 04 de dezembro de 1947, ficou descrito na 13ª Cláusula (no Capítulo II) que a empresa arrematadora das jazidas daria igualdade de condições com qualquer tipo de transporte, porém, preferiu pela construção de uma via férrea, sob a influência de que a mineradora teria sobre o progresso na região. 

Passado todos os estudos e levantamentos técnicos que apontavam as condições geográficas entre as minas manganíferas e o futuro Porto de Embarque (que totalizaria uma distancia de quase 200km em linha reta), foram buscado procedimentos para sua execução que também dependeria de uma concessão do Governo Federal, que acabou sendo concedido através de um acordo feito somente em 28 de março de 1953. 

Com todos os tramites formalizados, as obras de terraplanagem iniciaram em meados de 1954, no sentido Rio Amazonas-Serra do Navio. Em paralelo, um grupo de trabalhadores prosseguiu levantando barracos de compensados com telhas de zinco para ali funcionarem alguns setores técnicos da ICOMI. 

Mas a grande empreitada dos serviços começaria em 1955, quando o canteiro de obras do futuro Porto de embarque da mineradora passaria a receber renomados projetistas e importantes navios, tanto estrangeiros como nacionais. 

Uma dessas primeiras visitas ocorreu em 30 de março (de 1955), quando o cargueiro norte-americano Mormacswan, da empresa Moore Mc Cormack, atracou em Porto de Santana, trazendo mais de 1.500 toneladas de material destinado à construção da ferrovia. Considerado o primeiro transatlântico a ancorar no “pier” de Santana, também trouxe três (03) modernas locomotivas adquiridas pela ICOMI nos Estados Unidos. 

Segundo o ex-soldador de ferramentas da ICOMI, Raimundo Antônio de Souza, hoje com 79 anos, as primeiras estruturas para montagem da ferrovia eram adquiridas por etapa pela mineradora. 

“Depois que começaram os serviços de terraplanagem da estrada por onde passaria os trilhos, tivemos que esperar por mais de dois meses para chegar as primeiras peças de montagem, que vinham sendo trazido em navios do Japão, Estados Unidos e até da Alemanha”, relembra seu Raimundo, que exerceu tal função na ICOMI no período de 1954 a 1979, seguindo depois para o quadro de servidores do extinto Território Federal do Amapá, onde se aposentou em 1992. 

“Quando chegaram as primeiras vigas, tivemos ainda que selecionar as peças mais resistentes para ficarem fincadas no Porto de embarque e as menos volumosas se tornaram a linha de acesso da ferrovia”, detalhou. 

Um dos coordenadores que supervisionava diariamente os serviços de colocação das vigas era o engenheiro ferroviário Ralph Medellín (falecido em 2008), que chegava a ficar até dois dias “embrenhados” nas matas, buscando certeza que os trabalhos estavam realmente sendo executados de acordo com as projeções da empresa. 

“Os operários tinham que seguir uma ordem de serviço que demarcava em detalhes construção da ferrovia, que saía do ponto de partida (Porto de Santana) e alcançava as minas de manganês. Tinha locais tão difíceis de percorrer para abrir a ferrovia (referente a rios e lagos) que ficávamos até dois dias lançando aterro ou levantando uma ponte para chegarmos do outro lado e continuar o percurso de construção da ferrovia”, comentou Ralph, numa entrevista concedida a este blogueiro em fevereiro de 2004. 

Ralph Medellín era venezuelano, radicado nos Estados Unidos (EUA) desde a década de 1940 e seguiu para o Brasil a convite da ICOMI com objetivo exclusivo de trabalhar na montagem da Estrada de Ferro do Amapá e do Porto de embarque de minérios de Santana, tornando-se um dos homens de confiança do Engenheiro Augusto Trajano Antunes durante o período de implantação e funcionamento da ICOMI no Amapá (de 1948 até 2003). 

Ainda abriu uma empresa terceirizada (Medellín Construções) que ficou prestando serviços na área interna do Porto de Santana durante o processo de repasse dos bens patrimoniais da mineradora para o Poder Executivo do Estado, mas acabou fechando após seu falecimento em novembro de 2008, vítima de insuficiência pulmonar.

sábado, 26 de maio de 2018

Funcionários de comércio evitam homicídio em Santana

Uma situação que gerou tumultuo de inúmeros curiosos no bairro Dos Remédios I na noite deste sábado (26), foi uma tentativa de homicídio. 

Segundo informações de agentes do 4º Batalhão da Polícia Militar de Santana, o fato aconteceu em um conhecido estabelecimento comercial localizado no cruzamento da Rua Presidente Costa e Silva com a Rodovia Salvador Diniz. 

Um homem – que não teve a identidade revelada pelas autoridades – havia saído de dentro do estabelecimento (após efetuar compras no local) quando foi inesperadamente abordado por um elemento que lhe desferiu uma facada na altura da coxa do lado direito. 

Ferido, a vítima teria corrido para dentro do comércio, onde conseguiu veio a ser socorrido por funcionários do local, que fecharam as portas de entrada do local para que o infrator não entrasse. 

Uma viatura da PM foi acionada e após efetuar várias diligências pela região, não conseguiu localizar o infrator. 

“Não descartamos as possibilidade de um acerto de contas que seria o motivo dessa tentativa de homicídio”, disse a polícia. 

A vítima foi encaminhada ao Hospital de Emergências de Santana, onde segue internada.

sexta-feira, 25 de maio de 2018

Relatório aponta com sucesso adoções em Santana

A Vara de Infância e Juventude da Comarca de Santana, que tem como titular a juíza Larissa Noronha, informou o número de adoções realizadas durante o ano de 2017. Foram 25 crianças e adolescentes inseridos em uma nova família. 

As informações foram prestadas em relatório da equipe técnica multidisciplinar da Vara, coordenada pela assistente social Claudionora Castor. 

Do total de adoções proporcionadas pela Vara, 14 foram meninos e 11 meninas. A maioria dos garotos adotados tem entre 7 e 11 anos, sete no total. Além dessa faixa etária, quatro meninos com idades entre 3 e 6 anos e um menino na faixa de 0 a 2 anos também ganharam um novo lar. 

Entre as meninas, a maioria também corresponde à faixa etária de 7 a 11 anos, num total de sete. Duas adolescentes de 12 anos, uma menina de 3 a 6 anos e uma na faixa etária de 0 a 2 anos completam o quadro de adoções concretizadas. 

Segundo Claudionora, “as crianças foram adotadas por famílias de diversos estados brasileiros, dos quais o Rio de Janeiro se destaca com nove perfilhações. Em seguida vem o estado de São Paulo de onde vieram seis famílias adotantes; Goiás com quatro adoções; Bahia, para onde foram três crianças; o Amapá onde permaneceram duas e o Pará que enviou uma família”. 

“O cadastro de adoções ainda conta com crianças e adolescentes que precisam de uma nova família”, chama atenção a juíza Larissa Noronha. 

Há 14 meninos e 12 meninas na lista de espera, somando 27 no total. 

“Vale ressaltar que a maioria é adolescente com alguma deficiência, física ou mental, o que tem dificultado sua inclusão em famílias substitutas, as quais ainda têm preferência por crianças nos primeiros anos de vida e saudáveis”, revela a magistrada. 

A equipe técnica da Vara realiza buscas constantes no Cadastro Nacional de Adoção (CNA), bem como nos grupos de apoio a adoção tardia visando encontrar famílias com perfil para inclusão dos referidos adotandos.

VÍDEO: Polícia é chamada para conter confusão em posto de combustíveis em Santana

Polícia Militar foi acionada durante confusão
Foi preciso chamar uma viatura da Polícia Militar para conter uma confusão em um posto da Rua Salvador Diniz, esquina Avenida Santana, no Centro da segunda maior cidade amapaense. 

O posto era um dos poucos de Santana que ainda tinha combustível pelo preço antigo, quando o seu proprietário decidiu fecha-lo mais cedo na noite desta quinta-feira (24/05).

Segundo informações, diversos motoristas que estavam na imensa fila – que ultrapassava mais de 200 metros de comprimento – se revoltaram com a atitude do proprietário e iniciaram um tumulto. 

“Ele (o dono do posto) costuma fechar sempre depois das 22h, não entendemos o motivo dele querer hoje fechar bem mais cedo”, comentou um dos motoristas na fila. 

A razão pelas intensas filas nos postos de combustíveis do Estado é devido a greve dos caminhoneiros que transportam o produto, que contestam o mais recente aumento anunciado pela Petrobrás para o diesel, o que já vem colocando em risco um possível desabastecimento do produto em diversos Estados Brasileiros.

Não houve brigas, mas a PM foi acionada para conter a confusão. Abaixo um dos vídeos que circula pelas redes sociais mostrando a presença da polícia no posto de combustíveis:

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Preso o 3º suspeito de assassinato no estádio Vilelão, em Santana

'Senegal' foi preso em Ferreira Gomes
A delegada Luiza Maia, titular da 2ª Delegacia de Polícia (2ª DP), de Santana, distante 17 quilômetros de Macapá, comandou no início da tarde desta quinta-feira (24/05) a prisão do terceiro suspeito de envolvimento no assassinato de Almir da Silva Costa, de 47 anos, que foi torturado nas ruínas do estádio Vilelão, em Santana, e que só foi encontrado três dias depois da agressão. 

Ele havia sofrido traumatismo craniano, recebeu atendimento médico no hospital, mas não resistiu e acabou morrendo. 

Rosinilson Costa da Silva, de 43 anos, o ‘Senegal’, passou a morar no município de Porto Grande após o crime, de acordo com as investigações. 

“Ele [Senegal] fugiu para Porto Grande assim que a ‘bomba’ estourou. No curso das investigações apuramos que esse terceiro elemento teve participação direta no crime. Representamos pela prisão preventiva que concedida pela justiça”, disse a delegada. 

Maia revelou que Senegal teria descoberto que estava sendo procurado, e fugiu para o município de Ferreira Gomes. Os agentes seguiram para a região onde efetuaram a prisão. 

Ele foi apresentado na 2ª Delegacia de Polícia de Santana para ser ouvido em depoimento e depois será encaminhado ao Instituto de Administração Penitenciária do Amapá (Iapen). Antes já haviam sido presos Raul Brito Aimoré, de 41 anos, o ‘Cabeludo’, e Sandro Vasconcelos Lobato, de 42 anos, o ‘Cara de Piçarra’. Eles seguem presos na cadeia pública. 

Crime 
A vítima teria sido atraída para uma armadilha nas ruínas do inacabado Estádio Vilelão no último dia 27 de janeiro. Ele teria sido torturado pelos algozes que o deixaram desacordado. 

Três dias depois, após buscas de parentes e da polícia, Mimica foi encontrado no local. Ele foi internado, mas não resistiu e acabou morrendo. 

Delegada Luiza Maia comanda  a investigação
Abandono 
A delegada Luiza Maia disse que apesar do crime bárbaro, nada foi feito em relação ao estádio. Ela lembra que o Vilelão vem servindo como abrigo de usuários de drogas, ponto de prostituição infantil e até mesmo como depósito de produtos roubados. 

“As autoridades precisam voltar os olhos para o Estádio Vilelão, que se tornou um local para usuários de drogas, desova de corpos e outros diversos crimes. Almir foi mais uma vítima do abandono desse local. Foi encontrado com traumatismo craniano. Ou se dá uma destinação para essa área ou logo, logo teremos, infelizmente, outro caso dessa natureza”, alertou. 

Em abril de 2015, outra morte foi registrada no mesmo local. A vítima foi Jonas Fortunado de Souza, de 42 anos, encontrado morto em uma das galerias abandonadas do estádio, ao lado de um colchão, com marcas de espancamento na região da cabeça.

Informações do Diário do Amapá

Projeto de prevenção à corrupção é lançado em escola de Santana

O Ministério Público do Amapá (MP-AP) lançou, nesta quarta-feira (23/05), na Escola Municipal Piauí, localizada no Igarapé da Fortaleza, no município de Santana, o projeto de prevenção à corrupção denominado “MP vai à Escola”. 

A iniciativa estratégica do MP-AP tem o objetivo de estimular, no ambiente escolar, a reflexão sobre valores, princípios éticos e a cidadania, bem como a prevenção primária à corrupção e apoio na formação de cidadãos conscientes. 

Os representantes do projeto nesse lançamento foram o procurador-geral de Justiça do MP-AP, Márcio Augusto Alves, acompanhado da assessora técnica do MP-AP e assistente social, Alzira Nogueira. 

Durante a visita, os membros do MP-AP conversaram com os estudantes e exemplificaram os danos que a corrupção causa à sociedade, inclusive ações tidas como não determinantes, como furar a fila da merenda, colar na prova, entre outros atos, aparentemente banais, do cotidiano dos estudantes. 

De acordo com o PGJ, é essencial o reforço da cultura de integridade nas crianças e jovens, assim como o incentivo ao sentimento de combate à corrupção nos estudantes, e enfatizou que é fundamental formar uma sociedade intolerante à corrupção em sua base, por isso este trabalho vem sendo desenvolvido, prioritariamente, na comunidade escolar.

“Não sou diferente de vocês. Também estudei em escola pública. Mas com muito estudo, trabalho e honestidade, consegui ter uma condição de vida melhor. Portanto, ser honesto vale a pena”, pontuou Márcio Alves. 

A diretora da escola, Érica Góes, durante sua fala explanou os deveres que os alunos devem ter para serem pessoas honestas: “ética e transparência são adjetivos que você carrega e que te fazem ser melhor. Com essas virtudes, a gente transforma e constrói uma sociedade mais justa”. 

A secretária municipal de Educação de Santana, Carmem Paz, falou sobre o dever da população para combater as práticas corruptivas. 

“A corrupção é um tema que as pessoas precisam absorver e aprender, para fazer diferença na nossa vida, todos os dias. O combate à corrupção começa em casa, onde aprendemos a nos esforçar e trabalhar para ter o que é nosso”, disse a gestora. 

Durante a visita, foram realizadas apresentações de grupo de dança e coral de libras da escola. Os alunos também receberam placas com mensagens contra a corrupção e assistiram o vídeo intitulado "A fábula da corrupção". 

A animação exibida pretende passar a mensagem aos estudantes de forma que possam compreender da melhor forma possível os malefícios da corrupção. 

Oficinas e Círculos de Diálogos 
Quando as visitas aos educandários forem encerradas, será realizada uma oficina de formação teórico-metodológica com gestores, técnicos e professores, com o objetivo de instrumentalizar esses profissionais sobre os conceitos e temas relativos à prevenção da corrupção (cultura, sociabilidade, valores, ética e cidadania), visando a introdução dessas temáticas nos componentes curriculares ministrados por eles. 

Além disso, serão realizadas rodas de conversas com os alunos, utilizando os “Círculos de Diálogos” - uma metodologia de Justiça Restaurativa; oficinas de produção audiovisual e, por fim, uma mostra do material produzido, com premiação das escolas vencedoras.

‘Novo Amapá’: Peça teatral lembra 39 anos do naufrágio com poesia e homenagens

Os 39 anos do maior naufrágio do estado serão lembrados com poesia e homenagens no espetáculo "Novo Amapá", que acontece no sá...