quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Professores são treinados sobre educação ambiental

Professores da rede de ensino fundamental do município de Santana vão aprender novos métodos de aplicação da educação ambiental em sala de aula. A prática é uma das atividades do 1º Encontro de Educação Ambiental de Santana, que vai acontecer nos dias 23 e 24 de outubro, na Câmara de Vereadores da cidade. 

Com o tema “Currículo e Educação Ambiental como Políticas Públicas”, o encontro tem a finalidade de tornar mais interessantes as aulas sobre preservação do meio ambiente. “Vamos discutir neste encontro as diretrizes curriculares ligadas à educação ambiental no município de Santana. A intenção é apresentar o que é essa educação e mostrar, na prática, como ela pode ser implantada com os alunos”, afirmou o professor Rômulo Vasconcelos, um dos organizadores do evento. 

Para Vasconcelos, os ensinamentos serão repassados aos alunos durante qualquer aula, pois “a educação ambiental é um tema universal, que pode ser avaliada em todas as disciplinas, seja em matemática, ciências, história ou geografia”. 

Além de professores do município, acadêmicos e a sociedade também poderão participar do encontro. A intenção é que cerca de 300 pessoas assistam à palestra, e participem dos debates e da oficina, que serão ofertados durante o encontro.

Santana conquista vice em torneio de handebol

O masculino sub 20 de handebol do Santana Clube conquistou o vice campeonato do Torneio das Cidades. A competição, realizada na Guiana Francesa durante o período de 13 a 19 de outubro reuniu cinco equipes da Guiana e apenas uma do Amapá. 

“Foi primeira vez que competimos fora do estado, mas o resultado foi surpreendente. Tivemos muitas dificuldades com a falta de patrocínio e sem uma quadra para realização dos nossos treinos aqui no estado, mas isso nos motivou a irmos a busca de um resultado positivo, tivemos muita força de vontade para driblar as dificuldades e agora vemos que valeu a pena”, comemorou o ala direita da equipe, Romulo Alves. 

Conforme explica o técnico do time, Adelson Santos, o objetivo é dar continuidade a esse trabalho. “Isso nos estimula porque é o melhor resultado da história da participação do Amapá na competição. A primeira etapa aconteceu em fevereiro, onde os guianenses jogaram em Macapá. O melhor time do estado é que garantia vaga e o Santana clube foi quem conquistou a vaga para viajar para caiena”, justifica. 

“Pretendemos fazer mais torneios entre as delegações do Amapá e da Guiana para promover um intercâmbio e melhorar o nível técnico dos nossos atletas, que mesmo com todas as dificuldades e a falta de estrutura estão conseguindo representar muito bem o estado”, pontua.

Pesquisa: Waldez tem mais de 70% da preferência santanense

Na quinta-feira passada, 16/10, o Instituto Brasileiro de Opinião Pública e Estatísticas (IBOPE) divulgou a mais recente pesquisa sobre a intenção de votos para os candidatos ao Governo do Estado de Amapá. 

De acordo com o IBOPE, o candidato Waldez Góes (PDT) encontra-se com 66% das intenções de votos, enquanto que o atual governador Camilo Capiberibe (PSB) – candidato à reeleição – está com 34% do restante das intenções. A pesquisa foi realizada entre os dias 11 e 14 de outubro, onde foram consultadas 840 pessoas distribuídas nas cidades de Macapá e Santana. A margem de erros da pesquisa fica em 3 pontos para mais ou para menos. 

Ainda, segundo a pesquisa, 360 pessoas foram consultadas na segunda maior cidade amapaense (Santana), constatando que 266 desses entrevistados estão firmes com a intenção de votarem em Waldez Góes no próximo dia 26 de outubro (domingo). Ou seja, cerca de 75% do eleitorado santanense prefere o candidato pedetista para o Governo do Amapá. 

Os bairros de Santana que foram cobertos pela pesquisa do IBOPE foram: Comercial, Hospitalidade, Nova Brasília, Fonte Nova, Paraíso e Mutirão.

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Servidores e colaboradores participam da programação do "Outubro Rosa" no Fórum de Santana

A abertura da ação "As melhores escolhas para uma vida melhor" ocorreu no Fórum de Santana, com diversas atividades voltadas para os meios e os cuidados com a saúde. A ação faz parte da programação "Outubro Rosa" que remete à luta em combate ao câncer de mama. 

Na ocasião foram distribuídos laços, adesivos e panfletos com informações relacionadas ao Outubro Rosa, além de informativos com explicações sobre os fatores de risco, sintomas, diagnóstico precoce, autoexame e mamografia. 

Durante a programação, os servidores do Fórum de Santana participaram de sessões de massagem facial e corporal relaxante, limpeza de pele, sessão de peeling, aferição da pressão arterial, glicemia, IMC, além de avaliações nutricionais e psicossociais, ginástica laboral e encaminhamento a especialistas. 

“Nós fizemos todo um planejamento para estarmos aqui, para levarmos um dia diferente aos servidores, um dia de conscientização, mas também de saúde e lazer, porque o TJAP se importa com a saúde do servidor”, realçou a Coordenadora da ação, Kátia Milena. 

O Coordenador do Serviço Médico, Edinaldo Siqueira, falou sobre a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama. “Nós sabemos que milhares de mulheres morrem anualmente por causa da ocorrência dessa doença, que se for detectada na fase inicial, através das medidas preventivas, a exemplo do toque e exame de mamografia, pode haver a cura em um grande número de casos”. 

A servidora Necy Neves Monteiro, que foi diagnosticada com a doença em 2008, e foi curada através do diagnóstico precoce, de medidas preventivas e pela força da sua fé, destacou sobre importância de ações de conscientização e parabenizou a Justiça do Amapá pelo cuidado especial com seus servidores. 

“A saúde hoje é um bem que nós devemos preservar. Quando fui diagnosticada e fiz a prevenção percebi essa importância e graças a Deus eu fui curada. Com essa iniciativa e atenção voltada à saúde da mulher, principalmente às servidoras, o Judiciário fará com que tenhamos mais qualidade de vida e seremos mais proativas. Parabenizo o Tribunal por esse ato, pois através dessas ações, muitas mulheres podem ser curadas assim como eu fui”. 

A programação do Outubro Rosa está sendo coordenada pela Divisão de Desenvolvimento de Pessoal em conjunto com o Serviço Médico do Tribunal de Justiça em colaboração com a UNIMED, CRTN e a clínica Day Spa e continuará no dia 24/10 no Fórum de Macapá e dia 30/10 na sede do Tribunal de Justiça do Amapá.

Fórum de Santana vai contar com mais uma central psicossocial

O espaço onde vai funcionar o terceiro núcleo de atendimento psicossocial do Fórum de Santana já está sendo preparado para atender as demandas ligadas à Diretoria do Fórum, conforme explica Mauro de Jesus, servidor responsável diretoria forense: 

“O Fórum de Santana funciona há algum tempo com dois núcleos especializados de atendimento psicossocial, um está vinculado à Vara da Infância e Juventude e, o outro, atende os casos de competência do Juizado de Violência Doméstica. A nova unidade atenderá os casos não afetos aos dois núcleos”. 

Com a instalação do terceiro núcleo psicossocial, as demandas processuais oriundas das varas cíveis e de família; do futuro núcleo de conciliação e mediação de conflitos, a ser instalado brevemente; e também das varas criminais, receberão atenção da equipe multiprofissional que tem vínculo à Diretoria. 

A carência em realizar estudos e relatórios sociais e psicológicos, de casos referentes a processos das searas cíveis e de família, antes suprida pela equipe psicossocial da Vara da Infância e Juventude, foi determinante para o Tribunal de Justiça local autorizar a instalação do novo ambiente. 

No mais tardar até o dia 25 de outubro o núcleo psicossocial do Fórum santanense já estará em funcionamento, e vai contar inicialmente com o apoio de uma psicóloga e uma assistente social, além de estagiários das áreas afins.

Serviço inacabado do Governo Estadual causa transtornos em Santana

Moradores que residem no cruzamento da Avenida Castelo Branco com a Rua Everaldo Vasconcellos, no bairro Fonte Nova, em Santana, não estão mais aguentando uma triste situação que vem sendo deixada pelo Governo do Amapá, que iniciou um extenso serviço de ampliação no sistema de abastecimento de água e esgoto para atender alguns bairros como Fonte Nova e Parque das Laranjeiras. 

Segundo moradores adjacentes, os serviços de escavação do local para implantação dos tubos de artefatos começou no início de setembro, com previsão de serem concluídos em menos de 30 dias, mas infelizmente, os serviços ainda não foram concluídos. 

“Eles fecharam os dois lados da rua (Everaldo Vasconcelos) alegando que teriam que ampliar a tubulação de água para alguns bairros afastados da captação da Caesa que fica no bairro Paraíso, e prometeram que iriam terminar esses serviços em menos de 30 dias. Já se passaram até mais de 30 dias e a porcaria desse serviço ainda não acabou”, desabafou, com certa revolta, a doméstica Natali Ferreira, que reside nas proximidades do local afetado pelos serviços inacabados, que também reclamou da poeira causada pelos serviços que, segundo Natali, não está sendo executado de maneira correta. 

“Não entendo nada desse tipo de serviço, mas eles deveriam ter nos avisado antes sobre isso, por que temos filhos pequenos que saem todos os dias para a escola e quando chegam de volta, reclamam dessa poeira causada por esses buracos mal feitos. Já conversei duas vezes com o encarregado dessa obra e nem ele soube dar uma previsão do término desses serviços”, questionou Natali. 

Falta de água
Alguns moradores que residem no canto da Rua Everaldo Vasconcelos com a Avenida 07 de Setembro (e até de bairros adjacentes) reclamam que, em virtude desses serviços realizados no trecho citado, já estão sofrendo constantemente com a falta de água em suas torneiras. Há quem diga que a falta do produto chega a durar dias. 


“Quando começaram esses serviços, não havia tanta falta de água. Faltava de vez quando, mas não chegávamos a ficar até três ou quatro dias sem ter água”, contou a moradora Maria Darcy de Souza, que informou ter que esperar pela chegada de água em sua torneira somente nos horários da madrugada. “Tínhamos uma falta de água que aconteceu somente na parte do dia por que outras casas ligavam suas torneiras, mas quando era cinco ou seis horas da tarde já possível ter água de volta nas torneiras. Mas depois que abriram esses buracos nas ruas, a água vai embora e tem vez que ela só volta no outro dia ou com dois a três dias depois. Fica uma situação difícil pra nós que precisamos dele (água)”, relatou Maria Darcy. 

Prejuízo aos comerciantes
Além das inúmeras residências prejudicadas pelos serviços dessa via, os pontos comerciais situados nas proximidades também reclamam das perdas já somadas pela negligência do poder público. 

“Meus clientes já vieram falar pra mim da dificuldade de atravessarem esse local por causa dessa obra mal feita, e percebi que pelo menos um deles não retornou mais aqui depois que a rua ficou nessas condições (sem asfalto, causando excesso de poeira). Isso me prejudica bastante”, reclamou a empresária Donielle Mendes Rodrigues, que possui uma loja de materiais de construção nas proximidades, questionando sobre a queda até mesmo na venda de material em seu estabelecimento. 

“Disseram que esses serviços seriam entregues em menos de 20 ou 30 dias, mas já tem quase dois meses que só estamos vendo esses buracos se estendendo para a descida da Avenida Castelo Branco, e nenhuma previsão de terminar todo esse transtorno que estão nos causando”, disse a empresária Donielle, que reclamou da continuação dessa obra, na qual as escavações para implante da tubulação já chegarem no cruzamento da Avenida Castelo Branco com a Rua Antônio Abílio, subindo agora para a Rua Getúlio Vargas, no bairro Paraíso. 

Desvio dos ônibus
Outra classe afetada pela obstrução parcial do cruzamento refere-se aos coletivos intermunicipais que utilizam diariamente o local, levando dezenas de pessoas que trabalham e estudam em Macapá. No início dos trabalhos, os ônibus tiveram que desviar por outras ruas e avenidas de fora do itinerário, o que causou diversos transtornos para as pessoas que tinham que adivinhar o local por onde passaria os veículos. “A gente vinha para uma parada de ônibus, achando que ele (ônibus) iria passar por ali, mas depois percebíamos que ele estava desviando a rota inesperadamente. Tudo por causa dessas obras mal planejadas do governo”, reclamou o acadêmico Silvio Mesquita, que estuda numa faculdade particular de Macapá, que tinha que mudar diariamente o local para que pudesse pegar o ônibus exato e seguisse para a capital. “Havia dia que eu ficava até uma hora esperando pelo ônibus numa parada, e depois que eu percebia que ele estava passando em outra rota”, explicou o estudante. 

A coordenação do Blog Santana do Amapá entrou em contato com as assessorias de comunicação das Secretarias de Estado dos Transportes (Setrap) e Infraestrutura (Seinf), com intuito de buscar melhores esclarecimentos sobre a situação, mas não foi possível qualquer informação.

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Amapá vive racionamento de energia, admite Eletronorte

A gerência regional da Eletronorte no Amapá admitiu nesta terça-feira, 14/10, que os apagões de energia que vem atingindo os bairros da capital (Macapá), de Santana, Mazagão e outros municípios adjacentes, há mais de duas semanas, são fruto de racionamento de energia. A informação foi confirmada pelo diretor regional da estatal no Amapá, Engenheiro Marcos Drago. 

Todo o parque da Eletronorte gera hoje 270 megawatts. Já a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA), que possui um parque térmico, produz cerca de 50 megawatts. Toda a produção está no limite da demanda. “Quando há desligamentos entre às 13 horas e às 15 horas, período de pico da demanda, é porque nós tivemos que fazer o corte, pois a demanda ultrapassou o nível de produção”, explicou o diretor. “Não é um racionamento comum, com datas e horários pré-definidos, mas naquele momento é um racionamento”, acrescentou Drago. 

O consumidor amapaense não deveria estar passando por um novo racionamento se a estrutura de rebaixamento da energia que vem pelo Linhão de Tucuruí já tivesse sido construída pela CEA. O Linhão de Tucuruí já está energizado. 

Marcos Drago, Diretor Regional da Eletronorte/AP
O rebaixamento da energia consiste na construção de três linhões que precisam fazer a conexão com as subestações “Santana”, “Macapá II”, e “Equatorial”. A CEA chegou a anunciar que a obra estaria pronta em maio, depois outubro e agora a nova previsão oficial é fim de dezembro. “Mas não estamos vendo essas obras acontecendo, o que é preocupante”, comentou o diretor. 

A obra de rebaixamento também impede que a capital e outros municípios também recebam energia das hidrelétricas de Santo Antonio, em Laranjal do Jari, da Alusa, no município de Ferreira Gomes. As duas já estão produzindo em fase de testes. A CEA não quis se pronunciar sobre o assunto. 

Os pequenos racionamentos podem ficar maiores se o reservatório do Paredão baixar muito o nível e houver uma demora na chegada das chuvas na cabeceira do Rio Araguari. “Por enquanto o nível está normal. Mas se baixar muito teremos mais problemas”, avisou Drago.