segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Polícia alerta sobre conhecido golpe em caixas eletrônicos

O 4° Batalhão da Polícia Militar do Amapá (4BPM), através da CERM (Companhia Especializada em Radiopatrulhamento Motorizado), identificou neste Domingo, 25/01, um novo golpe aplicado nos caixas eletrônicos das agências bancárias do Município de Santana. 

Os infratores utilizam de uma espécie de placa falsa (Tarjeta preta) para bloquear a janela por onde são emitidas as células de dinheiro deixando-as, então, retidas sem o usuário saber. 

Apesar da fraude ter sido identificada em uma agência bancária da Caixa Econômica Federal do município de Santana, a PMAP orienta todos usuários e clientes de qualquer agência, de qualquer município do Estado, a tomar o devido cuidado.

Prefeito de Santana garante prejuízos causados por Nogueira

Ouvido pela imprensa local, o prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), afirmou que ‘não retira uma única vírgula’ do que falou sobre o ex prefeito Antonio Nogueira (PT): ‘Não são críticas feitas aleatoriamente, mas, sim, verdades que precisam ser ditas para que a população tome conhecimento dos desmandos praticados por ele’. 

De acordo com Robson, os cerca de R$ 100 milhões de prejuízos que Nogueira causou aos cofres públicos estão todos comprovados através de documentos em um total de 20 ações civis públicas em trâmite na Justiça: “Em apenas uma dessas ações, para se ter ideia, já houve até bloqueio judicial de todos os bens do ex prefeito e, inclusive, uma ação criminal aconteceu nesta semana, e a Polícia Federal foi até à casa dele, de onde o conduziram coercitivamente”. 

“Ele tenta mascarar os maus feitos de uma administração desastrada, incompetente e que em nenhum momento pensou no povo de Santana. Tenho documentos que provam a falta de respeito com o dinheiro público. São mais de R$ 40 milhões de dívida com o Instituto de Previdência de Santana (Sanprevi); com a Receita Federal, só em multa o município deve mais de R$ 25 milhões por culpa do Nogueira, além de R$ 4,7 milhões que o governo federal está cobrando judicialmente, quantia essa que o ex prefeito retirou indevidamente de convênios; 7 milhões de contratos administrativos, através do ‘servidor voluntário’ que ele criou, e mais de R$ 5 milhões em prejuízos por obras paralisadas na administração, entre as quais o Restaurante Popular, a bacia de decantação e a lixeira pública”, reclamou Robson.

Macapá, Mazagão e Santana ganham linha de ônibus adaptados

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Amapá (Setap) confirmou que a empresa Filadelfia já está em operação na linha Macapá-Santana-Mazagão. A entrada da empresa é fruto de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) assinado ainda em julho de 2014 entre o Setap, Secretaria de Transportes do Estado, Câmara de Vereadores de Mazagão, Ministério Público e Associação dos Deficientes Físicos do Amapá. Principalmente os cadeirantes reclamavam que os veículos que realizam o transporte alternativo não eram adaptados para atende-los. 

Sem que a cooperativa que atende a linha pudesse fazer investimentos para aquisição desses veículos, o Ministério Público recorreu ao Setap. Foram colocados inicialmente dois veículos que saem de Macapá, passam por Santana e vão até Mazagão Novo. Com a construção da ponte sobre o Rio Matapi, a frota será ampliada e outras linhas serão interligadas a esse itinerário, reduzindo o tempo de espera. 

De acordo com o TAC, os ônibus ficarão operação com autorização da Setrap até a realização da licitação para operação de transporte coletivo no trecho metropolitano, o que deve ocorrer assim que a ponte sobre o rio Matapi for concluída. 

A população de Mazagão aprovou a ideia e os cadeirantes também. “Os ônibus são compactos, com sistema para receber o cartão de bilhetagem eletrônica e a preços bem mais acessíveis que os veículos alternativos, além de comportarem melhor as cadeiras de rodas do que as vãos que já operam”, atestou José Carlos, da Associação dos Deficientes Físicos do Amapá.

Amapá recebe primeiro navio de turistas este ano

Na próxima terça-feira, 27/01, atraca no porto da Companhia Docas de Santana (CDSA) o primeiro transatlântico vindo ao Amapá no ano de 2015. A vinda do navio ao Estado faz parte do programa de incentivo ao turismo realizado pelo Governo do Estado em parceria com a Prefeitura de Santana. 

O navio Marco Polo vem de Santarém (PA) e traz mais de mil turistas ao Estado. Apesar da permanência de um dia, programações de visitas aos pontos turísticos da capital amapaense já foram programadas. A nacionalidade dos turistas não foi informada. 

Está previsto que o navio ancore no porto da CDSA às 07h30min da manhã de terça-feira e prossiga viagem para a Guiana Francesa no dia seguinte a partir das 8 horas da manhã.

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

"Canário" intensifica treinos visando estreia na Copa do Brasil

O representante amapaense na Copa do Brasil de Futebol Feminino, o Santana Esporte Clube, popularmente conhecido pela torcida como 'Canário do Porto', intensifica a preparação para a competição nos treinamentos e realizando amistosos. A equipe, ainda longe de estar definida, estreia diante da Tuna Luso-PA no dia 04 de fevereiro no estádio 'Zerão' em Macapá. 

O time tem como técnico Arenildo Almeida, que já comandou o Santana em outras competições nacionais. O treinador teve pouco tempo para formar o elenco, que conta com 19 atletas. Além disso, o estádio Augusto Antunes, na cidade de Santana, ainda não oferece condições de treinos em virtude do péssimo estado do gramado e da iluminação. Apesar disso, Almeida acredita que até a estreia terá um time ideal. 

"A gente vem enfrentando algumas dificuldades para os treinamentos. Estamos realizando os trabalhos há apenas quinze dias e é pouco tempo, tendo em vista a seriedade da Copa do Brasil e do adversário que merece respeito. Apesar disso temos um grupo forte e com jogadoras que sabem da responsabilidade. Por isso estão treinando forte para estarem bem até a estreia", disse. 

Arenildo disse que ainda tem muitas dúvidas para a formação do time: o setor de meio campo é onde tem mais preocupação e por isso vem realizando partidas amistosas. A equipe que está sendo montada conta com atletas dos municípios de Macapá, Santana, Mazagão e Laranjal do Jari. Uma das apostas do treinador é na atacante Gláucia, que pode surpreender na estreia. 

"Por enquanto estamos realizando o trabalho físico e tático e com os amistosos vamos buscando dar ritmo de jogo ao time. A principal dúvida é no setor de meio campo, mais precisamente, no meia de ligação com o ataque. Vamos definir isso na próxima semana, mas já no ataque uma das apostas será na Gláucia, que tem correspondido nos treinamentos e pode ser o destaque já na estreia", afirmou o treinador. 

A comissão técnica ainda aguarda a liberação do estádio 'Zerão' para que a equipe realize alguns treinos no campo de jogo. Nesta quarta-feira (21/01) o amistoso será contra o time do Igarapé da Fortaleza e no domingo (25/01) irá para Serra do Navio, cidade situada a quase 200km de Macapá, onde enfrenta a seleção local.

Rocha Robson questiona situação deixada por ex-gestor

Em entrevista concedida numa emissora de rádio de Macapá, nesta quarta, 21/01, o prefeito de Santana, Robson Rocha (PR), além de responsabilizar Antônio Nogueira (ex-prefeito santanense) pela crise financeira por que passa o município — ainda administrando dívidas deixadas por ele, algo em torno de R$ 100 milhões, também queixou-se do ex-governador Camilo Capiberibe, a quem atribuiu ter agido de ‘má fé’, por promessas nunca cumpridas e até convênios, que embora assinados, não se materializavam, “porque nem todos tiveram recursos repassados”, espeta. 

Rocha reconhece que a prefeitura ainda deve na prestação de um melhor serviço à população, inclusive na saúde, um segmento ainda carente de investimentos mais significativos, apesar de avanços já conseguidos, se comparado ao estado de abandono quase absoluto deixado pela administração que o antecedeu. 

Ele também admite, por exemplo, que as vias públicas estão necessitando de serem melhor cuidadas e volta a culpar Camilo. 

“Fomos enganados pelo ex-governador, que não contemplou o município com o asfalto que prometeu. Longe de ser descaso ou má gestão de nossa parte. É tudo por falta de dinheiro, porque nossa arrecadação é insignificante [piorou com o desabamento do Porto da Icomi] e o repasse do FPM é quase todo destinado à folha de pessoal”, disse o prefeito, pedindo um pouco mais de paciência de munícipes e garantindo que 2015 será o ano com melhores ventos soprando em favor de Santana. 

Enfim, disse que também ajudou a eleger Waldez Góes e que o conhece muito bem pra ter certeza que não vai dar as costas pros santanenses, ‘que maciçamente votaram pela eleição dele’, concluiu.

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Amapaense nota mil no Enem diz que na infância escrevia todos os dias

Andria Sá, a Estudante amapaense Nota 1000
Com a mãe e quatro tias professoras, a amapaense Andria Sá, de 21 anos, diz que não foi muito difícil estudar e tirar nota mil na redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Apesar da tranquilidade para dissertar, a amapaense do município de Santana comemora com surpresa a nota máxima, alcançada por 250 dos mais de 6,2 milhões de concorrentes do exame em 2014. 

“Sempre foi incentivo da minha família, que exigiu muito de mim. Na infância fazia redações todos os dias para ter o hábito de gostar de escrever e ler. Para aquilo não se tornar uma obrigação e eu acabar desistindo, escrevia as redações no meu diário, o mesmo onde escrevia meus segredos”, brinca Andria, que obteve a nota 524 na média das cinco provas. 

A estudante, que já é formada em educação física, diz que fez o Enem apenas para testar os conhecimentos. Ela planeja no futuro ingressar na área de fisioterapia. 

Andria ainda guarda os diários com as primeiras redações que escreveu, além dos livros comprados pela mãe, de vários gêneros, de romances de Machado de Assis até os contos clássicos como Rapunzel e Cinderela, dos Irmãos Grimm. 

“Esperava uma nota boa, mas não a máxima, e ficar num grupo seleto de 250, e só 250, em todo o Brasil é surpreendente. O tema também ajudou, pois algumas leituras que usei no meu TCC [Tese de Conclusão de Curso] eram relacionadas à publicidade infantil e à relação entre crianças com elas mesmas. Terminei o texto até com medo, pois citei alguns autores que deixaram a redação com cara de monografia, mas deu certo”, lembra. 

Outra paixão que levou Andria a entrar de vez no caminho da leitura e da escrita, incentivada pelo pai, foram as palavras cruzadas. A jovem conta que na adolescência dela os dois se tornaram amantes do passatempo. Atualmente ela tenta incentivar o filho de quatro anos a seguir pelo caminho das letras com a leitura de livros e revistas. 

“Esse resultado me fez ver a importância de ler para o desenvolvimento de uma pessoa. Ela é facilitadora para qualquer um, pois não existe prática sem teoria e nem teoria sem prática. Quem não lê, não tem conhecimento e nunca vai conseguir colocar suas ideias no papel. Mas antes de tudo a pessoa tem que gostar de ler, não adianta os melhores autores se não há o gosto pela obra”, sugeriu Andria.