“Chopp da Benção, coxinha da vitória e suco da graça”

Com menos de 30 anos de idade, Bettoven Silva de Assis, teve uma curiosa ideia de abrir seu próprio negócio, meses após vim morar no município de Santana. 

“Ainda morei uns sete a oito meses em Macapá e depois escolhi vim pra cá pra Santana, por parecer mais sossegado”, justificou Bettoven, natural de Fortaleza (CE). 

Chefe de uma numerosa família composta de 07 pessoas – cinco filhos – sua obrigação era demonstrar o exemplo de líder organizado e determinado. “Procuro mostrar todos os dias pra eles que sou um bom homem, um grande trabalhador”, disse. 

Residente no bairro Fonte Nova (distante mais de 3km do centro comercial da cidade), Bettoven sai da sua residência ainda cedo, por volta das 07hs da manhã, carregando na garupa de sua humilde bicicleta uma caixa de isopor, além de inúmeros salgados preparados pelo próprio autônomo, que hoje se tornou um personagem comercial conhecido nas principais vias do comércio santanense, através de seu carisma que utiliza por onde passa. 

Sou muito seguro e confiante nas coisas que faço, isso ajuda as pessoas que querem vencer na vida”, pontuou. 

Bettoven já é conhecido por sua frase comercial
Criatividade
Como se costuma dizer no ditado que “a propaganda é a alma do negócio”, Bettoven levou mesmo essa frase adiante dos desafios enfrentados diariamente, criando um slogan publicitário para o seu negócio, que constitui com clareza o produto alimentício que esta vendendo com a certeza de que sua qualidade é “Divinamente gostoso”. 

Com isso, surgiria a popular frase: “Chopp da benção, coxinha da vitória e suco da graça”

“Foi Deus que me deu essa capacidade de escolher uma forma de divulgar esse meu negócio, e com ele garanto o sustento da minha família”, reconheceu. 

Para Bettoven, mesmo diante da crise que atravessa o país, não existem motivos que impedem a pessoa de buscar ideia e maneiras de ganhar dinheiro. 

“Aprendi que a crise não pega todos, apenas o preguiçoso. A pessoa inteligente consegue driblar a crise. Eu não sou desses que fica em casa esperando que o emprego venha me buscar, vou pra rua mostrar o que eu posso fazer e vendo meus lanches com toda tranquilidade”, enfatizou Bettoven, que chega a passar o dia inteiro percorrendo as ruas e avenidas de Santana, vendendo seus lanches aos gritos de sua famosa frase comercial.

Comentários

Postagens mais visitadas