Após três dias internado, Sargento da PM morre em Santana

Não resistindo, SGT Agenildo morreu no Hospital
O Sargento da Polícia Militar Agenildo Quaresma Ferreira Júnior (SGT Agenildo) faleceu na noite desta quarta-feira (26/10), no Hospital Estadual de Santana, após permanecer internado desde a tarde do último domingo (23), quando deu entrada naquela Unidade de Saúde depois de ser baleado por elementos criminosos numa área de ponte situada no bairro Hospitalidade. 

Mesmo passando por um intenso procedimento cirúrgico (que levou cerca de três horas), o militar buscou manter um quadro estável nas últimas 72horas, porém, mas sua situação de saúde acabou se agravando nas últimas horas, não resistindo aos cuidados que vinham sendo tomados pelas equipes médicas, vindo a falecer por volta das 21hs desta quarta-feira. 

“Ele estava tentando passar por um tratamento imediato de hemodiálise e iria ser transferido pro (Hospital) São Camilo quando seu quadro apresentasse uma melhora, mas infelizmente fomos novamente pegos de surpresa”, lamentou um policial militar, que esteve no Hospital de Santana, ainda no início dessa noite. 

Ainda segundo o PM (que não cedeu o nome), familiares do Sargento Agenildo foram chamados pela direção do Hospital de Santana, ainda no final da tarde de hoje, na qual receberam a notícia de que sua saúde havia piorado. 

“Eles (os familiares) foram comunicados de os rins do Sargento já tinham parado e que notícias ruins poderiam se formar nas próximas horas”, disse o PM. 

O Sargento foi atingido por um tiro disparado de uma arma caseira calibre 12, quando andava numa área de ponte denominada “Ponte do Padeiro”, localizada no final da Avenida Brasília, no bairro Hospitalidade. 

Agenildo teria ido ao local – acompanhado de um irmão – com o intuito de buscar outro irmão que estaria numa “boca de fumo” situada naquela área. No entanto, o Sargento foi recebido com tiros disparados por elementos que teriam lhe reconhecidos de outras ações policiais. 

Os tiros – que foram 02 que atingiram o Sargento – foram disparados por elementos que conseguiram se evadir do local. Agentes do Batalhão de Radiopatrulhamento ainda conseguiram prender em flagrante um suspeito durante ronda policial. 

Um suspeito, identificado como “Ratinho”, foi preso pelos policiais, onde nega envolvimento com os tiros contra o Sargento. As polícias Civil e Militar ainda tentam identificar os responsáveis pelos tiros que mataram o sargento Agenildo. 

Lotado na Polícia Militar do Amapá desde 2004, Agenildo estava prestando serviços no Batalhão da PM, em Macapá.

Comentários

Postagens mais visitadas