Amigos e parentes lamentam morte de PM: “Um grande homem da Lei e um amoroso pai de família”

Casado, PM Jefferson era pai de dois filhos
Dezenas de pessoas (entre amigos e parentes) foram pegos de surpresa pela notícia da morte do Policial Militar Jefferson Luiz Silva da Cunha, de 28 anos, ocorrido por volta das 07:30hs da manhã desta quarta-feira, 26/10. 

Sob a denominação de J Cunha, o militar trafegava de moto na Rua Adálvaro Cavalcanti, quando foi atingido por um veículo marca saveiro no cruzamento com a Avenida Rui Barbosa, no bairro Nova Brasília. 

Acidente envolvendo Saveiro e a moto da PM
De acordo com informações, o condutor da Saveiro não teria visto o militar fazendo a conversão em sua motocicleta, o que acabou culminando no ocorrido. Jefferson morreu ainda no local. 

O motorista do carro ficou no local do fato à espera da polícia, sendo depois conduzido para a Central de Flagrantes, no distrito do Igarapé da Fortaleza. 

O lado familiar
Casado e pai de um casal de crianças, Jefferson ingressou no quadro da Polícia Militar do Amapá em 2011, lotado no 4º Batalhão em Santana. Para quem conviveu com Jefferson – tanto no lado pessoal como profissional – descreve-o como um ser humano exemplar. 

“É impossível encontrarmos forças de falar sobre tudo aquilo que vivemos de bom e desafiador quando nos espelhamos em homens como foi ele”, definiu um dos amigos do PM que, ao tomar conhecimento da triste notícia, seguiu para a casa onde residia o PM, no bairro Nova Brasília. 

O professor Alberto Figueiredo, conhecido professor da área da educação em Santana, foi um dos primeiros que logo chegou à residência do PM J Cunha quando soube do ocorrido. 

“Não estamos preparados para vivermos situações assim, mas sabemos que um dia vai acontecer, e infelizmente temos que enfrentar”, lamentou o professor, que conhecia a família do militar há anos, acompanhando toda a sua trajetória de cidadão público. “Foi um grande homem da Lei e sempre soube ser um pai amoroso dentro da família que formou”. 

O Comando Geral da Polícia Militar do Amapá emitiu uma Nota de Pesar, lamentando o ocorrido, e determinou luto de três dias pela morte do policial.

Comentários

Postagens mais visitadas