Morre o jogador Olivar, artilheiro do “Canário”

Olivar vestiu a camisa do "Canário" por
quase duas décadas. Foto de 1964.
O futebol amapaense foi surpreendido na manhã desta quinta-feira (17/12) com a morte de um pioneiro dos campos de futebol. Trata-se de Olivar Alves Pinto, veterano que jogou com a camisa do Santana Esporte Clube entre as décadas de 1960 e 1970. 

“Alguns dizem que ele já vinha apresentando problemas de saúde há tempo. Ainda visitei ele há poucas semanas e não imaginava que poderia acontecer”, lamentou César de Araújo, que reside nas proximidades da residência do pioneiro. 

César, que é acadêmico do curso superior de História numa faculdade particular em Macapá, vinha fazendo algumas pesquisas de campo sobre a evolução do futebol amapaense nos últimos 70 anos, como material a ser coletado para um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), e foi surpreendido pela triste notícia. 

“Quando vemos um veterano desses nos deixando, sentimos que perdemos uma folha que cai de uma arvore frutífera que poderia nos dá frutos”, descreveu o acadêmico, se referindo ao talento de Olivar, que ainda participou da conquista do tricampeonato para o “Canário Amapaense” (como era conhecido o Santana Clube) em 1962. 

Última aparição de Olivar
foi nos 60 anos do
"Canário", no dia 27/09.
O Talento
Natural da cidade de Óbidos (PA), onde nasceu em 07/10/1935, Olivar descobriu que tinha talento para o futebol ainda criança (com 09 anos), mas somente aprimorou seu talento aos 15 anos quando sua família já residia em Macapá. 

Antes do futebol de campo, ainda praticou basquetebol, voleibol e futebol-de-salão. Mas intensificou seu talento no futebol convencional, vestindo a camisa de times como o Amapá Clube e o São José. Dizia que tinha duas paixões no futebol: o Santana Clube (no Amapá) e Botafogo (RJ). 

Funcionário da ICOMI, era lotado na Divisão de Contabilidade, sendo casado e pai de três filhos: Carlos Augusto, Sandra e Edilne. 

Uma das últimas aparições do jogador aposentado ocorreu no último dia 27 de setembro, na Vila Amazonas, em Santana, durante as comemorações ao “Jubileu de Diamante” do clube que lhe consagrou jogador por quase duas décadas. Na ocasião, Olivar foi um dos homenageados pela comissão organizadora do evento. 

Aos interessados, seu velório está ocorrendo na Capela da empresa Centro-Pax, localizada na Rua Duque de Caxias com as Avenidas Odilardo Silva e Jovino Dinoá (atrás do Hospital “Mãe Luzia”), no Centro da cidade.

Comentários

Postagens mais visitadas