Mais um eletricista é atingido na rede elétrica

Eletricista Gilberto Pereira
Como se não bastasse as intolerâncias que vem causando junto à sociedade amapaense em relação às faturas mensais de consumo elétrico, onde muitas vem apresentando valores exorbitantes e outras sequer chegam às residências dos consumidores, a Companhia de Eletricidade do Amapá (CEA) entra novamente em pauta. 

O fato dessa vez seria o incidente ocorrido na tarde desta segunda-feira (14/12), no bairro Zerão, envolvendo um eletricista terceirizado, da empresa Mix Engenharia, que presta serviços à concessionária. 

De acordo com informações de testemunhas, o eletricista Gilberto Constante Pereira, de 41 anos, teria acabado de subir no poste, com intuito de efetuar os serviços que lhe foram repassados através de um comunicado via telefone móvel (Central de Operações). Porém, em menos de 10 minutos após iniciar os serviços na rede de alta tensão, o eletricista teria sido atingido pelo retorno da corrente elétrica, causando-lhe imediato. 

“Só vimos quando ele gritou lá de cima e ficou de cabeça pra baixo”, disse um morador que reside nas proximidades, que viu quando um pequeno “clarão de fogo” teria aparecido sobre a rede elétrica, estimando possivelmente o trecho estivesse energizado. 

Gilberto foi encaminhado em estado grave para o Pronto-socorro da capital, onde até às 21hs desta segunda-feira, ainda apresentava sérias complicações de saúde, de acordo com informações repassadas por enfermeiros do plantão noturno daquela unidade de saúde pública, assim como também o bombeiro que tentou retirá-lo da rede elétrica (que foi atingido pela corrente elétrica).

Eletricista foi atingido por descarga elétrica.
Negligências expostas
Ainda segundo testemunhas, a equipe do Corpo de Bombeiros teria sido acionada para atender ao ocorrido e quando tomaram iniciativa de tentar retirar o eletricista acidentado da rede elétrica, foi constatado que o circuito ainda estava energizado. 

“Até o bombeiro foi eletrocutado na hora que tentou subir na rede elétrica”, descreveu Raimundo Fernandes, que testemunhou o fato, e acrescentou: “Eles (eletricistas) pediram autorização da CEA, para fazerem o serviço e foi autorizado, mas de repente a rede elétrica fica energizada. Dá a entender que houve algum erro nessa hora”. 

A questão dessas possíveis negligências envolvendo a CEA e suas terceirizadas já vinha sendo pautada há tempos. No entanto, para evitarem represálias por parte da estatal, muitos eletricistas preferem manter o silêncio de não poderem falar nada e correrem o risco de morte, do que perderem o emprego. 

Acidentes recentes
No último dia 27 de agosto, foi registrado um óbito na rede elétrica envolvendo o eletricista Márcio Aurélio, da empresa Mix Engenharia, que morreu durante os serviços de manutenção no circuito elétrico. 

De acordo com informações repassadas por colegas do eletricista morto, uma possível falha de comunicação entre os profissionais de campo e o Centro de Operações da CEA teria culminado no óbito. Até hoje a estatal elétrica ainda não emitiu o resultado oficial do laudo sobre a morte de Márcio Aurélio que, segundo informações, tinha quase 20 anos de experiência na área elétrica. 

“Se ninguém da CEA tomar uma providência sobre tudo isso que passamos, com certeza a população continuar sofrendo com o descaso de vários serviços que não serão realizados nos próximos dias”, alertou o denunciante na mensagem enviada ao blog na matéria publicada no dia 10/11/2015. 

Tentamos contato através das redes sociais com a assessoria de comunicação da CEA, mas até o início da noite desta segunda-feira (14/12), nenhuma Nota havia sido emitida pela estatal elétrica.

Comentários

  1. Meu deus, quando o descaso vai ser resultado em fatalidades... não podemos perder mais amigos, parentes e grandes profissionais em meio a falta de atenção e a pressão que a Operadora exige !!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas