Convênio garante novo sistema de resíduos sólidos para Santana

Foi realizado na manhã desta quarta-feira (16/12), a solenidade de assinatura entre a Prefeitura de Santana e o Governo do Amapá, tendo como principal objetivo resolver a situação da coleta de lixo domiciliar da cidade. 

Somados no valor de R$ 7,8 milhões, serão aplicados nos serviços de limpeza da área urbana do município e destino final dos resíduos sólidos. Desse total, pouco mais de R$ 1,8 milhões partirão da Prefeitura de Santana. Serão feitos repasses mensais de R$ 500 mil pelo Governo do Amapá. 

“Vamos fazer um serviço de alta qualidade pra Santana como nenhum outro gestor poderia fazer”, garantiu o prefeito de Santana Robson Rocha, que também comentou sobre outros serviços que serão realizados pelo mesmo convênio. “Haverá um aparato que contará com a coleta, o transporte e a destinação de todo lixo domiciliar da cidade, além de efetuar as limpezas periódicas de áreas públicas, como a feira do Mercado Municipal e os principais calçamentos de vias”. 

Nos últimos tempos, o município vinha enfrentando sérios problemas em relação aos serviços de coleta de lixo, em razão da última empresa de coleta de lixo ter ficado apenas três meses (período de prazo estipulado em contrato de serviço emergencial), com isso, deixando os serviços na responsabilidade direta da Prefeitura de Santana, que vinha buscando formas que pudessem amenizar o problema. 

“Muitos não acreditaram na nossa capacidade, e agora estamos provando do que somos muito capazes”, disse Robson. 

Patrulha Coletora
A nova patrulha coletora, que já passou a atender os munícipes santanenses desde ontem (16), é composta de 05 veículos (tipo caçambas), uma caçamba truncada, um poliguindaste, 01 caminhão-pipa, uma pá-carregadeira, 08 caçambas truncadas, além de 25 tanques (tipo contêineres) que ficarão estacionadas em locais estratégicos, para servir no recolhimento de lixo público, com uma mão-de-obra de 107 trabalhadores de campo. 

“Estamos somente aguardando a chegada de mais oito (08) caçambas que irão somar nesses serviços”, adiantou Anselmo Brandão, secretário municipal de Limpeza Pública e Resíduos Sólidos de Santana, que já prevê a normalização do serviço. “Acompanhando a agilidade do trabalho, conseguiremos normalizar essa questão da coleta de lixo no prazo máximo de 10 dias”. 

Anselmo também espera que a população colabore com a conscientização de separar o destino de lixo e entulhos acumulados em suas residências. 

“As pessoas confundem sobre o que é lixo e o que é entulho, então alertamos que a população que não joguem entulhos nos contêineres, pois este tipo de material ele é recolhido de outra forma. Mas quando quiserem se livrar de algum entulho, entrem em contato com a Prefeitura que levaremos”, disse Anselmo, que também adiantou sobre o cronograma de itinerários dos veículos em Santana. 

“Já temos tudo planejado sobre os bairros que atenderemos hoje e ainda essa semana repassaremos para a imprensa o calendário de rota para a população tomar conhecimento”, falou. 

A cidade de Santana produz diariamente cerca de 80 toneladas de lixo domiciliar, porém, como alguns bairros passaram até semanas sem ter o recolhimento regular de lixo, houve um acúmulo que pode ter chegado a mais de 100 toneladas diárias. 

“Nesses primeiros dias iremos trabalhar em peso, de segunda a sábado para reverter esse quadro e mostrarmos nossa preocupação sobre a questão sanitária e higiênica da população”, finalizou Anselmo.

Comentários

Postagens mais visitadas