Titular da VIJS guarda em definitivo a toga de magistrada

A juíza Ana Lúcia de Albuquerque Bezerra (foto) se despede das atividades judicantes na Justiça do Amapá. Durante 19 anos esteve à frente da Vara da Infância e Juventude de Santana. A juíza deixa o cargo em decorrência de sua aposentadoria por tempo de serviço. 

A juíza leva as lembranças de um trabalho obstinado em defesa das crianças e dos adolescentes do município de Santana, no incessante combate ao abuso e exploração sexual desses infantes e também combatendo o uso de substâncias entorpecentes. 

Um dos trabalhos relevantes que mereceu repercussão nacional, sendo inclusive objeto de pesquisa, foi a intensa divulgação do disque denúncia (0800-285-1581), contato direto da população com o comissariado de menores instalado na própria Unidade infanto-juvenil. 

A magistrada vai à aposentadoria deixando uma estrutura para o deslocamento rápido da equipe de apoio consistentes em 04 veículos novos que são utilizados em campanhas e blitz educativas; fiscalizações diurnas e noturnas e nas atividades cotidianas da Vara. 

Em sua trajetória no Judiciário amapaense, na condição de juíza substituta, Ana Lúcia atuou nas comarcas de Ferreira Gomes, Tartarugalzinho, Mazagão e finalmente em Santana. No ano 1994, passou a exercer a titularidade da Vara Menoril. Desenvolveu ainda a função de juíza eleitoral nas 5ª zona eleitoral de Santana; Diretora do Fórum da municipalidade; Membro da Turma Recursal e Membro da Comissão de Administração do Fundo de Apoio ao Juizado da Infância e Juventude. 

Um dos grandes legados da magistrada foi a realização do sonho de interiorizar o atendimento da infância e juventude, por meio do projeto “Infância em Movimento”. Com o apoio do barco “Tribuna – A Justiça Vem a Bordo” e de parceiros como o Ministério Público, Defensoria Pública e órgãos públicos, levou atendimentos jurisdicionais, sociais e médico às comunidades ribeirinhas próximas ao município de Santana. 

Firmeza, determinação e iniciativas marcaram sua trajetória como magistrada. Por sua atuação e reconhecido trabalho, recebeu o título de Cidadã Mazaganense, concedido pela Câmara Municipal de Mazagão, e o diploma de Honra ao Mérito pelos serviços prestados no mesmo município, concedido pela Loja Maçônica Francisco Torquato. Em Santana, foi homenageada pela Câmara de Vereadores nas comemorações alusivas ao Dia da Mulher. 

Guarda definitivamente o manto que lhe propiciou, por anos, lutar e defender aqueles que estiveram sob sua tutela. “Nossa contribuição sempre foi no sentido de disseminar novas concepções, despertando, ainda que em alguns momentos com rigor, sentimentos de responsabilidade e respeito para com os semelhantes. Acredito que cumprimos nosso dever. Fica o meu abraço e agradecimento a todos que estiveram comigo nesse processo, especialmente às crianças e aos adolescentes a quem muito me dediquei”.

Comentários

Postagens mais visitadas