segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Sobreviventes descrevem momento do naufrágio

Sobreviventes da tragédia marítima ocorrida no rio Amazonas, na manhã de sábado, 12/10, que deixou mais de 15 mortos, Mário Lopes e Marcos Nunes - este último perdeu um filho de 8 anos no naufrágio – relataram ontem o que viveram naquela manhã fatídica à bordo do B/M Reis I que retornava para o porto de Santana depois de ter participado da romaria fluvial com a imagem de Nossa Senhora de Nazaré. 

“Ainda não caiu a ficha direito. O que tenho são imagens fragmentadas, como recortes de um filme. Meu filho brincava com outras crianças quando a embarcação virou rapidamente. Não tive tempo de agarrá-lo”, disse emocionado o pai que estava amparado por familiares durante velório do corpo do pequeno Vitor Gregório que completaria 9 anos em novembro. 

“Eu lembro que estava no primeiro andar do barco conversando com uns amigos. Depois eu resolvi subir para o segundo pavimento. Ao pisar no andar superior só senti a embarcação virar rapidamente. Quando dei por mim já estava embaixo do barco. Lutei para sair debaixo dele, e num momento me faltou o ar. Pensei que ia morrer naquele lugar”, declarou ainda emocionado. 

Mário Lopes revelou que o barco não bateu em um banco de areia, como especulado. “Tinha uma balsa passando ao lado. Não sei se foi a onda provocada por essa balsa que balançou nossa embarcação que foi a pique. Haviam muitas pessoas na parte superior, e, ao que parece, não havia lastro. Isso pode ter sido decisivo para a tragédia”, declarou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sujeira e acúmulo de lixo revoltam usuários dos maiores hospitais de Macapá e Santana

Os maiores hospitais públicos de Macapá e Santana têm causado outros problemas a pacientes e familiares além dos rotineiros, como a demo...