segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Polícia começa a ouvir sobreviventes e testemunhas

A delegada Josélia Barbosa, que preside o inquérito do acidente fluvial com o barco "Reis I", esteve nessa terça-feira, 15/10, no Igarapé da Fortaleza, para onde a embarcação foi levada. De acordo com ela, a polícia iniciou um minucioso trabalho de investigação a fim de coletar dados que possam esclarecer os motivos que provocaram o tombamento do barco. 

"Já ouvimos algumas pessoas envolvidas na tragédia e vamos tomar depoimentos de muitos outros sobre o que eles presenciaram a bordo. Essas informações vão nos subsidiar para sabermos o que aconteceu nesse acidente, que vitimou 18 pessoas entre crianças e adultos", ressaltou a delegada. 

O trabalho de investigação policial contará com os resultados dos laudos de perícia executada pela Polícia Técnico-Cientifica do Amapá (Politec), das informações da Capitania dos Portos, como a vistoria na saída no Porto do Grego em Santana, listagem de pessoas e dos tripulantes. Vem obter o contrato de locação entre sindicato e o proprietário do barco, filmagens no momento da saída e principalmente os depoimentos. 

A operação para içar o Reis I e conduzi-lo ao Igarapé da Fortaleza ocorreu na noite de segunda-feira, 14, ocasião em que os militares tiveram êxito em rebocá-lo para local propício à perícia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sujeira e acúmulo de lixo revoltam usuários dos maiores hospitais de Macapá e Santana

Os maiores hospitais públicos de Macapá e Santana têm causado outros problemas a pacientes e familiares além dos rotineiros, como a demo...