Números comprovam superlotação de barco

O coronel de fragatas Carlos neves disse que o B/M Reis I passou por uma vistoria no Porto do Grego, em Santana, antes de ser liberada para a viagem. Segundo ele, haviam 40 passageiros e 3 tripulantes à bordo, conforme contagem manual feita por homens da Capitania dos Portos. “Quando a embarcação desatracou de Santana era esse o número”, afirmou. 

Porém, não houve fiscalização da Capitania no retorno das embarcações. O Sindicato dos Servidores Federais Civis do Amapá (Sindsep-AP), responsável pelo aluguel da embarcação, apresentou uma relação com os nomes de 64 passageiros entre sobreviventes, desaparecidos e mortos, o que confirma a superlotação. 

O comandante apenas reafirmou o que havia dito antes. “Tudo será apurado por meio de inquérito”, concluiu. O comandante do Corpo de Bombeiros, coronel Rosário, negou que ine-xistisse a presença de bombeiros no local do acidente. 

“Dentro da própria embarcação havia dois bombeiros. Uma voadeira que seguia atrás do barco sinistrado tinha seis homens que ajudaram no resgate dos passageiros no exato momento do naufrágio”, assegurou. Coronel Rosário disse que requereu um helicóptero do Governo do Pará para ajudar nas buscas dos desaparecidos.

Comentários

Postagens mais visitadas