Luto na política: Morre Vicente Marques, vereador constituinte de Santana

Vicente faleceu aos 60 anos
Discreto, mas determinado para sua época, escreveu seu nome como vereador atuante, coerente e habilidoso, Vicente Marques sempre manteve uma postura de luta para melhorar as condições de vida dos moradores. 

Nascido na cidade de Breves (PA) no dia 23 de outubro de 1956, era filho de Ambrósio Viturino Marques e Joana da Silva Marques. 

Até os 11 anos de idade morou em sua cidade natal, tendo uma infância alegre e descontraída, sempre orientado pelo pai, Ambrósio, que era um profissional eficiente do ramo de construção naval. 

Dizia que com o pai aprendeu muita coisa boa, principalmente o gosto pelo trabalho, pela liberdade, ganhando desde pequeno o sentimento de responsabilidade. 

No final da década de 1960 sua família se mudou para Santana, época em que passou a frequentar a escola, matriculando-se no Colégio Barroso Tostes. Nele terminou o curso primário. 

O Ginasial fez no Colégio Augusto Antunes, enquanto o 2º Grau concluiu no Colégio GM de Macapá – antiga Escola Industrial – especializando-se em Mecânica. Ser caboclo marajoara, para ele, era motivo de orgulho. 

Como teve de sobreviver por conta própria, desde jovem, ganhou a vida como comerciante, trabalhando no estaleiro do pai, depois tomou conta de uma embarcação de frete – na linha Macapá/Belém/Macapá. 

Ainda jovem, iniciou a vida pública, a participar da campanha de Azevedo Costa, candidato a prefeito de Macapá, em 1985. 

Seguro com seus atos, Vicente concorreu a vereador na eleição de 1988, a primeira realizada em Santana, em que pôde comprovar sua popularidade: foi o 2º mais votado, disputando pelo PMB (Partido Municipalista Brasileiro), hoje extinto. 

Filiou-se em 1990 ao PFL, do saudoso Comandante Barcellos, pessoa muito estimada pelo vereador e a quem tratava como irmão.

Em 1991,disputou uma vaga na Assembleia Legislativa, não vencendo por causa de 13 votos apenas. Tudo por que dois “Vicentes” estavam participando do pleito: ele e o Vicente do supermercado – e os votos só o nome “Vicente” foram anulados. 

Seguidor do catolicismo, ele sempre buscava em Deus e em Cristo a devida força para superar as dificuldades do dia-a-dia. 

Sua vida familiar era harmoniosa, mantendo um relacionamento de respeito e carinho com a esposa Andréa Giovanna, com que tinha um casal de filhos: Paulo Vinicius e Valéria. 

Pela história do legislativo santanense alcançou seis dos oito mandatos de vereador na cidade, desde sua emancipação política em 1987. 

No entanto, por volta das 19h desta terça-feira (22/08), no Hospital São Camilo, em Macapá, o nobre e respeitado vereador, faleceria aos 60 anos de idade. 

Ele estava internado há cerca de duas semanas, depois de sofrer um AVC (Acidente Vascular Cerebral), que o deixou em estado grave.

Comentários

Postagens mais visitadas