Servidora santanense participa de Seminário Internacional sobre “Justiça Restaurativa”

A servidora da Justiça Lucineide Santos, lotada no Juizado da Violência Doméstica da Comarca de Santana, participou do Seminário Internacional de Justiça Restaurativa que aconteceu nos dias 23 e 24 de março em São Paulo (SP). 

Luciene é assistente social e facilitadora de práticas restaurativas do Tribunal de Justiça do Amapá. O seminário teve como tema central: “Diversos Saberes Dialogando para Transformar Realidades”. 

Na ocasião, membros da comunidade Jurídica brasileira e do Canadá abordaram o tema para 400 pessoas presencialmente e para 700 pessoas na modalidade à distância. Uma ampla reflexão sobre a Justiça Restaurativa e as ações existentes no Brasil e em outras partes do mundo. 

“Em funcionamento há cerca de 10 anos no Brasil, a prática da Justiça Restaurativa tem se expandido pelo país. Conhecida como uma técnica de solução de conflitos que prima pela criatividade e sensibilidade na escuta das vítimas e dos ofensores, a prática tem iniciativas cada vez mais diversificadas e já coleciona resultados positivos no Estado do Amapá”, disse a servidora. 

O Seminário contou com a presença de procuradores, promotores de Justiça, defensores públicos, advogados, assistentes sociais, psicólogos, conselheiros de direitos e de políticas públicas, conselheiros tutelares, gestores e técnicos da administração pública nas esferas federal, estadual e municipal, professores, funcionários dos tribunais de justiça de todo o Brasil e profissionais que atuam nas mais diversas áreas para conquista dos direitos humanos. 

“Foi uma grande oportunidade conhecer experiências de Justiça Restaurativa explanadas pelo Dr. Leoberto Narciso Brancher – juiz de Direito e coordenador do Programa Justiça Restaurativa para o Século 21, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul e experiências de Justiça Restaurativa do Estado de São Paulo – vivências e práticas explanadas pelo Dr. Marcelo Nalesso Salmaso – juiz de Direito titular da Vara do Juizado Especial Cível e Criminal e da Infância e da Juventude e coordenador do Núcleo da Justiça Restaurativa da Comarca de Tatuí/SP e integrante da CIJ/TJSP. O que vivenciei nesses dias irei compartilhar com meus colegas de equipe e parceiros para que possamos aprimorar e ampliar as práticas restaurativas em nosso estado”, finalizou.

Comentários

Postagens mais visitadas