MP-AP participa da II Etapa do Curso de Formadores em Práticas Restaurativas na Educação

O Centro de Apoio Operacional da Infância, Juventude e Educação (CAOP-IJE) do Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP) participou do 2º Módulo do Curso de Capacitadores em Justiça Restaurativa, realizado pela Vara da Infância e Juventude da Comarca de Santana. 

O evento ocorreu no Auditório do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) de Santana, no período de 27 a 31 de março. 

O curso tem como intuito formar multiplicadores e facilitadores de práticas restaurativas, dentro dos quadros das comarcas de Macapá e Santana, de servidores do Ministério Público do Amapá (MP-AP) e da Secretaria de Estado da Educação (SEED), professores, diretores e analistas. 

A Justiça Restaurativa consiste em um direcionamento não punitivo, e que tem como principal objetivo a reparação dos danos causados às partes envolvidas. Ainda, quando possível, a reconstrução das relações rompidas. 

Entre os temas fundamentais discutidos figuraram os de reflexão, comunicação não-violenta, postura restaurativa, procedimento de práticas, conversas e círculos restaurativos e exercícios práticos de formação de facilitadores, multiplicadores e formadores. 

O curso é repassado em três módulos. O primeiro aconteceu em dezembro, o segundo ocorreu em março, e o próximo será realizado em maio deste ano. 

Para a psicóloga e capacitadora Violeta Daou, os participantes estavam muito satisfeitos com a proposta das práticas restaurativas. 

“Foi uma entrega pessoal muito grande por parte deles. O envolvimento que eles adquiriram com as metodologias desde o primeiro módulo se superaram. A justiça restaurativa é algo novo, é um processo de aprendizado. Eles vão aprender e reforçar o aprendizado na prática, mas eles já estão bastante avançados para fazer uso disso em todos os contextos”, ressalta. 

A magistrada Larissa Noronha explicou que o curso tem como objetivo preparar pessoal para a capacitação de voluntários na promoção de métodos restaurativos e autocompositivos. 

“Nós já temos uma equipe capacitada, mas pretendemos formar novas pessoas e pelo menos dobrar nossa capacidade de multiplicação, pois a demanda vem crescendo bastante, com pedidos principalmente das áreas de educação e segurança pública, além da própria Justiça”, explicou. 

A procuradora de Justiça e Coordenadora do CAOP-IJE, Judith Teles, ressaltou que “o curso trará às instituições um benefício vantajoso para os serviços prestados para a comunidade no âmbito social, com o fortalecimento das ideias de construção de paz e de comunicação pacífica”. 

Receberam a formação servidores e magistrados da Comarca de Macapá e Santana, servidores do Ministério Público do Estado do Amapá (MP-AP), do Ministério Público Comunitário (MPM) e profissionais da Secretaria de Estado da Educação (SEED), professores, diretores e analistas. Foram 112 participantes no total.

Comentários

Postagens mais visitadas