Oficina do MP-AP trata de relação entre pais e filhos durante processo de separação

O Ministério Público do Amapá (MP-AP), por meio do Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas de Santana, realizou, nesta quinta-feira (16/03), no complexo das Promotorias de Justiça do município, uma oficina de parentalidade para pais e filhos envolvidos em processos de separação. A atividade teve o apoio do Tribunal de Justiça do Amapá (TJAP), Governo do Estado (GEA) e Prefeitura de Santana. 

A oficina é um programa educacional interdisciplinar para casais em fase de ruptura de relacionamento, bem como seus filhos menores, de seis a dezesseis anos de idade, com objetivo de instrumentalizar as famílias que enfrentam a ruptura do laço conjugal a criar uma efetiva e saudável relação parental junto aos filhos. 

Para isso, o programa utiliza uma literatura que trata os efeitos da separação e a importância dos pais e demais membros da família buscarem maneiras saudáveis de lidar com o término do relacionamento. 

Na oficina, cuja metodologia estabelece uma sessão de quatro horas, os participantes, que buscam a Justiça para solução de seus conflitos, encontram apoio para se transformarem em protagonistas na solução de seus próprios problemas. 

Durante a programação, pais e filhos, atendidos em salas separadas, acompanharam palestras, apresentação de vídeos e participaram de discussões mediadas por profissionais capacitados. 

Na oficina para os pais foram transmitidas algumas informações relevantes sobre os efeitos negativos de seus conflitos intensos e mal administrados aos filhos e o que eles podem fazer para estabelecer uma boa parceria parental, a fim de que suas crianças e adolescentes vivam em um ambiente tranquilo e se tornem pessoas emocionalmente saudáveis. 

Aos filhos, a ideia consistiu em proporcionar um ambiente seguro para a exteriorização de seus sentimentos, além de transmitir algumas estratégias e sugestões de adaptação à transição familiar. 

Na abertura das atividades, a coordenadora do Núcleo de Mediação, Conciliação e Práticas Restaurativas de Santana, promotora de Justiça Silvia Canela, ressaltou a necessidade de pacificar as relações familiares, ainda que seja um momento tão difícil. 

“Hoje nós estamos iniciando uma nova experiência, com objetivo de orientar as famílias que estejam em conflitos relacionados à separação, bem como prevenir a alienação parental, na medida em que tenta conscientizar o casal de que é importante o filho conviver com ambos os pais para que construa uma relação positiva e forme por si só a imagem dos pais”, disse a promotora. 

A juíza Michele Farias, titular na Vara da Violência Doméstica de Santana, também participou da recepção aos participantes. 

“Tudo aqui foi planejado pensando em fazer o melhor para vocês a fim de proporcionar esse momento de reflexão e de cuidado, porque a gente entende que a separação é um processo dramático, mas pode ser superado, ressignificado e representar mudança nas nossas vidas”, concluiu. 

Estavam presentes também, a promotora de Justiça Gisa Veiga, coordenadora das Promotorias de Santana e o titular da Promotoria da Infância e Juventude do município, promotor de Justiça José Barreto. 

A oficina realizada nesta quarta-feira mobilizou cerca de 80 pessoas, entre pais e filhos, colaboradores e voluntários. Foi a primeira de uma série de oito previstas para ainda ocorrer este ano.

Comentários

Postagens mais visitadas